História da Igreja

Didaqué, o catecismo dos primeiro cristãos

Caro internauta, inicio este artigo afirmando uma grande verdade: nossa Igreja Católica é fonte cristalina de extraordinários ensinamentos. Sua nobilíssima doutrina é milenar e possui sua origem em Jesus. Os apóstolos, aqueles homens que estiveram frente a frente com Jesus, receberam esses preciosos ensinamentos e os transmitiram à comunidade cristã.

Um dos primeiros escritos atribuídos aos cristãos da Igreja primitiva recebeu o nome de “Didaqué”, uma palavra de origem grega, que significa “instrução”, “doutrina”, “ensinamento”. Trata-se de um escrito instrutivo que data do final do primeiro século da era cristã. Isso significa que seus autores viveram num período muito próximo da escrita do Novo Testamento. Basicamente, essa compilação de normas apresenta um pouco dos costumes da Igreja nascente, o que dá aos historiadores e estudiosos do período valorosa contribuição.

Didaqué, o catecismo dos primeiro cristãos

Imagem ilustrativa

As primeiras comunidades de cristãos não tinham o catecismo como conhecemos hoje, mas eles tinham o Didaqué

Sua descoberta se deu, no ano de 1873, pelo monsenhor Filoteo Bryennios na biblioteca do mosteiro do Santo Sepulcro em Constantinopla. Em 1887, o documento foi levado para Jerusalém e deixado na Biblioteca patriarcal, onde se encontra até hoje. A partir de então, muitas edições e reedições desse documento passou a ser elaborada. Inúmeros especialistas e pesquisadores se debruçaram no estudo desses escritos. Especialmente no Oriente, a Didaqué é tida por alguns como texto inspirado, tamanha a sua importância.

No que se refere sua origem histórico-geográfica, embora não haja concordância quanto a data e o local da composição, especula-se que a Didaqué foi redigida, entre os anos de 90 e 100, na Síria, na Palestina ou em Antioquia. Apesar de esse documento trazer, no título, o nome dos apóstolos, sua autoria não pertence diretamente a eles. Especula-se que o texto é fruto da reunião de várias fontes, tanto escritas quanto orais, e dispostas em conjunto por um anônimo judeu-cristão. Esses textos retratam a tradição viva das comunidades cristãs daquela época.

Tanto o conteúdo quando o estilo literário da Didaqué lembram os textos do Novo Testamento, especialmente aqueles mais exortativos. Nela, a ênfase encontra-se na observância da lei preservando extraordinariamente a liberdade humana, ou seja, compete a cada um escolher o caminho do bem ou do mal: “Existem dois caminhos: um é o caminho da vida, e o outro, o da morte. A diferença entre os dois é grande” (Did. I,1).

Esta pequena obra compõe-se de 94 breves sentenças agrupadas 16 capítulos. Divide-se basicamente em três partes. A primeira delas (cap. 1 a 6) trata-se de um tratado de moral; a segunda (cap. 7 a 10) apresenta um antigo ritual litúrgico e a terceira parte (cap. 10 a 15) contém instruções sobre a vida comunitária. No final do documento, ainda se encontra uma exortação à perseverança, uma espécie de epílogo.

O conteúdo

O documento traz temas como o amor a Deus e ao próximo, a partilha dos bens e a prática de esmolas, as raízes do bem e do mal, deveres para com os membros da família, a prática dos sacramentos, algumas instruções litúrgicas e disciplinares, a importância da oração, apresenta o modo de distinguir os verdadeiros e os falsos profetas, exorta a caridade e à prudência, previne os cristãos a estarem preparados para o dia do Senhor e apresenta os sinais precursores do final dos tempos. 

Leia mais:
.: Combater as barbáries deve ser uma prioridade de todos os cidadãos
.: Como construir o valor do homem e a sua consciência?
.: Conheça as cinco fases da vida nova em Jesus Cristo
.: A relação entre a história dos Papas e da Igreja

Diante desse breve resumo sobre a Didaqué, o catecismo dos primeiros cristãos, quero incentivar você, caro internauta, a conhecer essa extraordinária obra cristã. Uma obra bem pequena no tamanho, mas grande no seu conteúdo e na sua importância. Esse texto está inteiramente disponível de maneira gratuita pela internet.

Deus abençoe você e até a próxima!

banner espiritualidade


Gleidson Carvalho

Gleidson de Souza Carvalho é natural de Valença (RJ), mas viveu parte de sua vida em Piraúba (MG). Hoje, ele é missionário da Comunidade Canção Nova, candidato às ordens sacras, licenciado em Filosofia e bacharelando em Teologia, ambos pela Faculdade Canção Nova, Cachoeira Paulista (SP). Atua no Departamento de Internet da Canção Nova, na Liturgia do Santuário do Pai das Misericórdias e nos Confessionários. Apresenta, com os demais seminaristas, o “Terço em Família” pela Rádio Canção Nova AM. (Instagram: @cngleidson)

comentários