Mês Vocacional

Jovem médica confirma vocação profissional na Canção Nova

Allyne Marchioni teve vocação profissional confirmada durante acampamento de oração

Meu nome é Allyne Marchioni, sou da cidade de Piraúba (MG). Minha vocação profissional está ligada à Canção Nova desde quando, em 2009, no início da minha caminhada na , fui convidada a participar de um acampamento de oração. Nessa época, estava muito indecisa sobre minha escolha profissional.

Antes de ir a esse acampamento, eu dizia aos meus pais que precisava de uma resposta de Deus sobre minha profissão, pois acreditava que Ele falaria comigo durante o evento.

Eu queria muito que Deus falasse de forma direta, pois, de maneira indireta eu poderia continuar com incertezas. Estava na dúvida em tentar a carreira em medicina mas tinha muito medo, pois acreditava que medicina não era para mim , achava algo utópico, mas dentro de mim, havia esse desejo

Fui, então, para esse acampamento buscando uma resposta de Deus. Era a primeira vez que eu visitava a Canção Nova.

As pregações iam acontecendo e eu esperando ouvir algo, mas não ouvia a voz de Deus. No entanto, tinha muita certeza de que Deus falaria. Até que chegou o último dia, e só restava a Missa de encerramento  para ser celebrada. Durante a homilia, o presidente da celebração falou para sermos pessoas de Deus, e citou a medicina. Disse para sermos médicos de Deus, e também disse para construirmos uma família em Deus.

Lembro que naquele momento, aquelas palavras tocaram meu coração e eu chorei muito pois tinha rezado o tempo todo por uma resposta. Embora muitos possam ter se identificado com aquilo, eu assumi como algo direcionado para mim, aquelas palavras foram a resposta de Deus para mim. Eu tinha ido a CN para ouvir Deus falar e Ele assim o fez. Meu coração ardeu.

(trecho da homilia de Frei Josué, realizada no acampamento em 2009)

No outro ano, ainda tinha dúvidas. No momento da inscrição para o vestibular, eu cheguei a escolher engenharia civil, já que minhas notas não iriam atingir a nota mínima de medicina. Mas, no último momento, antes de pagar a inscrição para engenharia, acabei desistindo e me inscrevi para medicina. Fiz a prova, mas não passei.

A promessa de ser uma médica de Deus

Já havia feito PROUNI, tentando entrar em uma faculdade pela nota do ENEM; então, cheguei a ser aprovada em odontologia, em Duque de Caxias (RJ). Com medo do futuro incerto, fiz minha inscrição, pois não queria abrir mão de um curso que havia passado.

Quando cheguei na cidade, não gostei do lugar; então, conversei com minha mãe. Disse que não havia, realmente, tentado medicina, não tinha estudado suficiente para passar nesse curso. Então, decidi fazer curso pré-vestibular.

No ano de 2011, ano em que iniciei o curso pré-vestibular, retomei minha caminhada na fé. No ano anterior, havia me afastado do Senhor.

Essa época foi muito difícil para mim. Para ser sincera, eu já nem lembrava da promessa de Deus, mas retomei minha vida de oração e comecei a participar de grupos de oração.

Nesse mesmo ano, fiz a prova do ENEM para a primeira fase de medicina pela Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), e fui aprovada para a segunda.

Jovem médica confirma sua vocação profissional na Canção Nova

Foto: Arquivo Pessoal

A promessa de uma família de Deus

Paralelamente à minha história com a medicina, havia a promessa de uma família de Deus.

Eu tinha um amigo chamado João, nos conhecíamos desde o Ensino Médio. Estudamos e nos formamos juntos na cidade de Leopoldina (MG); depois, fomos para Juiz de Fora (MG). Ele morava perto da minha casa, pois fazia um curso na área de exatas. Mas sempre o tive como um amigo.

