Sagrado Coração de Jesus

A glória do Coração de Jesus

Provavelmente, você conheça algo sobre as aparições de Jesus à irmã Margarida Maria, proclamada santa pela Igreja, no dia 13 de maio de 1920, pelo papa Bento XV. Essas aparições aconteceram entre 1673 a 1675, no convento da Visitação da cidade de Paray-le-Monial, na França.

Há muito o que se dizer, mas gostaria de expor um dos aspectos revelados por Jesus à religiosa, que é conhecida como a “apóstola do Coração de Jesus”. Ela nos conta o que aconteceu durante uma aparição na 1ª sexta-feira de 1674: “Uma vez, entre outras, quando estava o Santíssimo exposto, depois de ter-me sentido retirada de dentro de mim mesma, com um recolhimento muito grande de todos os meus sentidos e minhas potências. Jesus Cristo, meu doce Mestre, apareceu-me todo radiante de glória com as cinco chagas, brilhantes como cinco sóis. Sua sagrada humanidade lançava chamas de todos os lados, mas sobretudo de seu peito sagrado peito, que parecia uma fornalha. Abrindo-o, mostrou-me seu amantíssimo e amabilíssimo Coração, que era a fonte viva daquelas chamas. Foi então que Ele me revelou as maravilhas inexplicáveis de seu puro amor, e o excesso a que chegara em amar os homens, de quem não recebia senão ingratidões e friezas.” Jesus lhe disse: “Se você acreditar, você verá o poder do meu coração!”.

A glória do coração de Jesus

Foto ilustrativa: jemastock by Getty Images

O Sagrado Coração de Jesus

O Coração de Jesus é apresentado como um trono de chamas. Esta é a imagem de sua realeza. Assim como Jesus fez com Santa Margarida, Ele quer mostrar seu poder e sua glória a cada um de nós.

Ao falarmos de Jesus, utilizamos com frequência as palavras rei e glória. Todos os anos, na festa de Cristo Rei, temos uma explicação ou uma meditação sobre a realeza de Jesus. Mas e quanto à sua glória? Essa glória que está tão presente na Bíblia, em nossos cânticos, em nossa liturgia… Poucas são as homilias sobre esse assunto!

Ao celebrarmos o Natal, lemos esta passagem onde o anjo anuncia o nascimento do Menino Deus aos pastores: “Um anjo do Senhor apareceu-lhes e a glória do Senhor refulgiu ao redor deles” (Lc 2,9). Em seguida: ” uma multidão do exército celeste, louvava a Deus e dizia: Glória a Deus no alto dos céus” (Lc 2,14).

O que significa “glória”?

Na Bíblia, a palavra “glória” é a tradução para o português da palavra hebraica “kavod” e da palavra grega “doxa”.

No hebraico, “kavod” significa “o peso”: a glória de Deus é o “peso de Deus”, isto é, a totalidade da “pessoa”, seu peso na existência, sua importância e influência. É o brilho de sua força divina e real. Quando dizemos: “fulano é uma pessoa de peso!”, não falamos dos seus quilos, mas de sua importância ou de sua influência.

Essa noção é bem diferente do termo grego “doxa”, que significa “parecer”, “julgar”, “estimar”. Uma palavra que nos grupos filosóficos antigos tinha o sentido de “opinião”, ou seja, de um julgamento que podemos ter sobre as pessoas e sobre os eventos.

Contudo, quando o termo “doxa” começou a ser utilizado no Novo Testamento, ele perdeu seu valor antigo de “opinião” e ganhou um significado religioso completamente diferente, passando a designar a esplêndida majestade divina.

Leia mais:
.: Sagrado Coração: mais que uma devoção, uma espiritualidade
.: Sagrado Coração de Jesus, esperança do mundo
.: Julho, mês do Sangue de Cristo
.: Santa Margarida, difusora da devoção popular ao Sagrado Coração

Esses dois termos, em duas línguas diferentes, se complementam em seus significados e nos ajudam a entender o que rezamos: a glória de Deus é uma forma de falar de sua presença tão importante em nosso meio, uma presença transformadora.

Em seus escritos, santa Margarida-Maria afirma que “[Jesus] deseja que, santificando-nos, o glorifiquemos”.

Há um movimento descendente: a glória de Deus que se manifesta às criaturas… Mas há também um movimento ascendente: pois as criaturas dão glória a Deus! “Dar glória a Deus” é reconhecer que a Ele devemos honrar e dar graças acima de tudo. Glorificar ao Senhor significa também refletir, como um espelho, sua glória em nossa própria vida, por meio de nossas palavras e nosso comportamento. Dar glória a Deus é, portanto, sinônimo de conversão: a melhor maneira de glorificá-lo é desejar profundamente ser como Deus. É um caminho difícil, mas não impossível.

Devoção ao Sagrado Coração de Jesus

Jesus encoraja Margarida-Maria e nos encoraja: “Não tenha medo, minha filha. Eu reinarei apesar dos meus inimigos e daqueles que desejam se opor a Mim”. Para responder ao desejo do Coração de Jesus, a religiosa respondeu: “Para mim, basta que Ele reine.”

Como santa Margarida-Maria, precisamos estar convencidos de que a devoção ao Coração de Jesus destrói o império de satanás e estabelece o reino do amor verdadeiro.

Oremos

“Senhor Jesus, Rei dos reis, com Santa Margarida-Maria, queremos dizer-Te mais uma vez: “reina em nós”! Abrimos as portas para que possas entrar em nossos corações e aí fazer tua morada. Coloca tua luz em nós, expulsa todas as trevas – manifesta tua glória! Que nossa vida te glorifique. Que o Império do Mal seja arruinado e que Teu reino de amor seja estabelecido e dure para sempre. Amém.”

Viva o Coração de Jesus!


Padre André Favoretti

Natural de Vitória – ES, foi ordenado sacerdote dia 25/06/2017, na diocese de Fréjus-Toulon, onde atua como missionário. Antes de ser padre, concluiu uma licenciatura em Geografia (UFES), foi professor e fez uma pós-graduação em filosofia (UFOP).

comentários