Evangelize

Como ser um líder com pensamentos cristãos?

A Igreja precisa de cristão que seja líder e fiel a Palavra de Deus

Quanta carência em nossas paróquias, movimentos e pastorais de lideranças! Quando questiono o porquê, as respostas são variadas, mas têm pontos em comum. Uma delas é que não existem pessoas preparadas, pode ser verdade, mas isso só será resolvido se o líder atual tiver uma mente aberta para descobrir talentos onde nem mesmo a pessoa sabe que existe. Jesus ao escolher os 12 apóstolos, despertou neles, primeiro, o amor e, depois, o pastoreio.

Na Bíblia lemos que Deus não chama os capacitados, mas capacita os escolhidos. Jesus trabalha nos apóstolos a mente deles, Porque eles eram aquilo que pensavam sobre o mundo, a religião e as pessoas. Trabalha na mentalidade deles, por saber que é ali que as batalhas começam, fazendo uma metanoia nos pensamentos. Com isso, consegue que eles ajam diferentes e de forma criativa.

-Como-ser-um-líder-com-pensamentos-cristãos

Foto Ilustrativa: FatCamera by Getty Images

O líder precisa ter ideias novas

Assim como o apóstolo Paulo quando foi evangelizar os pagãos, ele entendia a forma como eles pensavam para estabelecer, na mentalidade deles, o pensamento cristão. Jesus revolucionou pequenas e grandes comunidades; usando de situações diárias, Ele detectava problemas e exortava de forma inteligente aos amigos e inimigos.

Diante da mulher adúltera, Jesus solicita que atire a primeira pedra quem não tenha pecado, isso faz as pessoas repensarem a lei e a forma de usá-la, mas acima de tudo, obriga cada um a olhar para si mesmo. Mostra com isso, uma mente fotográfica, que registra a cada um, porque o líder precisa desenvolver a capacidade de conhecer e levar as pessoas a enxergarem suas qualidades e limites, para que tenham uma mente aberta ao conhecimento e à flexibilidade de transformar sempre o que for preciso, tendo os valores cristãos como uma bússola confiável no norteamento do quê, de quando e como mudar. O líder precisa muito introjetar a Palavra de Deus na mente dele, porque, nos momentos de decisão, o pensamento cristão dele, é o que norteará as suas ações.

Evangelizar e servir a Deus

Jesus ensinou, com o exemplo, que o líder deve ter uma mente servidora. Isso foi uma grande batalha, porque os apóstolos enxergavam n’Ele um rei de acordo com a visão do mundo e, entre si, disputavam os primeiros lugares. O Mestre não desistiu dos Seus discípulos, pois não queria só transformar a mentalidade deles, mas também, o coração de cada um.

Ele mostrava que necessitava de orações para cumprir a vontade do Pai, Sua liderança espiritual foi preponderante para que, depois de um tempo, os apóstolos pudessem resgatar lembranças que nortearam o resto da vida deles, transformando simples pescadores em grandes líderes, que levaram a mensagem com força e coragem. Eles aprenderam a glorificar e a confiar que Deus cuida dos seus e a cumprir as promessas. Passaram a lembrar de que deviam amar os amigos e inimigos, os perdoando pelos males e libertando dos sentimentos negativos, tais como medo e vingança.

Buscar ter uma alma alegre no Senhor, isso traz esperança e vida nova diante dos problemas, as muralhas não são intransponíveis, porque, a mente instruída e encorajada pela Palavra sabe que, no final, a vitória é certa. Aprende-se que ninguém constrói uma casa sem antes fazer um bom planejamento, mas muitos nunca iniciam, pois ficam sempre esperando a situação ideal. E, a fé nos ensina que precisamos colocar o pé para que o Senhor coloque o chão. Alimentar-se, diariamente, da intimidade com Deus desenvolve uma mente otimista, confiável e incansável que leva as pessoas a quererem transformar pessoas e situações ao seu redor, como Paulo que enxergava a necessidade de cumprir a corrida.

Leia mais:
.: Cristo é o melhor modelo de liderança
.: Quais as qualidades que um líder cristão precisa ter?
.: Santidade para o nosso tempo
.: Evangelização self-service, o que isso quer dizer?

Características do líder cristão

Uma característica de mente de líder é a articulação no sentido da capacidade de entender que precisa dos outros para chegar a vitória; o que não pode ser confundido com manipulação de pessoas. Levar os outros exige do líder ser resoluto, organizado e eficiente, para não ser desviado dos objetivos propostos. Lembrando de que, pessoas preguiçosas não podem liderar, porque precisam estar aptos a serem educadores que questionam a si e aos outros, que analise os conteúdos que lhe são apresentados, que busquem respostas para transformar a mentalidade de seus liderados a partir dos valores cristãos.

A liderança inspirada em Deus ensina a não sermos pessoas mornas

A liderança inspirada em Deus ensina a não sermos pessoas mornas, e sim zelosas, fervorosas, movidas internamente pela força do Espírito. E, também, dóceis; para que os temperamentos individuais possam ser dominados de forma que possuam equilíbrio sobre as suas emoções. Esse domínio próprio ensina que o homem não pode ser dominado pelas paixões, mas que a sua mente e o seu corpo devam ser submetidos para que não atrapalhem os planos de Deus vida dele.

É claro que, esse domínio não é fácil de ser adquirido, leva tempo. Então, o líder precisa desenvolver a resistência à crítica dos seus liderados, ao cansaço da jornada e às intemperes do cotidiano. Para isso, precisa ter uma mente com conhecimentos teológicos corretos, os olhos voltados para o futuro, ouvidos abertos à voz de Deus, um coração humilde, braços abertos para receber os outros, estômago para digerir as dificuldades e pés calcados em Deus para não se perder na caminhada.

Ao ler esse texto não desanimem, porque vem à memória que são muitas as qualidades necessárias a um líder, ele não precisa ter excelência em todas elas, assim como um maestro não toca todos os instrumentos. Entretanto, estuda a partitura, treina individualmente cada música e coordena com a batuta o momento de entrada de cada instrumento. As pessoas que pautarem à vida em Cristo, buscarem entender como funcionava a mente d’Ele, aderirem à vida a missão de salvação das pessoas e transformarem os pensamentos em ação, com certeza receberão a força do alto, que completará tudo o que falta na sua humanidade.


Ângela Abdo

Ângela Abdo é coordenadora do grupo de mães que oram pelos filhos da Paróquia São Camilo de Léllis (ES) e assessora no Estudo das Diretrizes para a RCC Nacional. Atua como curadora da Fundação Nossa Senhora da Penha e conduz workshops de planejamento estratégico e gestão de pessoas para lideranças pastorais.

Abdo é graduada em Serviço Social pela UFES e pós-graduada em Administração de Recursos Humanos e em Gestão Empresarial. Possui mestrado em Ciências Contábeis pela Fucape. Atua como consultora em pequenas, médias e grandes empresas do setor privado e público como assessora de qualidade e recursos humanos e como assistente social do CST (Centro de Solidariedade ao Trabalhador). É atual presidente da ABRH (Associação Brasileira de Recursos Humanos) do Espírito Santo e diretora, gerente e conselheira do Vitória Apart Hospital.

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.