Assim como eu, o João também sempre quis cursar medicina mas já havia desistido de tentar por achar que não era um curso para ele. Em 2011, ele também começou a fazer cursinho para tentar ser aprovado em medicina. Então, mais uma vez, estudamos juntos, e assim, retomamos nossa amizade.

No fim de 2011, prestamos vestibular, mas não passamos em nenhuma faculdade de medicina. Havíamos sido aprovados apenas para a segunda fase de medicina na UFJF devido à nota do ENEM. Essa era a última resposta de todos os vestibulares prestados.

Leia mais:
.: A medicina é a profissão com o dom de salvar vidas
.: Será que estou fazendo a vontade de Deus?
.: Vestibular, o que fazer?
.: Leigo, você tem uma vocação

Na semana que aconteceria o ENEM, eu e o João fomos a uma igreja situada ao lado do local onde seria a prova. E o João sempre me falava que, quando entrasse em uma igreja pela primeira vez, você poderia fazer três pedidos. Então, um dos meus pedidos foi passar no vestibular, e o outro foi que ele continuasse próximo a mim, pois gostava muito dele. O terceiro pedido eu nem me lembro mais.

Passamos no vestibular! Eu fui aprovada na 27ª colocação, e o João em 25º na mesma faculdade. Estudamos na mesma sala. Com isso, nos aproximamos cada vez mais e depois de um ano começamos a namorar.

Eu enxergava o João como um homem de Deus. E queria aquilo para minha vida.

A minha história com a medicina se misturou à minha história com o João. Quando ele entrou na minha vida, tivemos mais força de caminhar na fé juntos. No fim da faculdade, conhecemos o Ministério Universidades Renovadas (MUR), e nos identificamos com o grupo.

Allyne e João
Foto: Arquivo pessoal

 

Médicos a serviço de Deus

Nós nos formamos em medicina no fim de 2017. Atualmente, faço residência em pediatria, e o João em ginecologia e obstetrícia. Como recém-formados, vivemos um processo muito difícil de muitas mudanças e incertezas. A responsabilidade de lidar com outra vida é muito grande.

Nesse ano de 2018, eu e o João conseguimos férias da residência em julho e, coincidentemente, tivemos folga dos plantões de fim de semana, com isso, decidimos ir ao PHN convidados por uma amiga.

Nunca havia participado do PHN, e me emocionei quando cheguei no Centro de Evangelização e vi aquela multidão de pessoas.

Chegamos para missa de sábado, ficamos na arquibancada perto do palco. Próximo ao teto havia um banner com a foto de Jesus Eucarístico e a frase: ” Meus olhos estarão abertos e os ouvidos atentos à oração feita neste lugar!” 2 Cr. 7,15 . Ao ler essa frase, me recordei que há nove anos eu estava naquele local pedindo uma direção profissional e Deus ouviu minha oração. Ele me prometeu e cumpriu.

banner

Foto: Jorge Ribeiro/cancaonova.com

Na hora da homilia, um homem desconhecido, da cidade do Rio de Janeiro, começou a conversar comigo. Ele disse que Deus estava me dando uma nova história a partir daquele dia. Aquilo mexeu comigo, porque foi justamente na hora da homilia de novo. Era como se Deus estivesse me recordando o sentido e o motivo da medicina em minha vida.

O cumprimento das promessas

Neste ano de 2018, eu sou médica e estou com casamento marcado, que acontecerá em setembro de 2019. As promessas se cumpriram e eu não tinha me dado conta.

O PHN para mim foi muito importante por relembrar esse sonho. Eu relembrei os meus motivos, relembrei que Deus cumpre as promessas d’Ele, embora, em vários momentos, eu estivesse longe, Ele nunca me abandonou.

Que seja assim até o fim! Que eu seja serva até o fim. Que Deus faça o que for preciso em minha vida. A minha oração sempre é essa: que Deus não permita que eu me afaste do Seu caminho.

Por Letícia Barbosa

 

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.