Formando a consciência de seus filhos

Muitos pais ficam fazendo as vontades de seus filhos e estes acabam se acomodando. Acabam se tornando um galho e não uma árvore. Assim, com o passar os anos, a criança e o jovem não se desenvolvem. Esse é o grande erro dos genitores, pois, dessa forma, fazem de seus filhos verdadeiros deuses, realizando um verdadeiro estrago na vida das crianças. De modo que a criança assume o papel de Deus e por causa do seu egoísmo sobe no trono e fica. Eu já ouvi muitos pais dizerem: “Meu filho é tudo para mim!”

Abrão era um homem que tinha tudo: dinheiro, bens, servos, etc., mas, ao mesmo tempo, parecia que lhe faltava tudo, pois o que ele mais queria era ter um filho com sua esposa, Sara. Deus então concede a ele um filho chamado Isaac, o filho querido. Contudo, o Senhor ordena a esse pai que leve o pequeno ao alto da montanha e o mate, oferecendo-o em sacrifício.

Qual é o “Isaac” que você precisa oferecer em sacrifício?

Deus tinha em mente um plano maravilhoso para Abraão. O que você deseja para seu filho? O que você tem no coração para que seus filhos sejam bons? Cada atitude nossa tem um efeito sobre as pessoas, positivo ou negativo.

Como têm sido suas atitudes com os seus filhos? Quando não queremos encarar uma realidade, ficamos arrumando um “jeitinho” para escapar. Se não formarmos a consciência deles, depois não adianta reclamar! Mas se realmente queremos que estes tenham consciência correta, precisamos nos esforçar para isso. A consciência é formada ao deixar a pessoa dar a resposta. Muitas vezes a mãe dá razão para o filho. Quando um jovem pode fazer alguma coisa e nós decidimos por ele, estamos roubando a decisão dele. A comodidade não forma ninguém. Quem precisa participar é quem está perguntando. É preciso diálogo.

Nós enchemos os filhos de conselhos e recomendações, mas não os levamos à participação, mas à decisão. Quem não participa na decisão, não participa na execução. A criança e o jovem precisam saber que tudo eles podem, mas nem tudo lhes convém. É preciso formá-los por intermédio da Palavra de Deus. E como formar a consciência? Ouvindo, escutando e depois perguntando.

Devemos pensar que a criança que hoje tem 3 anos, daqui a pouco vai ter 10, depois 20, depois vai sair de casa para se casar… Nós devemos preparar e formar verdadeiros homens e mulheres. Não adianta passar recomendações. O filho bem educado é aquele que tem as mesmas atitudes na presença ou na ausência dos pais. A partir do testemunho dos genitores e dos valores recebidos pelo jovem, ele irá saber decidir livremente.

Se seu filho não for formado com valores, alicerces, raízes, mais tarde, ele vai ser arrastado e conduzido pelos outros. Mas se você colocou no coração de seu filho os valores de Deus, então este vai saber dar respostas diferentes diante das situações.

Você está treinando seu filho para viver como casado? Eu digo para você que é casado: tem que ter coragem para se casar! Assim, mais tarde seu filho vai dizer: “Meus pais me deram valores, me desafiaram, me formaram, e hoje sou assim devido a eles. Hoje sou um homem ou uma mulher formada e estou pronto para encarar a vida, para constituir uma família”.

Do contrário, você pode criar o seu filho como uma “cabeça de repolho” ou uma “couve-flor”: cada vez mais entranhado.

As crianças hoje em dia estão cansadas e estressadas, pois fazem muitos cursos, balé, inglês, dança, depois chegam em casa e ficam na frente da televisão ou do vídeo game. Desse modo, a consciência destas não é formada, pois não aprendem a falar de si.

É preciso fazê-los [filhos] participar das decisões. É preciso formá-los. Se você quer que seu filho seja feliz, você deve treiná-lo para ser generoso.

Se eu der um presente para uma criança, sem que ela precise dele, eu estarei fazendo mal para ela, pois estaria dando mais um objeto para ela. As pessoas que são ingratas são tristes e infelizes.

Certo dia, perguntei para um grupo de crianças: vocês preferem presentes ou a presença dos pais? Elas responderam que preferem a presença de seus pais. Você não pode fazer com que as coisas ocupem o espaço que é seu na vida de seus filhos.

Se você passa valores para seus filhos, quando eles saírem de casa, vão saber que são cristãos e irão saber decidir corretamente.

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.