Vícios

Como se manter longe do vício?

Uma vez erguido, é preciso manter-se em pé

Estamos, agora, no quinto estágio da abordagem motivacional, em que a pessoa busca se manter na ação realizada, tentando afastar-se do uso abusivo e nocivo da substância psicoativa. Trata-se da etapa de manutenção. A comprovação da efetividade, nessa fase, é a sua estabilidade, sendo que o desejável é que nela o indivíduo permaneça por anos. No entanto, diferente do que a maioria das pessoas imagina, essa não é uma etapa estática. Ao contrário, é dinâmica, pois precisa de tempo para seu estabelecimento e exige um constante movimento do dependente e daqueles que o cercam para auxiliá-lo a não retomar o caminho anterior de uso da droga.

Como manter-se longe do vício - 940x500

Aqueles que desejam ajudar, sobretudo os membros da família, devem manter os ganhos do tratamento, estimulando sempre o novo comportamento. Para isso, é possível lançar mão de uma prática estratégia de apoio.

:: Veja a série completa 

Ela consiste em:
-resistir à tentação;
-buscar algum grupo e integrar-se a ele;
-reconhecer e administrar as recompensas

No consultório, para ilustrar de modo claro e simples esse estágio do processo de mudança, trago a figura de uma bicicleta. Uma vez em movimento, é preciso que o ciclista mantenha-se em equilíbrio, para que não caia nem se machuque. Para isso, é essencial que a bicicleta não pare, pois isso fatalmente levaria o seu condutor à queda. Nesse caminho, pode haver distrações que tentem o condutor a parar. Para isso, é bom que haja interação com outros ciclistas que seguem na mesma direção. Por fim, concluo a comparação lembrando o quanto é importante sentir o vento, a sensação de liberdade e de prazer no ato de pedalar, aproveitando bem as recompensas dessa prática saudável.

Essa fase do tratamento exige maturidade para entender que é preciso, mais do nunca, vigiar, pois se manter no caminho iniciado exige da pessoa um constante e renovado compromisso para, assim, evitar a recaída. Como em uma dança, é hora de “manter o ritmo” para não tropeçar, desequilibrar-se e cair. A atenção aos passos agora é fundamental, pois a música segue e o dançar da vida continua.

“Assim, quem crê estar firme, tenha cuidado para não cair” (1 Coríntios 10,12)


Érika Vilela

Mineira de Montes Claros (MG), Érika Vilela é fundadora e moderadora geral da comunidade ‘Filhos de Maria’. Cursou Medicina pelas Faculdades Unidas do Norte de Minas e especialista em psiquiatria pelo Instituto de ciências da Saúde, e em Dependência Química pela UNIFESP.

Érika atua como pregadora, articulista, missionária pela Casa Mãe de Misericórdia e médica na Estratégia Saúde da Família e na Clínica Home-Med. Evangelizadora com fé e ciência, duas asas que nos elevam para o céu, ela tem a bela missão de encontrar, na união mística com a dor salvífica de Cristo, a força para seguir em frente, sabendo que Deus opera sempre as Suas maravilhas!

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.