O encontro com a existência de Deus

A matéria não pode vir à existência do nada por si mesma. Nem mesmo o que chamamos de energia pode, por si mesma, gerar uma matéria ou uma realidade concreta, sem que esta antes não fosse produzida. A origem de qualquer coisa deve necessariamente partir de uma decisão inteligente de fazê-la vir à existência. Somente um Ser Sumo Inteligente e Todo-poderoso é capaz de criar do nada qualquer elemento.

A razão humana é limitada e não possui capacidade de especulação capaz de ultrapassar esta realidade; ela consegue no máximo chegar à conclusão de que uma Transcendência deu origem e ordenou todas as coisas, ao mesmo tempo é o princípio que mantém a mesma existência de todas as coisas. Esta Transcendência é chamada de Deus.

O homem é capaz de chegar ao conhecimento de Deus. Contemplando o que existe na natureza: a terra e tudo o que nela existe, o céu e tudo o que o compõe, o homem e toda a sua complexa estrutura bio-psico-espiritual. Enfim, por meio do esforço racional, o homem é capaz de chegar à constatação da existência de Deus. Não se trata de uma constatação sensível, como, por exemplo, uma descoberta feita em laboratório ou pelos órgãos do sentido. Trata-se de chegar à conclusão de que qualquer coisa possui uma origem. Como disse acima, a origem de todas as coisas acontece porque um Ser criou tudo do nada. Conhecer como este Ser é e como Ele se relaciona com o ser criado só pode acontecer caso Ele se revele ao homem.

Ao reconhecer a existência deste Ser chamado Deus, naturalmente se reconhece que se trata de uma verdade sólida e imutável. Reconhecer, portanto, que Deus existe é um ato de experiência pessoal. Essa experiência de adesão a essa verdade é um ato humano, o qual expressa a busca incessante do homem em vista de um desejo de encontro com uma realidade que constantemente o provoca interiormente, o deixa inquieto até que o encontro se realize.

A realidade de Deus, uma vez encontrada, na verdade, expressa um deixar-se encontrar da parte do homem. Deus sempre procurou o homem, a busca do homem pelo Senhor e a adesão a Ele manifestam o acolhimento da pessoa ao eterno convite. Deus criou o ser humano para se relacionar com ele como amigo.

A é a resposta do homem a Deus, que a ele Se revela e Se oferece, resposta que, ao mesmo tempo, traz uma luz superabundante ao homem que busca o sentido último da sua vida (cf. CIC 26).

Este texto é um esboço de um livro que estou escrevendo. Seu comentário é importante para o desenvolvimento desta obra. Na próxima reflexão começarei a me aprofundar nessa busca do homem.

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.