Coração vigilante

A oração perpétua do coração

Caro leitor, um dos versículos mais inspiradores das Sagradas Escrituras pode ser encontrado no livro dos cânticos do rei Salomão (Cântico dos Cânticos). Eis a passagem: “Eu dormia, mas meu coração velava” (Ct 5,2).

Que versículo estupendo! Ele nos apresenta a grande alegria e vigilância que podem existir em um coração que ama apaixonadamente e que, por sua vez, aguarda expectante a presença do amado que se aproxima. Qualquer pequeno barulho na fechadura da porta, o mais ínfimo movimento no ponteiro do relógio que parece estar mais lento e, é claro, aquele especial e tão desejado perfume que se apresenta no ar antes mesmo da chegada do amado, despertam naquele que ama a mais solene expectativa. Somente um coração enamorado sabe o que isso significa.

A oração perpétua do coração

Foto Ilustrativa: by Getty Images / YakobchukOlena

O nosso coração é casa do Senhor

A linguagem é romantizada, porém, a mensagem é de uma agudeza impressionante! Neste maravilhoso cenário, o amor abrasado da amada pode ser comparado à nossa oração; a casa em que ela se encontra à espera do amado é o nosso coração; a amada somos cada um de nós, e o amado é o próprio Deus.

Santo Afonso Maria de Ligório na sua obra “A Verdadeira Esposa de Cristo” afirma que “o primeiro meio para amar a Jesus Cristo é a oração”. Ela, segundo o santo, é a “ditosa fornalha em que a alma se abrasa do divino amor”. Assim, quem não cessa de rezar jamais terá extinguida a chama do amor por Deus em seu interior. Ela será uma permanente companhia daquele que reza.

Você sabe reconhecer a voz de Deus?

A casa, como já foi mencionado, é o nosso coração. Do seu interior deve ressoar uma voz tranquila e perpétua. Essa voz jamais deve cessar. Quando o amado estiver passando pela casa, ele a ouvirá e, ao reconhecer a voz suave de sua amada, quererá entrar para vê-la.

Leia mais:
.: Devemos rezar uns pelos outros
.: É correto pedir bens materiais nas orações?
.: Por que Deus não me escuta?
.: Como saber se é realmente Deus que está falando comigo? 

Esta mesma voz, por outro lado, afugenta os ladrões porque denota a presença de alguém bem desperto dentro da casa. Um dos padres antigos já nos alertou que quando ladrões se aproximam de uma casa para arrombá-la e roubá-la, mas ouvem alguém falar do lado de dentro, não tentam entrar. Da mesma forma, quando nossos inimigos tentam invadir a alma e possuí-la, ficam à espreita, mas têm medo de entrar quando ouvem aquela prece que vem lá do seu interior. A prece denota presença, uma sublime presença.

A oração é o caminho

Quem reza sem cessar, ainda que o corpo passe pelo descanso e pelo sono, experimenta um coração em constante estado de vigília. Velar implica uma contínua lembrança de Deus em todo tempo e em qualquer situação. Lembrar-se de Deus ao longo do dia, em meio às tristezas e alegrias, torna-O perto, muito perto. Recordar-se de Deus também é oração e quem muito reza, muito ama; e quem muito ama jamais abandona a oração.

Sejamos, portanto, sempre vigilantes, e jamais deixemos morrer a prece interior, mesmo que silenciosa.

Deus abençoe você e até a próxima!

banner_espiritualidade


Gleidson Carvalho

Gleidson de Souza Carvalho é natural de Valença (RJ), mas viveu parte de sua vida em Piraúba (MG). Hoje, ele é missionário da Comunidade Canção Nova, candidato às ordens sacras, licenciado em Filosofia e bacharelando em Teologia, ambos pela Faculdade Canção Nova, Cachoeira Paulista (SP). Atua no Departamento de Internet da Canção Nova, na Liturgia do Santuário do Pai das Misericórdias e nos Confessionários. Apresenta, com os demais seminaristas, o “Terço em Família” pela Rádio Canção Nova AM. (Instagram: @cngleidson)