Símbolos da Páscoa

O Fogo
No Sábado Santo a celebração é iniciada com a bênção do fogo, chamado de ‘fogo novo’. Na liturgia Cristo é esse fogo que veio limpar o mundo do pecado, da desesperança, do ódio pregando e instaurando o Reino de Deus (Mt 3,11; Mt 13,40; Lc 12,49; Hb 12,29).

O Círio Pascal
O que é o Círio Pascal? É aquela grande vela decorada sendo a cruz o desenho central. Aqui novamente o fogo é o elemento principal. Cristo é a luz que ilumina a vida do cristão para que ele não caia nas trevas da desesperança, da vida sem sentido, do egoísmo e da maldade (Jo 8,12; Rm 2,19; Lc 8,16). O círio, simbolizando Cristo ressuscitado, nos apresenta como uma grande coluna de fogo para guiar e iluminar a humanidade (Ex 13,21; ).

A Água
Na celebração do Sábado, véspera da Páscoa, acontece a bênção da água que será utilizada nos batismos durante o ano. Para o cristianismo: Cristo é a verdadeira Água (Jo 4,9-15); a Água da vida que livra para sempre o homem do egoísmo e da maldade.O batismo é a resposta do ser humano à proposta de Deus. Por isso após a bênção da água se realiza a renovação das promessas batismais (Rm 6,1-11).

O Cordeiro
O cordeiro é o símbolo mais antigo da Páscoa. No Novo Testamento, Cristo é o Cordeiro de Deus sacrificado uma vez por todas em prol da salvação de toda a humanidade. É a nova Aliança de Deus realizada por seu Filho, agora não só com um povo, mas com todos os povos.

Óleos Santos
Na quinta feira santa é celebrado nas catedrais a Missa do Crisma, onde os óleos, usados no batismo, crisma e unção dos enfermos, são abençoados. Para nós cristãos, os óleos simbolizam o Espírito Santo, aquele que nos dá força e energia para vivermos o evangelho de Jesus Cristo.

Pão e Vinho
O pão e o vinho, sobretudo na antiguidade, foram a comida e bebida mais comum em muitos povos. Cristo ao instituir a eucaristia se serviu dos alimentos mais comuns para simbolizar sua presença constante entre e nas pessoas de boa vontade. Assim, o pão e o vinho simbolizam essa aliança eterna do Criador com a sua criatura e sua presença no meio de nós.

As vestes brancas
As vestes de Cristo na transfiguração (Mt 17,2) se tornaram resplandecentes de brancura. O branco simboliza a pureza, a paz e ao mesmo tempo a plenitude. Em Cristo não há mais espaço para o pecado. Ele assumiu todos os pecados dos homens. Nele foi restabelecido a unidade primitiva da criação, isto é, a aliança entre Deus e o homem. Em Cristo a humanidade foi divinizada.

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.