assista

O pessimismo pode ser algo que herdamos de nossos antepassados?

Pessimismo é hereditário?

Sim, pessimismo pode ser hereditário. Pesquisas mostram que herdamos dos nossos antepassados seus traumas, sendo possível observar isso até em alterações de enzimas no nosso mapa genético, como explico no vídeo a seguir. Já ouvimos alguém dizer, por exemplo: “Ele herdou o gênio do pai”, “É ranzinza igual a avó”, “É preguiçoso como o tio”, “É burro igual a mãe”, “É lerdo como a tia”, “É desajeitado igual ao pai”. Podemos acrescentar, portanto: “É pessimista igual a …” (Espero que não seja igual a você!).

-O-pessimismo-pode-ser-algo-que-herdamos-de-nossos-antepassados?-Foto: Daniel Mafra/cancaonova.com

Além disso, ainda somos seres que tendem a se condicionar aos comportamentos a nossa volta. Se convivermos com alguém pessimista, mesmo que não seja parente, teremos a tendência de repetir o mesmo padrão. O cérebro aprende copiando comportamentos e repetindo-os, até que eles fiquem automáticos. Não precisamos mais pensar para fazer, o que, de certa forma, economiza energia cerebral.

Você pode se perguntar: “É isso? Não tem solução? Terei de me contentar em ser como meus parentes?”. Tenho uma notícia otimista para lhe dar: Têm solução! Dentro de nós há uma dimensão que é livre e pode decidir novas coisas. Somos seres condicionáveis, mas não condicionados, portanto, podemos fazer novas escolhas. Em vez de sermos iguais nos pontos negativos de nossos parentes, podemos escolher os pontos positivos, seus dons (a arte, a dança, a perseverança, a alegria, a capacidade de amar).

Assista:

Nosso cérebro tem uma capacidade gigantesca de achar outros caminhos, outros atalhos. Afinal, somos livres, somos seres que têm, dentro de si, esperança e amor. É só acordar essa parte adormecida e ver o mundo, as pessoas, as coisas com o mesmo olhar de quem as criou.

Espero, imensamente, que nossos filhos sintam orgulho de dizerem que se parecem conosco, nos nossos pontos mais fortes e mais belos. Que sejamos aqueles que vão gerar a mais bela geração que está por vir, capaz de curar todas as feridas, todo o pessimismo.

Leia mais:
::Como podemos falar sobre a morte com as crianças?
::Como os traumas da infância podem afetar a vida adulta?
::Traumas da infância podem afetar a vida matrimonial
::O bullying pode estar mais perto de você do que imagina

 

Adquira esse livro em nossa loja virtual

 


Adriana Potexki

Adriana Potexki é escritora e autora dos livros ‘A cura dos sentimentos em mim e no mundo’ e ‘A cura dos sentimentos nos pequeninos’. Com formação em Psicologia, ela é terapeuta certificada pelo EMDR Institute, palestrante internacional e blogueira do site ‘Sempre Família’, do Grupo GRPCom.

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.