Vida abundante X vida vacilante

Nesta manhã, fui impulsionado a escrever este artigo, creio que muito mais que um artigo, é uma oportunidade de nós – como Igreja – olharmos para nós mesmos, para nossa caminhada na fé, e verificarmos nossa conduta de cristãos. Você está sendo assolado por uma avalanche de descrença e desuniões, e parece que tudo dá errado na sua vida?

Então, amados, é o momento de nos avaliarmos. O que temos feito como cristãos?

Deus nos criou para que pudéssemos viver de forma abundante, na sua graça. Este foi seu grande desejo. Para tanto, Ele soprou a vida em nós.

“O Senhor Deus formou, pois, o homem do barro da terra, e inspirou-lhe nas narinas um sopro de vida e o homem se tornou um ser vivente” (Gn 2,7).

Este é o desígnio de Deus: o de nos fazer viver a plenitude da vida. E como você tem se sentido diante das circunstâncias da vida? Tem conseguido viver a alegria de ser de filho de Deus?

Justamente é isso que Deus inspirou-me nesta manhã: a compartilharmos desta vida abundante e da vida vacilante. Meditaremos um pouco com a ajuda que a Palavra nos traz hoje para nossas vidas amadas.

Cristo nos deu a vida em abundância; o “ladrão”, no entanto, quer somente roubar nossa alegria de ser de Deus. Portanto, somos chamados a ser plenamente do Senhor. Pois esta é a única forma de sermos abençoados por Sua mão poderosa. Vejam estas palavras do Senhor:

“Se o Espírito daquele que ressuscitou Jesus dos mortos habita em vós, Ele, que ressuscitou Jesus Cristo dos mortos, também dará a vida aos vossos corpos mortais, pelo seu Espírito que habita em vós.” (Rm 8,11)

Nós, que somos morada de Deus, cheios do Espírito Santo, não podemos levar uma vida dúbia. Somos chamados a corresponder com radicalidade o chamado à santidade que o Senhor nos faz.

Você não foi criado para viver sob o julgo da escravidão, mas para viver a vida plena que Cristo tem para você. Suas promessas não falham, Suas palavras não se contradizem. O Senhor prometeu. Ele cumpre Suas promessas.
“Porquanto não recebestes um espírito de escravidão para viverdes ainda no temor, mas recebestes o espírito de adoção pelo qual clamamos: Aba! Pai!”(Rm 8;15)

Que graça! Você foi chamado a viver esta vida. Não vale a pena ser escravo do mundo. O que este lhe oferece é momentâneo e depois você sofre as “contra-indicações”. Porém, na vida abundante, você se torna o homem, a mulher do Espírito, e seus pensamentos passam a ser outros. Veja o que São Paulo nos diz:

“Quem nos separará do amor de Cristo? A tribulação? A angústia? A perseguição? A fome? A nudez? O perigo? A espada? Realmente, está escrito: Por amor de ti somos entregues à morte o dia inteiro; somos tratados como gado destinado ao matadouro (Sl 43,23). Mas, em todas essas coisas, somos mais que vencedores pela virtude daquele que nos amou.(Rm 8: 35-37).

Quando agimos segundo a carne, somos enganados, domados pelo tentador. Pois o Senhor já nos orientou:

“Sede sóbrios e vigiai. Vosso adversário, o demônio, anda ao redor de vós como o leão que ruge, buscando a quem devorar.” (I Pd 5;8)

O maligno tenta imprimir seu modelo de vida em nós, nos iludindo, com sua vida podre, cheia de mentiras e discórdias. Ele coloca vendas em nossos olhos, justamente para que não experimentemos esta vida em Cristo Jesus. É tempo de graça, de bênção, volte para o Senhor, meu irmão! Pois o demônio quer nos impregnar com suas obras. As obras da carne são as seguintes, diz o Senhor:

“Ora, as obras da carne são estas: fornicação, impureza, libertinagem, idolatria, superstição, inimizades, brigas, ciúmes, ódio, ambição, discórdias, partidos, invejas, bebedeiras, orgias e outras coisas semelhantes. Dessas coisas vos previno, como já vos preveni: os que as praticarem não herdarão o Reino de Deus!” (Gl 5; 19:21).

Meus irmãos, não me prolongarei mais, agora a decisão é sua. Coloco-me em oração desde já por você, para que experimente o poder transformador de Jesus.

Vamos orar juntos, amados:

“Sim, oh! Deus, neste momento, diante de tudo que foi-me apresentado, pela ação de Seu Santo Espírito, não resta dúvidas de que sou chamado(a) a uma vida abundante. Não quero viver mais uma vida dupla contigo, Senhor! Orienta meus caminhos, oh, Pai, pois tenho sofrido desilusões com o mundo, com a vida mundana, levando uma vida “vacilante”, totalmente oposta à vida que o Senhor preparou para mim.
Hoje, renuncio a todo mal na minha vida. Quebra todas cadeias que tem se levantado na minha vida, na minha família. Quebra toda a maldição que possa ter sido lançada em minha vida, em minha família, em meu casamento. Hoje, faço a opção, Senhor, por esta vida nova. Clamo a Tua bênção na minha Vida. Sim, Senhor, assim seja no Teu nome poderoso Jesus. Amém!”

Limpe tudo o que não for do Senhor na sua vida. Coragem! Oro por você. Deus vai realizar milagres na sua vida. Aguardo seu testemunho.

Com Cristo!

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.