Vamos amar nosso corpo, templo de Deus?

Temos a tendência de formar uma imagem ruim de nós mesmos. Não tendemos naturalmente para o bem, temos que optar decididamente por ele. Formamos nossa auto-imagem com base no que ouvimos de outras pessoas, mas principalmente no que ouvimos de ruim. Assim fica difícil amar a própria voz se o que dizemos a nós mesmos é que a opinião dos outros é a mais importante.

Geralmente temos uma má imagem, feia e deformada do nosso corpo. Não vamos nem imaginar o que resta para a pobre voz…

Não há como o cantor esconder o corpo e mostrar só a voz… Principalmente porque o corpo é transparente e jamais mente. É preciso haver uma harmonia entre o corpo e a voz, pois é visível quando uma voz canta algo e o corpo “grita” outra coisa. Por isso pode se dizer com segurança que uma vida casta carrega uma voz inigualável.

É muito importante gostarmos da nossa imagem pessoal, para muitas vezes aceitarmos a nossa imagem corporal e suas limitações. E só nos deixando amar por Deus e pelos irmãos é que podemos ter força para gostar de nós mesmos.

Minha voz sempre vai ser um reflexo da relação, confiança e respeito que tenho por mim mesma.
Pensando e direcionando os estudos desta maneira, poderemos usar nosso corpo por completo, mesmo em nossas atividades que nos exigem expressão corporal e facial. Assim seremos mais verdadeiros…

Lembre-se: a voz mais bonita é sempre a mais verdadeira e mais livre. Investir no conhecimento do corpo é investir na voz, e isso é caminho de crescimento para a vida!

Faça um caminho de perdão para com você mesmo!

A Confissão, Sacramento maravilhoso da nossa Igreja, esconde uma graça sem igual para um cantor e seu corpo ferido pelo pecado!

Força! Amar é a única resposta eterna!

Com carinho,

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.