Tudo isso eu já fiz...

O jovem do Evangelho pergunta ao Senhor: “Mestre, o que preciso fazer de bom para conseguir a vida eterna?” (Mateus 19,16)

Esta pergunta pode ser traduzida por outras parecidas:
“Mestre, o que preciso fazer para que minha vida tenha sentido pleno?”, “Mestre, o que preciso fazer para ser feliz?”

O Senhor responde ao jovem: “ama ao teu próximo como a ti mesmo” (Mateus 19,19)

Jesus propõe ao jovem viver amando ao próximo, gastar sua vida em favor dos demais. Os jovens têm grandes ideais: a paz, a justiça para todos, a não discriminação por causa do sexo, da raça, religião ou nacionalidade. Corrigir os abusos dos poderosos sobre os pobres…

Conheço, também, sua generosidade, queridos voluntários: ofereceram-se livremente para ajudar aos demais neste encontro das famílias.

Também vocês, como o jovem rico, podem responder um tanto presunçosamente: “Tudo isso eu já fiz. O que me falta?” (Mateus 19,20). O Senhor lhe responde: “Se queres ser perfeito, vai, vende teus bens, dá-os aos pobres e terás um tesouro no céu. Depois, vem e segue-me!” (Mateus 19,21).

Não duvidem: O Senhor tem uma vocação, um projeto para a vida de cada um de nós.
Ele nos chama a segui-Lo por um caminho determinado. Quer que a vocação universal ao amor seja desenvolvida por nós de forma concreta, singular para cada um.

Para o jovem do Evangelho, Jesus tinha previsto uma vocação magnífica: tornar-se discípulo, acompanhá-Lo em Suas peregrinações pelas aldeias e cidades, compartilhar Seu estilo de vida…

Também para cada um de nós o Senhor previu uma vocação magnífica: eu os animo a descobri-la. O Senhor pode pedir a vocês a entrega de coração na vida matrimonial, para que construam uma família, eduquem seus filhos e sejam construtores de uma sociedade livre, solidária, responsável.

E pode lhes pedir também que sigam de outro modo. Sim: pode lhes pedir a entrega generosa do coração pela causa do Evangelho.

Assim o fez com o jovem do relato que escutamos: Jesus o chama a Seu seguimento pessoal, mas antes tem de renunciar a tudo que o prende neste mundo.

O jovem é rico e não pode viver o mandamento do amor, porque está preso aos bens e às seduções do mundo.

Ele deve vender tudo a fim de estar mais livre para o seguimento do Senhor. E a isto, o jovem, não está disposto. Suas muitas posses são como correntes que o impedem de chegar a ser, quem sabe, um apóstolo entre os doze.

Por isso, o jovem foi embora triste.
Sua tristeza é expressão de seu amor a si mesmo e ao mundo, acima do amor a Deus e aos demais.

Sua resposta anterior, “tudo isto eu já fiz”, se revela agora como falsa. Não é capaz de amar plenamente e vai embora para casa.

Também vocês, queridos jovens, podem estar presos a bens e seduções deste mundo, que os impedem de seguir totalmente a Jesus Cristo.
O mundo atual, com seus enormes atrativos e sensualidade, lhes oferece, muitas vezes, armadilhas que os impedem de amar com a radicalidade que pede o Senhor.

Muitos companheiros e amigos de vocês estão presos nas redes da indiferença religiosa, do consumismo, do hedonismo, do álcool, dos desajustes sexuais, dos paraísos artificiais da droga; em suma, dos ídolos do mundo. E não é fácil viver nestes ambientes sem se contagiar com sua influência.

Entrem em seus interiores! Não fujam do seu próprio eu. Escutem ao chamado que o Senhor lhes dirige neste Encontro Mundial das Famílias. Reflitam se estão dispostos a seguir ao Senhor, qualquer que seja o desígnio que Ele tem para vocês.

Não fiquem à margem! Avancem mar adentro!, como nos dizia nosso querido Papa João Paulo II.

Sigam a Jesus Cristo, como Ele lhes pede que O sigam. Somente esse seguimento pode dar plenitude à sua vida. Talvez me perguntem com ânimo generoso: “Como posso seguir ao Senhor?”

Tentarei lhes responder brevemente. O seguimento de Jesus consiste em lutar com alegria e paciência para se identificar com Jesus Cristo, ter Seus mesmos sentimentos.

Para isso, temos de apreciar a oração, o diálogo íntimo com Jesus e, por meio d’Ele, com o Pai. Abram seus corações a Deus. Deixem-se surpreender por Cristo. Dêem-Lhe o direito de lhes falar…

O seguimento de Jesus lhes pede viver na Igreja de Cristo, fazer parte de Sua comunidade na terra e participar assiduamente da Eucaristia dominical.

O seguimento de Jesus lhes pede escutar Seu chamado para que sejam testemunhas valentes do Evangelho no mundo.

Em resumo: conhecer a Cristo, amá-Lo e segui-Lo.

Para concluir, eu gostaria de lhes recordar as palavras que o Papa Bento XVI lhes dirigiu na Jornada Mundial da Juventude, no verão passado em Colônia-Alemanha, na qual muitos de vocês estiveram presentes:

Queridos jovens, a felicidade que buscam, a felicidade que têm o direito de saborear, tem um nome, um rosto: o de Jesus de Nazaré, oculto na Eucaristia. Só Ele dá plenitude de vida à humanidade. Digam, com Maria, seu ‘sim’ a Deus que quer Se entregar a vocês.

Repito-lhes, hoje, o que disse no princípio de meu pontificado: ‘Quem deixa Cristo entrar (na própria vida) não perde nada, nada, absolutamente nada do que faz a vida livre, bela e grande. Não! Somente com esta amizade se abrem, de par em par, as portas da vida. Somente com esta amizade se abrem realmente as grandes potencialidades da condição humana.
Somente com esta amizade experimentamos o que é belo e o que nos liberta’.
Estejam plenamente convencidos: Cristo não tira nada do que há de belo e grande em vocês, mas sim, leva tudo à perfeição para a glória de Deus, a felicidade dos homens e a salvação do mundo”.

Homilia do Arcebispo de Valencia, na Santa missa de boas-vindas ao voluntariado do V Encontro Mundial das Famílias (02/07/2006)

Tradução: cancaonova.com

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.