esperança

Você não precisa entregar sua alma à tristeza

Acabamos entregando nossa alma à tristeza muito facilmente e por qualquer motivo

Nós, brasileiros, somos muito afetivos, sentimentais, e consequentemente gostamos de “curtir” a tristeza. Podemos constatar isso na nossa música raiz que cultiva tristeza, saudade, traição… Acabamos entregando nossa alma à tristeza muito facilmente e por qualquer motivo. O Senhor sabe que tivemos e teremos tristezas. Assim como Jesus disse: “pobres, vós sempre os tereis”, Ele poderia dizer: “tristezas, vós sempre as tereis”.

voce-nao-precisa-entregar-sua-alma-a-tristezaFoto: Wesley Almeida / cancaonova.com

O próprio Jesus passou por muitas tristezas. Mas há uma total diferença entre ter tristeza e “se entregar à tristeza”. Deixar-se ser tomado pela tristeza: pressionado, atormentado, escravizado mesmo pela tristeza.

Temos o vício de ficar recordando o que nos causou mágoas. Basta uma pessoa dizer algo que nos ofenda, já ficamos ruminando, e aquilo cresce, se avoluma dentro de nós. É como as claras em neve: de tanto “bater”, recordando, recordando… o sentimento cria volume dentro de nós. De repente, aquilo nos toma totalmente e nem conseguimos mais respirar.

Para que ruminar a tristeza?

Precisamos ser firmes. Não podemos acumular sentimentos ruins em nosso interior. Todas as situações dolorosas que vivemos já são mais que suficientes. Então, para que guardar e ruminar situações que nos fazem sofrer?

Seu filho vive lhe causando um enorme desgosto com a bebedeira, ao se drogar, vivendo a vida na prostituição? Seu marido lhe causa desgosto com a bebida, com jogo, e vive causando problemas? Isto já é mais que suficiente. Você não precisa, além disso ficar ruminando sofrimento. É como o povo diz: “curtindo fossa”. Basta o sofrimento nosso de cada dia!

Leia mais:
.: Como tratar as lepras de nossa alma?
.: Bateu aquela tristeza?
.: Como superar as tristezas

O que não pode acontecer é ficarmos recordando a situação, remoendo-nos em nossos sentimentos, cultivando e curtindo ressentimentos. Isto se torna um verdadeiro tormento. É suicídio porque “a tristeza matou a muitos”.

Entregue ao Senhor todas as situações de tristeza e faça uma verdadeira renúncia:

Senhor, renuncio ao mau hábito de ficar ruminando a tristeza. Renuncio a todos esses pensamentos diante de Ti e da Tua palavra. Retira de mim, Senhor toda mágoa, todo ressentimento e todo gosto de ficar curtindo tristezas e decepções. Cura e transforma a minha mente, Senhor. Dá uma guinada na minha vida. Se aconteceu algo ruim, já é passado: não preciso mais ficar cultivando. Não quero, Senhor, e renuncio. Obrigado, Jesus, porque me libertas e afastas de mim toda escravidão.

Confira também:


Mons. Jonas Abib

Fundador da Comunidade Canção Nova e Presidente da Fundação João Paulo II. É autor de diversos livros, milhares de palestras em audio e vídeo, viajando o Brasil e o mundo em encontros de evangelização. Acesse: http://www.padrejonas.com

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.