Vamos conversar diferente

Em muitos relacionamentos há um tipo de conversa que quase sempre acontece dentro do mesmo esquema: provar que um está certo e que o outro está errado. Durante a conversa (melhor dizendo: a discussão), cada um fica mais preocupado em:
• rebater o que o outro está dizendo;
• derrubar os seus argumentos;
• desmerecer o outro e seus argumentos;
• apelar para sua moral, etc..

Enquanto um está falando, o outro nem presta atenção, porque está preocupado em arranjar argumentos que possam contradizer ou rebater o que está sendo dito por essa pessoa. Assim, fica uma conversa emperrada e infrutífera. Não favorece em nada o relacionamento. No final, teria sido bem melhor que nem tivesse acontecido. Piorou. O muro ficou ainda maior do que já estava. Quanto tempo perdido porque não se procura escutar e acolher o que o outro tem a dizer. Ninguém de nós é juiz de si próprio. Se o outro está falando algo de errado a meu respeito “ele está me prestando um favor”. É como se eu estivesse carregando uma placa nas costas e alguém me avisasse, pois, o que eu não consigo ver, o outro percebe. Devo ficar bravo ou agradecer pelo aviso? Triste situação e perda de tempo quando não se consegue escutar e deixar que o outro expresse o que pensa e sente.

UMA RECEITA

Não rebata o que o outro está expondo. Se você não concorda, então questione para que ele argumente e prove o que está dizendo. Se alguém afirmar para você que determinada pedra vem da lua, ele deve provar o que está dizendo. Caso contrário, quem cairá no descrédito será ele próprio. Por que ficar rebatendo o que outro diz? Será que ao menos em parte ele não tem razão? Não seria um absurdo partir para a agressão quando o médico nos dissesse que temos uma doença grave? Que bom que ele descobriu! Assim vamos nos tratar para melhorar.

Da mesma forma: Que bom que alguém teve coragem de me dizer em que estou errando! Vou tratar de me curar. Melhorarei e serei uma pessoa bem mais simpática e querida por todos. Há relacionamentos que há anos vêm acontecendo dentro do esquema “um argumentando que está certo e que o outro está errado”.
Tente, ao menos por alguns dias, ou meses uma forma diferente. Seja criativo e inovador. Mesmo que não dê os resultados esperados, você estará fazendo ricas descobertas sobre relações humanas.

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.