Pare e reflita

Pessoas infernais e pessoas celestiais

É possível identificar as pessoas que são infernais ou celestiais

Depende de nós construirmos um mundo que edifica ou destrói quem está ao nosso redor. A vida de cada um de nós pode se assemelhar às alegorias de céu ou inferno. E a nossa língua é uma grande contribuinte na construção desse nosso modo de vida. A simples fala pode destruir ou elevar uma pessoa, uma carreira, uma família, uma amizade.

A partir das conversas no dia a dia, podemos distinguir entre as pessoas infernais e pessoas celestiais.

Pessoas infernais e pessoas celestiaisFoto: Copyright: AntonioGuillem

Pessoas infernais

As infernais, adoram ver o circo pegar fogo. Repassam novidades truncadas que não lhe dizem respeito, aumentam o drama de fatos que viram ou ouviram sobre alguém, e até atualizam o antigo “leva e traz”, por exemplo copiando conversas que tiveram por e-mail ou telefone com alguém, para, agindo de má fé, “partilhar” algo que foi dito só a elas, de forma privada. Elas incitam discussões vazias nas redes sociais, comentam com riqueza de detalhes fatos ruins, complicados e difíceis da vida alheia (e geralmente, a vida alheia não está perto, nem pode se defender).

Pessoas infernais têm a vida conturbada demais, e querem espalhar essa confusão para quem está perto. Elas tem uma existência vazia de significado, não conseguem colocar emoção no seu cotidiano simples e, portanto, precisa fazer da confusão sobre a vida das outras pessoas o centro de sua própria vida. A boca fala do que o coração está cheio, vidas infernais estão com o coração magoado, frustrado, e usam as palavras para transmitir isso para outras vidas.

Pessoas celestiais

Pessoas celestiais também comentam da vida alheia, mas destacando aquilo de bom que cada pessoa tem. A sua personalidade e presença inibe comentários que destroem o outro, pois conseguem trazer um discurso de paz e fraternidade. Em uma discussão, o foco das pessoas celestiais, não é falar das pessoas, mas compartilhar pensamentos e ideias inteligentes sobre qualquer tema, não sobre indivíduos específicos. Pessoas celestiais sabem, com elegância, cortar aquela conversa que não será frutífera, nem chegará a lugar algum sobre alguma tristeza da vida de alguém. Com sabedoria, conseguem perceber que a lenha jogada na fogueira pode ser apagada com educação e afeto, e talvez até a discussão contornada com uma proposta de ação para auxiliar aquela pessoa, naquele problema que está vivendo.

A vida das pessoas celestiais não é fácil, nem vazia, ao contrário, elas tem tanto com o que preencher seu dia a dia, que lhes parece estranho gastar tempo e discurso comentando outras vidas, sem poder auxiliar concretamente.

Leias mais:
.: Falsas amizades
.: O perigo da falsa humildade
.: Perigo no uso das redes sociais
.: Boas práticas nas relações sociais

Seja celestial

Sabe aquela pessoa que sai de perto toda vez que alguém está fazendo fofoca, ou que interrompe a fala maliciosa com um assunto completamente diferente, quebrando a corrente infrutífera daquele papo? Isso é nobre demais, é celestial! Afinal, de fato, as pessoas são livres para falar o que quiserem, mas ninguém é obrigado a presenciar e testemunhar calado a destruição da honra e reputação de alguém, por meio de palavras, nem sempre recheadas de verdade, mas sim de muita maldade.

Pessoas celestiais até convivem com as infernais, mas não fomentam seu destaque ou crescimento, e minimizam a possível influência que essa falas infernais desejariam ter.

Conforme a gente vai deixando esses diferentes perfis se instalarem na nossa vida, nosso cotidiano pode se resumir em céu ou inferno. Depende de nós construirmos um mundo com mais ou menos gente assim.

Para, pense e mude

Você tem sido infernal? Apenas pare.

Você tem sido celestial? Multiplica, Senhor.


Mariella Silva de Oliveira Costa

Mineira , esposa, católica, feliz e amante de uma boa prosa. Jornalista, professora universitária, cientista em formação e servidora pública, Mariella é graduada na Universidade Federal de Viçosa e especialista em jornalismo científico (Unicamp), mestre em ciências médicas (Unicamp) e doutoranda em saúde coletiva na Universidade de Brasília. Participa da Renovação Carismática Católica, desde 1998, onde serviu especialmente no Ministério Universidades Renovadas e no Ministério de Comunicação Social. Cofundadora do projeto Muitas Marias.com (www.muitasmarias.com)
Contato: mariellajornalista@gmail.com Twitter: @_mari_ella_
www.muitasmarias.com

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.