Culto autêntico

A Verdade vos libertará

As verdades que existem só podem proceder da única verdade que é o Cristo

Estamos passando por uma profunda indiferença religiosa do sagrado e a verdade está em crise, pois, o povo tem se afastado da Verdade. Uma vez que, a verdade designa o plano de Deus e sua vontade, torna também mistério.

Foto ilustrativa: Wesley Almeida / cancaonova.com

Mas, agora é o tempo da manifestação da Verdade única que é o Cristo, a qual se manifesta ao mundo para nossa redenção. É pela verdade e na verdade que somos remidos dos nossos pecados.

Jesus é a única Verdade; as verdades que existem só podem proceder da única verdade que é o Cristo. Fora Dele tudo é mentira. Deus é a própria verdade e como tal não Se engana nem se pode enganá-Lo. Ele é luz e n’Ele não há trevas (cf. 1 Jo 1,5). O Filho eterno, a Sabedoria encarnada, foi enviado ao mundo para dar testemunho da verdade (cf. Jo 18,37).

Libertos da mentira

O demônio tem espalhado falsas verdades e, com isso, muitos o seguem, afastando-se do caminho verdadeiro que só brota do Cristo: “Se, pois, o Filho vos libertar, sereis verdadeiramente livres” (Jo 8,36).

Leia mais:
.: Papa Francisco ensina que é preciso comunicar a verdade
.: Era da pós-verdade e quase mentira: é preciso cultivar a formação da consciência moral
.: As pequenas mentiras nos tornam incapazes de falar a verdade

Que mentira você tem assumido em sua vida? E o que a tem regido? Jesus veio para nos libertar de toda mentira e para reinar em nossos corações. O demônio é o pai da mentira desde o princípio. É necessário retirar todas as máscaras que a mentira foi colocando em você e fazendo com que fosse se afastando da forma como Deus o criou.

“Todo homem tem o direito e o dever moral de procurar a verdade, especialmente no que diz respeito a Deus e à sua Igreja e, uma vez conhecida, abraçá-la e guardá-la fielmente, prestando a Deus um culto autêntico. Ao mesmo tempo, a dignidade da pessoa humana exige que em matéria religiosa ninguém seja forçado a agir contra a própria consciência nem impedido, nos justos limites da ordem pública, de agir em conformidade com a sua consciência, de modo privado ou público, de forma individual ou associada” (Compêndio do CIC, 444).


Padre Reinaldo Cazumbá

Sacerdote membro da Canção Nova, estudante de psicologia, atua no Instituto Teológico Bento XVI e também exerce a função de diretor espiritual dos futuros sacerdotes da comunidade. Autor do livro: “Onde está Deus?”. Acesse: blog.cancaonova.com/padrereinaldo

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.