Uma gaiolinha para o coração...

Bem apertadinho ele fica lá dentro, tão angustiado quase não bate direito. Suas asas são o amor, mas ele ainda preso não consegue voar…

Ninguém pode nos impedir de amar, a não ser nós mesmos; ninguém pode engaiolar nossos corações sedentos de amor, a não ser nossa própria decisão. É sempre tão sofrido viver as situações de frustração e decepção com pessoas que amamos. A gente até sabe que ninguém é perfeito, que todo mundo é passivo de erros, mas quando pisam no nosso pé… hum! Como dói, dói no coração.

Eu me alegro em viver essas situações, Deus é o máximo e nossa vida uma escola. Ele vai nos ensinando, dessa maneira, o caminho da cura e mostrando as feridas. Eu gosto muito de me perceber, de rever minha vida a cada situação, de pensar sobre os acontecimentos sejam eles quais forem, é uma maneira de fazer com que eles sejam de fato parte da minha vida é um jeito de aprender a viver. E quando essas situações acontecem não é diferente.

Às vezes, ficamos bravos com pessoas que amamos e nos privamos do prazer de tê-las conosco quando no fundo, no fundo o que mais desejamos é ter o amor delas. Descobri que perdoar é uma atitude inteligente, porque me faz ter aquilo que quero. A presença dos amigos, o carinho de quem eu amo, o abraço, o sorriso, a alegria das conversas.

Quando acontecem as brigas, depois de um tempo, sofremos muito mais pela ausência do que pela decepção vivida. Ficar contrariado é normal e é bom até dar um tempo a si mesmo, pensar, refletir, cuidar do coração isso pode levar tempo, mas se depois disso bater a saudade daquela companhia tão agradável, do papo, do sorriso, do abraço, das partilhas, das brincadeiras… não fique com o coração na gaiola, abra a portinha e voe!

Há um provérbio chinês, o qual gosto muito, que diz assim: “A porta mais bem fechada é aquela que pode se manter aberta” Eu decidi que na minha vida a porta pode até ficar no lugar dela, é bom ter uma portinha, às vezes, precisamos encostá-la e ficar quietos para melhor ver as coisas, mas nunca fechá-la.

Quero deixar minha porta aberta, para todos aqueles que passaram pela minha vida independente dos acontecimentos e a chave para essa porta é o perdão; é ele que me faz livre para voar. Não querendo desmerecer o sofrimento de ninguém, mas sinceramente acho a falta de perdão uma perda de tempo, sofrer faz parte, mas amar faz tudo, basta querer, decidir, escolher.

E o tempo? O tempo é tão breve, passa, como tudo nessa vida, mas é muito triste quando as coisas passam sem que tenhamos vivido. Fiquei contando quantas vezes eu já parei no tempo para me questionar: Eu poderia ter vivido isso; eu poderia ter falado aquilo; poderia ter abraçado; poderia ter beijado; poderia ter dado aquela flor como sinal de perdão; ou escrito aquele bilhete; ou correspondido aquele sorriso.

Também não vou ficar me culpando pelo amor que poderia ter dado e não dei, isso também é lição. Agora já sei o que não posso fazer. A verdade é que sempre é tempo de recomeçar.

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.