Vinde, Espírito Santo

Pentecostes: ser aquilo que Deus quer!

Conta-se que um padre chegou numa paróquia complicada e em péssimo estado. Três anos depois, o bispo veio visitá-lo. Percebeu grandes melhorias e disse: “Que bela obra o Espírito Santo está fazendo através de você!”. O pároco respondeu ao bispo: “Sim, excelência, mas você tinha que ver o estado da paróquia quando o Espírito Santo estava cuidando dela sem mim!”.

Piadas a parte, celebrar Pentecostes é comemorar o dia em que o Senhor enviou o seu Espírito sobre todos os apóstolos e a Virgem Maria reunidos no Cenáculo de Jerusalém. É também um convite para clamarmos: “Vinde, Espírito Santo!”, na certeza de que esse feito não é somente algo do passado, mas que esse mesmo Espírito nunca cessou de ser derramado sobre a humanidade.

Pentecostes ser aquilo que Deus quer Formação

Foto Ilustrativa: By Getty Images / sedmak

Pentecostes pedindo o Espírito Santo

Mas alguém pode perguntar: “Por que pedir o Espírito Santo hoje?”.

Com base na Palavra de Deus, escolhi dois dentre vários motivos para partilhar com você:

1º: “Eu vos darei um coração novo e em vós porei um espírito novo; tirarei do vosso peito o coração de pedra e vos darei um coração de carne” (Ez 36,26).

Todos, ou quase, concordamos que o grande ensinamento de Jesus – “Amai-vos uns aos outros como eu vos amei” (Jo 13,34) – é algo bom e belo que queremos viver plenamente. Mas experimentamos que a falta de perdão, o ciúme, o egoísmo, a mentira e muitos outros sentimentos ligados ao nosso temperamento e à nossa história impedem-nos de viver o amor. Sim, muitas vezes, temos um coração de pedra!

O temperamento e a ação do Espírito Santo

Para remediar isso, o Espírito Santo faz um “transplante de coração”. Obviamente, eu uso um termo médico para falar de uma realidade espiritual. O coração na Bíblia é considerado como a sede das atividades da alma em todas as questões de sensibilidade, inteligência, vontade e consciência moral.

Este coração de carne que o Espírito Santo nos dá é um coração flexível e tônico, capaz de bombear o oxigênio do Amor de Deus para todas as áreas de nossa vida.

Leia mais:
.: Exercício espirituais de Pentecostes para a família
.: Oração de Pentecostes
.: O silêncio de Maria depois do Pentecostes
.: Se Maria já era cheia do Espírito Santo, o que aconteceu com ela em Pentecostes? 

Peça para o Espírito Santo agir na sua vida

Há coisas para mudar em sua vida, em seus relacionamentos? Peça o Espírito Santo!

2º: “O Espírito vem em auxílio à nossa fraqueza, porque não sabemos o que devemos pedir, nem orar como convém” (Rm 8,26).

A vontade de Deus é que sejamos santos como Ele é santo. Mas, concretamente, em nosso cotidiano, como saberemos o que fazer, como fazer e quando fazer? Porque queremos, espero, fazer sempre o bem, mas sem a ajuda do Espírito Santo, muitas vezes, não sabemos nem por onde começar!

Ouvindo a voz de Deus

Aprendemos que devemos orar, conversar com Deus para pedir-Lhe que nos guie. Contudo, frequentemente, não sabemos como orar, o que dizer a Deus nem como ouvi-Lo. Assim sendo, temos a impressão de que nossa oração é estéril, que estamos perdendo tempo com uma espécie de amontoado de palavras sem direção alguma: pedidos, intercessões, louvores, agradecimentos… De vez em quando, perguntamo-nos se estamos realmente rezando.

Felizmente, o Espírito vem em auxílio de nossa fraqueza. Peçamos a Ele que inspire nossa oração, para que seja justa e bela. Não importa o meio, o jeito de orar, o mais importante é perceber que na oração não é Deus quem se inclina em nossa direção para realizar os nossos desejos, mas é o Espírito Santo que age em nós, transforma-nos por dentro e ajusta-nos à vontade do Pai.

Para ter um novo coração e para orar como convém, nós pedimos: “Vinde, Espírito Santo!”.

Eu termino com uma frase que ouvi do padre Jonas certa vez: “Desde que experimentei a efusão do Espírito Santo, ainda não me tornei quem Deus quer que eu seja, mas não sou mais quem eu era antes!”.

Feliz festa de Pentecostes!

banner-hollyspirit


Padre André Favoretti

Natural de Vitória – ES, foi ordenado sacerdote dia 25/06/2017, na diocese de Fréjus-Toulon, onde atua como missionário. Antes de ser padre, concluiu uma licenciatura em Geografia (UFES), foi professor e fez uma pós-graduação em filosofia (UFOP).

comentários