Reflita

Como podemos ter uma vida nova em Cristo?

Cristo morreu e ressuscitou para nos dar a vida nova e não para que continuássemos na vida de pecado, pois o velho homem foi crucificado com Cristo. Pelo Batismo, fomos inseridos na vida nova em Cristo, portanto, tudo o que era velho passou, mas tudo se faz novo. “E, se já morremos com Cristo, cremos que também viveremos com Ele” (Rm 6,8).

Muitas vezes, não temos assumido esta vida nova que Cristo adquiriu com Seu Sangue e Sua Cruz, também com Sua Ressurreição. E deixamos o nosso corpo ser dominado pelo homem velho, pelas práticas da vida passada que estão latentes em nós, pelos apetites carnais que nos levam ao pecado. Acabamos, portanto, nos acostumando com o pecado e somos levados por ele. Não podemos submeter os nossos membros ao serviço do pecado, e sim ao serviço de Deus, no amor, na justiça e santidade.

Como-podemos-ter-uma-vida-nova-em-Cristo

Foto Ilustrativa: Patryk_Kosmider by Getty Images

Deus é um Deus vivo, que move todas as coisas e gera vida nova em nós

Muitos oferecem seus membros para destruir os outros e a si próprio. As nossas mãos não podem ser instrumentos para o roubo, para matar ou para a masturbação; porém, para louvar o Senhor e tocar naquilo que é santo.

Os nossos olhos não podem ser instrumentos de cobiça e pecado, mas para serem fixados no Senhor e olhar os outros com pureza; nossas pernas não podem ser usadas para nos levar para longe de Deus, e sim para perto do Senhor; a nossa boca precisa ser usada para receber o corpo de Cristo, cantar e falar os louvores do Senhor, palavras puras e bênção; mas não para falar coisas impuras, como palavrões, piadas, maldições etc.

Atitudes de vida nova

O mesmo deve acontecer com nossos ouvidos, eles não podem ser usados para ouvir músicas ou piadas impuras, mas devem ser purificados, a fim de ouvirmos a voz do Senhor, a Sua palavra. E também a nossa sexualidade e genitalidade, como dom de Deus, não podem ser instrumentos ou estar a serviço da impureza, depravação, porém, para nos santificar.

“Que o pecado não reine mais em vosso corpo mortal, levando-vos a obedecer às suas paixões. Não ofereçais mais vossos membros ao pecado como armas de injustiça. Pelo contrário, oferecei-vos a Deus como pessoas que passaram da morte à vida, e ponde vossos membros a serviço de Deus como armas de justiça” (Rm 6,12-13).

Leia mais:
.: Não consigo vencer meus pecados, o que fazer?
.: Como você reage diante do pecado do outro?
.: Como combater o pecado da impureza e viver a castidade?
.: E agora, preciso confessar? O que fiz era pecado ou não? 

Porém, estamos a serviço d’Aquele que reina para sempre, o Senhor. Fomos libertos do pecado por causa de Sua entrega total; por esse motivo, não podemos nos submeter mais ao jugo do pecado, e sim buscarmos a nossa liberdade.

Inteiramente entregue a Deus

O nosso corpo precisa estar inteiramente entregue a Deus e não pela metade. Sei também que, em nosso corpo, há marcas do pecado que querem nos arrastar para o mal e para o pecado, principalmente o da sexualidade, mas permaneçamos firmes na graça do Senhor; e ofereçamos a Deus o nosso templo, o nosso corpo.

“Devido às vossas limitações naturais, falo de maneira humana: assim como outrora oferecerdes vossos membros como escravos à impureza e à iniquidade, para viverdes iniquamente, agora oferecei-vos como escravos à justiça, para a vossa santificação. Que fruto colhíeis, então, de ações das quais hoje vos envergonhais? Agora, porém, libertados do pecado e como servos de Deus, produzis frutos para a vossa santificação, tendo como meta a vida eterna” (Rm 6,19.21-22).

banner_espiritualidade


Padre Reinaldo Cazumbá

Sacerdote membro da Canção Nova, estudante de psicologia, atua no Instituto Teológico Bento XVI e também exerce a função de diretor espiritual dos futuros sacerdotes da comunidade. Autor de livros publicados pela Editora Canção Nova.

comentários