Vós anjos são os operários de Deus

Deus criou esta Terra para nela implantar o Seu Reino, para trazer o Céu e o Divino a este local, para que o Filho d’Ele a governe. E os anjos são os operários aos quais Deus confia tarefas. No entanto, houve um anjo particularmente esplendoroso: seu nome é Lúcifer, lindo, inteligente, criado por Deus para preparar esta Terra para vinda do Seu Filho Jesus e os filhos de Deus. Esta foi a linda missão que Deus confiou a Lúcifer. Ele foi constituído por Deus, como “príncipe deste mundo”. Jesus, o Filho de Deus, seria Rei, mas ele constituído príncipe para preparar a Terra e a humanidade para Ele [Jesus Cristo) que devia vir. O próprio Jesus o chamou de “príncipe deste mundo”. Na tentação do deserto o demônio disse-Lhe:
“Dar-te-ei todo esse poder e a glória desses reinos, porque me foram dados, e dou-os a quem quero. Portanto, se te prostrares diante de mim, tudo será teu” (Lucas 4, 6-7).

Jesus não o chamou de mentiroso, porque realmente Deus entregou esses reinos a Lúcifer. O Criador confiou essa Terra a ele para que fizesse dela o palco do Reino de Deus. Ele foi justamente aquele anjo a quem Deus confiou a tarefa de preparar a Terra e a humanidade para que o Salvador viesse e tomasse posse como Rei.
Lúcifer deveria ter feito isso. Só que ele se sentiu tão cheio de si, tão orgulhoso, tão prepotente, que, quando o Pai revelou que Seu Filho viria para governar este mundo como homem e teria uma Mãe que lhe daria um corpo… enfim, que seria um homem no pleno sentido da palavra, ele contestou imediatamente: “Não, quem manda aqui sou eu”. Eu sou um espírito, olhe que espírito sou eu! Eu sou o príncipe, o governador. Não o Seu Filho feito homem, não. Até se Ele viesse como Deus, tudo bem; mas feito homem, não. Não vou me prostrar diante de um homem; não vou adorar, não vou cultuar, não vou servir a um homem. Não! Sou um anjo, um príncipe, o príncipe deste mundo. Sou um espírito de luz, soberano”. E se revoltou….

Ele foi criado para servir, para preparar a Terra e a humanidade para vinda do Filho de Deus feito homem. A razão de ser de sua existência era servir o Filho de Deus feito homem. Na hora em que ele decidiu e se negou a servir o Filho de Deus, perdeu sua razão de ser. Sua decisão acabou sendo sem retorno. Daí para frente, em vez de preparar a humanidade para receber Jesus, em vez de preparar a Terra para o Senhor, ele começou a fazer justamente o contrário. Tudo que ele faz é o oposto: em vez do bem é o mal; em vez da pureza é a depravação…

Foi por isso que logo que Deus colocou os Seus filhos aqui na Terra. Lúcifer apareceu com aquela conversa enganadora: “Mas Deus…Ele não quer que vocês conheçam o bem e o mal…na hora em que vocês comerem o fruto do bem e do mal, saberão tudo, vocês serão como Deus! (cf. Gn 3, 1-4ss). Iludidos, Adão e Eva desobedeceram e caíram na cilada do inimigo. Fizeram aliança com ele; e uma vez feita a aliança… perderam-se. A partir daí, toda essa desgraça que vem acontecendo desde os inícios.

Quando Jesus viu todo o estrago no lindo plano do Pai, disse ao Pai que agora mais do nunca Ele viria e que aceitaria vir para obedecer, para se humilhar, para morrer. Aceitaria realizar Sua missão em dois tempos: na primeira vez, para se humilhar, para ser rejeitado, para sofrer, para obedecer.

Lúcifer deveria obedecer, mas não o fez. Os homens deveriam obedecer, mas também não o fizeram. Então, Cristo veio para isso, para obedecer. Ele veio, se fez obediente até a morte, e morte de cruz, por isso, Ele foi exaltado e Lhe foi dado um nome que está acima de todo nome, para que ao nome de Jesus se dobre todo joelho no Céu, na Terra e no inferno e toda língua proclame, para a glória de Deus Pai, que Jesus Cristo é o Senhor (cf. Fl 2, 6-11).

Sugira um tema para a nosso canal de formação

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.