Autoestima

Maquiagem para enxergar o avesso

A maquiagem vai além da cor, dos traços e da vaidade

Esses dias, um amigo maquiador teve uma ‘sessão sinceridade’ comigo e disse que achava um absurdo eu não usar maquiagem diariamente. Logo eu, que prezo tanto o belo, a maquiagem, a autoestima, o cuidado com o corpo… Enfim, minha resposta foi automática: “Se você soubesse a correria que é o meu dia, com certeza não me diria isso. Não dou conta nem do que preciso fazer, imagine o resto!”.

O tempo passou e o que ele me disse acabou fazendo sentido para mim. Entendi que separar dez minutos do dia para fazer uma maquiagem simples, mesmo em meio à correria, não é algo banal ou supérfluo, mas sim um benefício enorme para elevar e fortalecer a autoestima, algo primordial para enfrentar as surpresas da vida com mais sustância.

Foto: Wesley Almeida / cancaonova.com

Percebo o olhar diferente das pessoas para mim quando estou maquiada. E o que mais me chama à atenção é a forma com que me olham, como se enxergassem uma força maior ou algo que não se pode definir, mas que está ali e se expressa por meio da maquiagem, a qual, nesse momento, serve como um ímã atraindo algo de dentro para fora.

A maquiagem vai além da cor, dos traços ou da vaidade. É imensamente mais que uma simples arma de sedução. Há nela um mistério inquieto e consistente, ao mesmo tempo, completamente sutil, e que nós mulheres temos o direito e dever de absorvê-lo. Não apenas pela técnica, mas com vontade de viver e se conhecer. É maquiagem para enxergar o avesso.

Maquiagem como meio e não como fim

Ao detectar isso, decidi perseguir essa imagem e descobri que a maquiagem é um meio e não simplesmente um fim. Externamente, ela evidencia a beleza natural; internamente, potencializa e traz para fora o que temos de melhor e talvez não tão conhecido nem trabalhado. A maquiagem tem importância e merece espaço considerável na vida de toda mulher. Portanto, ‘ganhe’ tempo com ela, vale a pena o investimento. Além disso, pense que sua beleza é única, portanto, pode e deve ser descoberta e aprimorada cada vez mais. Tudo isso pensando no seu bem, na possibilidade de assumir, cada vez mais e melhor, o lugar que já é seu; dessa forma fazer bem para as pessoas que estão ao seu lado, pois o efeito é concreto e contagiante.

Acredito que a beleza é algo interior, quase que totalmente desvinculada do exterior no sentido de que sem ela o que é bonito é fugaz, enquanto o que é belo é eterno. Assumi-la e exteriorizá-la trabalha a coragem e a liberdade de ser simplesmente o que se é. Permite tomar posse do próprio potencial, desenvolve e eleva a autoestima e abre um leque de possibilidades diante da vida. Lembrando que a vida é feita de ciclos e se constrói em meio às dúvidas e incertezas.

Enxergar a beleza da vida

Enfrentar a vida com mais ou menos beleza é questão de escolha, e você tem razão em qualquer uma delas. É muito mais do que erro ou acerto, é a experiência de viver com liberdade, coragem e responsabilidade as consequências dos próprios atos.

Uma coisa é certa: a vida é bela independentemente dos acontecimentos. Constatar isso depende da leitura que se faz diante dos fatos. Quanto mais sua beleza interior estiver trabalhada e exteriorizada, mais possibilidade terá de enxergar a beleza da vida.

Leia mais:
.: Bondade e beleza fazem parte da mulher
.: Toda mulher tem sua beleza única, seu encanto próprio
.: Descobrindo a beleza da vida

Pode soar como loucura da minha parte por conta também da correria do seu dia a dia, dos milhões de afazeres que eu sei que você tem, mas, mesmo assim, eu o convido a fazer o seguinte: separe 10 minutos do seu dia para maquiar-se. Se você não tem o costume de usar nada, passe rímel e batom que já está de bom tamanho para começar. O resto é questão de tempo. Pense que essa maquiagem é para enxergar o avesso também.

Tente manter-se fiel no propósito e, depois, conte-me o resultado. Pode ser?

Uma coisa é certa: hoje, podemos ser melhores do que ontem, simplesmente porque há muito por se descobrir. Tenha um ótimo trabalho!


Márcia Ribas

Márcia Ribas é formada em Comunicação Social (Rádio e TV), pós graduada em Counseling –  “a via intermediária entre o psicoterapeuta e o cabeleireiro”. Com o desejo de usar da beleza e autoestima para ajudar as pessoas no processo de uma busca autônoma de solução ou transformação em suas vidas, Márcia criou um blog que relata sua experiência ao emagrecer quarenta quilos através de reeducação alimentar e atividade física. Em seu blog relata como foi altamente impactada ao descobrir o valor de ser gente, única e digna de cuidado, atenção e amor próprio. Página pessoal da autora: marciaribas.com.br

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.