Quem ama, confia!

Algumas cenas fazem muita diferença em nossa vida. Hoje, observei uma que não pretendo esquecer tão cedo, principalmente pela lição que ela me ensinou. No ponto de ônibus, uma mãe com ar de preocupada, segurava seu filho no colo enquanto mantinha seus olhos fixos nos ônibus que chegavam sem parar. Um deles poderia ser o seu e ela não podia sequer pensar em perdê-lo.

Apesar da agitação própria do local e horário, a criança dormia tranqüila e sossegada, nos braços da mãe; sem palavras parecia dizer: “nada temo, pois os braços que me seguram são de alguém que me ama”.

Foi pretexto de Deus, mostrar-me aquela cena! Observando-a, compreendi que é assim que devo viver o hoje. Mesmo sendo levada de um lado para o outro, em meio à agitação e falatórios. Devo manter a calma e descansar nos braços de Deus, pois sei que Ele me ama e por isso, cuida de mim, mesmo que eu não perceba.

Compreendo que abandono é antes de tudo uma atitude de confiança e maturidade. Quem já teve sua fé provada por algum motivo, tem mais facilidade de confiar em Deus, tem forças para ir mais longe mesmo quando tudo parece perdido.

Aquela criança provavelmente se sentia amada e assim, nada a impedia de confiar e repousar tranqüila no regaço acolhedor de sua mãe.

São Francisco de Sales faz uma interessante comparação, quando fala da alma recolhida ou abandonada em Deus, de fato, diz ele; “[…] os amantes humanos contentam-se, às vezes, com estar junto ou à vista da pessoa a quem amam, sem lhe falarem nada e sem sequer pensar em outra coisa que não seja estar ali… saciados, ao que parece e satisfeitos de saborearem essa bem amada presença, não por qualquer consideração que sobre ela façam, mas por uma certa paz e repouso que seu espírito encontra em estar na sua presença. É assim que acontece com a alma que se entrega aos cuidados do Criador. Repousa sossegada, mesmo em meio aos constantes desassossegos que vive no dia-a-dia.”

Parece-me que a grande descoberta que nos leva ao abandono é a constante experiência de nos comportarmos como filhos e não como servos de Deus. É um desafio que eu também vivo! Que o Criador e Amante dos homens nos ensine esta tarefa a cada dia.

Estamos juntos!


Dijanira Silva

Missionária da Comunidade Canção Nova, desde 1997, Djanira reside na missão de São Paulo, onde atua nos meios de comunicação. Diariamente, apresenta programas na Rádio América CN. Às terças-feiras, está à frente do programa “De mãos unidas”, que apresenta às 21h30 na TV Canção Nova. É colunista desde 2000. Recentemente, a missionária lançou o livro “Por onde andam seus sonhos? Descubra e volte a sonhar” pela Editora Canção Nova.

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.