Aprendizado

Via do Perdão: exercício de Misericórdia

A via do perdão é um grande exercício de misericórdia

Certa vez, pensei não ter forças para suportar as situações difíceis que estavam ocorrendo. Sentia-me abandonada por todos. Com o coração despedaçado, procurei a confissão e disse ao padre: “reconheço minhas imperfeições e misérias”. Durante as provações que ocorreram naquele dia eu dizia para mim mesma: “eu mereço”.

Precisei estar com Deus para reconhecer as minhas falhas e imperfeições. Foi uma luta que travei onde pude identificar muito bem as vozes e sentimentos que vinham ao meu coração para que eu tivesse autopiedade e justificasse as minhas falhas. Foi um grande momento de conversão.

Sentia uma voz dizendo: “Humilhe-se. Reconheça sua miséria e fraqueza”. E outra voz dizendo: “você deixou tudo e veio para uma Comunidade. Você tem direito de ser feliz e receber amor, carinho, cooperação das pessoas. Você é formadora e coordenadora desta missão. Você tem o direito”. Como aconteceu comigo, sei que o mesmo pode acontecer com você!

Buscas as coisas do alto

É uma verdadeira batalha dentro de nós. Existe uma constante luta entre a voz mansa do Espírito Santo e a voz do demônio que muitas vezes grita aos nossos ouvidos. Muitas vezes cedemos à voz do tentador porque nos falta intimidade com o Pai, com o Filho e com o Espírito Santo. Nesses momentos é preciso buscar as coisas do alto. Durante aquele dia precisei exercitar o nosso código de santidade, o Estatuto da Comunidade Canção Nova.

O fato é que uma pessoa agiu errado comigo e não reconheceu o prejuízo causado. Para compensar, precisei desdobrar-me no horário do almoço. No início do programa “Juntos Somos Mais” falei de alegria e doação como sempre faço, mas dentro do meu coração uma luta, dizendo para mim mesma: “não é possível que esta pessoa nem sequer vai se desculpar pelo transtorno causado!!!”

Via do Perdão

Comecei a rezar o terço da Misericórdia e recordei que cada um de nós precisa aprender a pedir e a receber perdão, não importando quem tenha razão. Terminei o terço e mesmo contra a minha vontade, escrevi num papel: “Meu irmão, perdoe-me por ter alterado com você naquele momento. Reconheço que estou longe da perfeição. Eliana Sá”

Minha cabeça lutava contra o meu coração. A voz do demônio dizia que eu tinha razão de ter agido daquela forma. Superei os sentimentos e agi com a minha decisão. Após isso, senti uma paz interior. Lembrei-me do Senhor e vi que todas as Suas atitudes nos indicam a maneira certa de agir em cada momento.

Andas agitada com muitas coisas

Quando Jesus ficou hospedado na casa de Marta, Maria, sua irmã, escolheu o essencial e preferiu ficar aos Seus pés, ouvindo Seus ensinamentos. Marta, porém, cobrou uma atitude de Jesus e reclamou: ‘Senhor, não te importas que minha irmã me deixe sozinha com todo o serviço? Manda pois que ela venha me ajudar!’ O Senhor, porém, lhe respondeu: ‘Marta, Marta! Tu te preocupas e andas agitada com muitas coisas’ (Lc 10,40-41).

Maria escolheu a melhor parte, o essencial, que não lhe seria retirado. Marta, no entanto, estava cega, com uma trava nos olhos, como nós muitas vezes. Quase sempre somos mais Marta do que Maria. Após aquele bilhete, quando pedi perdão, escolhi a melhor parte! O resto, Deus completaria naquela confissão. Reconheci o essencial, minha miséria, do que sou feita.

Eliana Sá
Comunidade Canção Nova

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.