13 maneiras eficazes de desmotivar alguém

Não sou supersticioso, mas geralmente, com exceção do Mário Jorge Lobo Zagallo, o número 13 é visto como um número associado ao azar. Isto é tão verdade que em alguns países não existem o 13º andar nos prédios e nem a poltrona de número 13 nos aviões. Sendo ou não um número do azar, aqui vão 13 dicas, que se bem usadas, com certeza, vão lhe trazer um azar profissional muito grande: O fracasso como líder e conseqüentemente o seu fracasso profissional. Vamos a elas:

1. Diga para uma pessoa que ela é um erro, que tudo o que ela faz dá errado

Esta é uma das formas eficazes de incutir em uma pessoa o gene do fracasso. Quando dizemos a uma pessoa que ela é um erro, tiramos-lhe o seu valor. E quando isso acontece, as pessoas começam a se “vender” por pouco. Por muito pouco largarão o emprego, por muito pouco poderão roubar e desviar dinheiro, e enfim, por muito pouco já não se interessarão pelo bem-estar da companhia.

2. Não dê confiança a uma pessoa

Quando não damos confiança a uma pessoa, estamos praticamente deixando claro que sabemos que um dia ela irá nos trair. É como se eu dissesse a alguém de maneira indireta: “Olha, eu estou de olho em você, sei que se der mole você vai me sacanear!” Por incrível que pareça, não confiar é a melhor maneira de ser sacaneado. A pessoa pensa “Bem, já que ele espera que eu faça isso, é isso que eu vou fazer!” Claro que confiança nunca foi sinônimo de falta de prudência. É lógico que não vou contratar como financeiro da minha empresa alguém em quem eu não confie, mas existem muitos níveis de confiança para serem praticados.

3. Trate-a como um número

Quando tratamos as pessoas simplesmente como um número produtivo que pode ser substituído a qualquer momento criamos pessoas individualistas, que não entendem seu papel no processo produtivo. Além disso, a falta de confiança é apontada como sendo uma das principais causas da desmotivação no trabalho.

4. Não ouça suas opiniões e pode-a toda hora

Além de minar a criatividade, podar as opiniões e não ouvir as pessoas, deixam-nas desanimadas e imparciais à situação da empresa. Não espere que agindo assim seus funcionários fiquem alguns minutos a mais por dia trabalhando ou que “vistam a camisa da empresa”. Só se sente participante quem opina e vê que ao menos suas sugestões são ouvidas sem interrupções e preconceitos.

5. Quando uma pessoa errar diga para ela que você sabia que isso ia acontecer

“Ah! Eu sabia que você não era capaz!” Esta é uma maneira poderosa de desmotivar uma pessoa e fazer com que ela desconfie do seu potencial, de forma que não vai se desenvolver. Uma pessoa que ouve muito isso, torna-se temerosa. Lembro-me de um colega no primeiro grau que todo jogo (todo jogo mesmo!!!) fazia um gol contra. Antes do jogo começar, as pessoas já diziam: “Ei, o Fulano fica para o time de vocês!” O nervosismo do rapaz em não fazer gol contra era tão grande que… Adivinhem!? Ele acabava fazendo gol contra.

6. Não reconheça os acertos das pessoas

Embora eu também acredite que as pessoas devem ser as melhores naquilo que fazem, independentemente de qualquer outro motivo, tenho a certeza de que reconhecimento é muito importante. É por meio desse “reforço positivo” que deixamos claro do que gostamos e incentivamos estas atitudes, de forma que se repitam. Deixamos claro que estamos observando as pessoas e que nos preocupamos com suas atitudes. Também mostramos que não vemos só as deficiências, mas também valorizamos os acertos e idéias criativas.

7. Quando a pessoa tiver uma idéia brilhante, diga que ela é paga para isso mesmo

É melhor dar uma cacetada em alguém do que dizer isso. Certamente, você, que está lendo este artigo, deve estar pensando: “Ai, vou enviar este artigo para o meu chefe!”. Ou ainda: “Vou imprimir um papel, deixar na mesa dele e sair correndo”. Claro que as pessoas são pagas para terem um bom desempenho, mas isso não significa que devam ser desvalorizadas e esnobadas por isso. Na verdade, a mesma pessoa que fala coisas desse tipo, é a mesma que diz que na sua empresa: “o funcionário ‘não deve pensar’, somente trabalhar”. Só tenho uma coisa a dizer sobre essas pessoas: faça uma previdência privada bem “gorda”. E urgente!

8. Brigue muito por pouca coisa

Existem gerentes e pessoas que são os verdadeiros chatos. Brigam com o funcionário por 2 minutos de atraso, o que só aconteceu em 6 meses. Querem a cafeteira virada para o Norte, que a funcionária use batom rosa em vez do vermelho e coisas deste tipo.

9. Use dois pesos e duas medidas

Uma excelente maneira de desmotivar pessoas é – em uma mesma ou similar situação – tratar duas ou mais pessoas de maneiras distintas. Uma é exaltada, a outra é xingada, quando, no entanto, a situação é parecida. Isso faz com que as pessoas comecem a perceber que as “panelinhas” se dão bem naquela empresa. Elas tentarão entrar nelas [“panelas”], custe o que custar, ou abandonarão a sua empresa; ou, pior ainda: começarão a sabotá-la.

10. Seja relaxado e faça de conta de que não está nem aí

Pior que o chato é aquele que é alheio a todas as coisas. Não está nem aí com resultados, com nada. Nem com a funcionária ligando para o namorado no Japão, nem para o garoto jogando paciência em horário de trabalho. Isso desmotiva porque os funcionários percebem que – se nem o dono entrou no barco – por que eles deveriam entrar?

11. Ache-se superior às pessoas

Alguns se esquecem de que cargos, cartões de crédito, carros, são simplesmente coisas. Esquecem-se que mais importante do que TER é SER uma pessoa excelente. Talvez acreditem que vivam mais por terem cargos gerenciais ou de diretoria. Não é porque temos mais que somos mais. Existem dois tipos de pessoas que desmotivam as pessoas dessa maneira: aquelas que pensam que são “deuses” e aquelas que têm “certeza” de que o são.

12. Seja indiferente com elas

Não responda quando o cumprimentarem, não olhe as pessoas nos olhos, finja que não as conhece e nem se dê conta da presença delas.

13. Xingue-as e critique-as na frente dos outros

Chame-as de “burras”, ignorantes, irresponsáveis, incapazes. Pior: faça isso com freqüência e em voz alta na frente dos outros. É uma das maneiras mais eficazes de fazer com que os índices de suicídios aumentem.

E, então, 13 é um número comum, da sorte ou do azar? Talvez seja um ou outro, dependendo da sua decisão.

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.