Somos livres!!!

Existem alguns fatores que distinguem o homem dos animais: A consciência, o autodomínio, a vontade livre, o auto-conhecimento, a capacidade de transcender as meras realidades aparentes e a liberdade, entre outras. Dessa forma, o homem é livre para tomar decisões, sejam elas boas ou más. No entanto, ao criar o homem, Deus o fez para a realização do bem – Não de outro modo, espera-se que ele sempre opte pelo caminho que o levará a fazer o bem e a buscar meios que possam levar ao seu crescimento e ao do próximo.

Entretanto, diante de algumas realidades as quais nos são apresentadas, poderíamos nos questionar do porquê da maldade, da fome, da miséria, da origem dos diversos problemas sociais, da doença e tantos outros… Mas, à luz da revelação divina, poderemos compreender essas questões, uma vez que elas fogem à nossa compreensão ao tentarmos explicá-las apenas ponto de vista científico. Assim, quando recorremos aos dados da revelação divina, começamos a entender que Deus criou o homem e o fez livre, colocando diante dele o bem e o mal, para que ele, fazendo uso de sua liberdade, pudesse optar pelo bem. Da mesma forma, Deus faz conosco pois a cada momento, nos deparamos com situações que exigem de nós uma escolha, um posicionamento.

Neste sentido, é que deveremos fazer uso da liberdade que Ele nos deu e devemos fazer uso dos conceitos sobre a pessoa humana que colocamos acima, sobretudo o da liberdade. A partir daí, tomamos consciência de que somos livres e que não queremos e nem podemos fazer ou escolher o mal, pelo simples fato de que tomando de ponto de vista a ética personalista que pressupõe uma visão antropológica no sentido de que quando tomo uma atitude, ela afetará não somente a mim, mas toda a humanidade, pois o ser pessoa inclui necessariamente o de ser participação com as outras pessoas.

Todas as atitudes que tomamos não dizem respeito somente a nós mesmos, mas aos nossos filhos, pais, amigos e até inimigos. Vivemos em sociedade e tudo que fazemos tem repercussão em nível coletivo. Quando começarmos a entender isso, colocaremos muito mais peso em nossas decisões. Ao tomar uma atitude, saberemos que ela também atinge a vida do nosso semelhante e não somente a nossa.

Liberdade implica em responsabilidade! Não pode haver liberdade sem que ela seja exercida de modo responsável. Não podemos ser egoístas a ponto de querer que somente a nossa vontade, os nossos gostos sejam levados em conta. Somos responsáveis por tudo que cativamos e pensamos. Quantos filhos sofrem com a separação dos pais, que muitas vezes pensam somente na sua ‘felicidade’ e se esquecem de que com essa atitude marcam profundamente a vida dos seus filhos, causando-lhes dor e sofrimento. Um outro exemplo do mau uso da liberdade é o do aborto, que deixa seqüelas irreversíveis na mulher e na sociedade e tantos outros.

Contudo, é de extrema importância sabermos usar a liberdade que possuímos, para que não venhamos a prejudicar a nós mesmos e ao nosso próximo. Quando fazemos a escolha certa, estamos no caminho do bem, estamos amando, estamos fazendo a coisa certa. Pautar as nossas medidas e atitudes em atos de amor nos levarão às escolhas certas, ao bom uso da liberdade, e consequentemente à felicidade.

Sem. Fernando Cezar
Comunidade Canção Nova
E-mail: cezar@solar.com.br

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.