Educação dos filhos

Tarefas domésticas e filhos: como inseri-los nesta rotina?

O desenvolvimento dos filhos passa por diversas etapas: desde o crescimento e maturação física até a maturação emocional, mas, no campo emocional, o que isso significa?

Um criança para crescer de forma saudável, no campo emocional, precisa crescer em aspectos tais como responsabilidade, pontualidade, organização, senso de direção, autonomia, planejamento de tarefas, senso de dever. Soma-se a isso o controle das emoções, a percepção de que vive em grupos e, para tanto, precisa saber dividir as tarefas e responsabilidades, e que sua falta de cuidados com o ambiente pode afetar outras pessoas.

Tarefas domésticas e filhos como inseri-los nesta rotina?

Foto ilustrativa: by Getty Images RyanJLane

O que para muitos pais é um desafio – atribuir tarefas domésticas para os filhos –, na verdade, deve entrar na vida das crianças como algo normal a ser feito e assumido. Até mesmo nos lares que contam com auxiliares para manutenção da casa, o hábito de zelar deve também ser dado às crianças desde cedo.

A grande queixa de pais de adolescentes e até adultos é que eles não fazem nada em casa, não colaboram, deixam os ambientes bagunçados. Mas para que isso aconteça menos, é importantíssimo que, desde pequenas, as crianças sejam orientadas e encorajadas a assumir responsabilidades que iniciam desde as mais simples, como arrumar seus brinquedos.

o podemos ter medo de que as crianças respondam por tarefas, isso exige um pouco mais de atenção, direcionamento e atenção dos pais, uma vez queo os pais quem conduzirão este aprendizado com os filhos. Respeitando os limites de idade, cada um pode assumir tarefas das mais variadas.

Entenda o método montessoriano de educação

O método montessoriano de educação sugere alguns tipos de atividade para cada faixa etária, assim descritos:

  • 2 anos: pequenas e fáceis tarefas como organizar os brinquedos, com suporte dos pais, que, ao dar exemplo, contribuem para essa habilidade com os filhos. A criança já pode pegar algo que caiu no chão, ajudar a alimentar animais de estimação.
  • 3 a 4 anos: pode ajudar a arrumar o quarto, sua cama, ajudar com animais de estimação, organizar objetos da casa, colocar seu prato sujo na pia, guardar sapatos, colocar roupas sujas no cesto, enfim, colocar coisas em lugares certos. Tudo isso com supervisão e orientação. Vale lembrar que é uma ótima fase de aprendizado, onde as crianças imitam adultos e gostam de colaborar.
  • 5 a 7 anos: nesta fase da vida, a criança compreende melhor as noções de responsabilidade e cuidado. Pode, então, ajudar nos cuidados da higiene da casa, dobrar roupas, regar plantar, ajudar com as louças.
  • Acima de 8 anos: por ter maior habilidade motora, a criança é capaz de desempenhar outras funções sem que derrube e quebre objetos, podendo, portanto, pode colaborar com a organização das refeições, ajudar nas compras do mercado, limpar seu quarto, ajudar a cuidar de um animal de estimação e até mesmo ajudar no cuidado com irmãos mais novos.

Todas as tarefas assumidas pelas crianças fazem parte de sua socialização, portanto, mesmo que elas não façam certo da primeira vez, incentive a ação, elogie o que foi feito, ensine novamente. Não há outra forma de aprendizagem queo pelo exemplo, pela repetição, pelo incentivo e seguindo ao lado do seu filho para que ele possa repetir, tentar, errar e acertar.

Leia mais:
.:Oração das mães pelos filhos
.:Eduque seus filhos bem alicerçados em valores
.:Conselhos do Papa Francisco para a educação dos filhos
.:Como criar um bom diálogo com os filhos em cada fase da vida

Nossos dias são corridos e cheios de atividade, é fato. Nem sempre temos toda a paciência do mundo para tal repetição e acabamos que, para economizar o tempo, fazendo as atividades por nós mesmos, o queo ajuda a criança em nada!

Quanto mais cedo uma criança aprende a ajudar, mais isso se torna um hábito em sua vida. Essas atividades não precisam ser um fardo ou obrigação. Aliás, para criança, muitas atividades queo para nós, tarefas domésticas, para elas são brincadeiras, são lúdicas e até mesmo uma imitação do que fazemos.

Quanto mais cedo a criança ajudar, tanto meninos quanto meninas, melhor é, pois, aos poucos, isso vai se tornando um hábito. Nem sempre tudo sairá do jeito que você espera, porém, o mais importante é a participação e o desenvolvimento de responsabilidade, da autoestima, da coordenação motora pouco a pouco.

banner pais e filhos

comentários