Só existe um Deus

Ao recitarmos nossa Profissão de Fé não dizemos somente Creio em Deus, mas Creio em Deus Pai. Deus é Pai e é também Filho e Espírito Santo. Somos batizados “em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo” (Mt 28,19).

Só existe um Deus. Mas Deus é Trindade: Pai, Filho e Espírito Santo. O mistério da Santíssima Trindade é o mistério central da fé e da vida cristãs. “É a fonte de todos os outros mistérios da fé, é a luz que os ilumi-na” (Catecismo da Igreja Católica). Foi Jesus que nos revelou que Deus é Pai, Filho e Espírito Santo.

Revelou-nos que Deus é Pai não só porque é o Criador de tudo, mas porque tem um Filho. Disse ele: “Ninguém conhece o Filho senão o Pai, e ninguém conhece o Pai senão o Filho, e aquele a quem o Filho o quiser re-velar” (Mt 11,27). E há uma profunda unidade entre o Pai e o Filho, segun-do Jesus revelou: “Eu e o Pai somos um” (Jo 10,30). No Credo de Cons-tantinopla, que rezamos, às vezes, durante a Missa, dizemos: “o Filho Úni-co de Deus, gerado do Pai antes de todos os séculos, luz de luz, Deus ver-dadeiro de Deus verdadeiro, gerado, não criado, consubstancial ao Pai”.

Jesus revelou também que em Deus há uma outra pessoa: o Espírito Santo. Antes de sua morte, Jesus anunciou que haveria de enviar “outro Paráclito”, o Espírito Santo. O Espírito Santo seria enviado aos apóstolos e à Igreja pelo Pai, em nome do Filho, quando voltar para junto do Pai (Jo 16,26). No mesmo Credo de Constantinopla, rezamos: “Cremos no Espírito Santo, que é Senhor e que dá vida; ele procede do Pai”.

O Espírito Santo é da mesma natureza do Pai e do Filho. É Deus como o Pai e o Filho. Mas, há um só Deus. Por isso, rezamos ainda no Cre-do de Constantinopla: “Com o Pai e o Filho, ele recebe a mesma adoração e a mesma glória”.

Desde o começo da Igreja, os discípulos de Jesus professaram clara-mente sua fé no mistério da Trindade, sobretudo por ocasião da administra-ção do sacramento do batismo, mas igualmente na pregação, na catequese e na oração da Igreja. São Paulo termina sua segunda carta aos Corintios com estas palavras, que são provavelmente tiradas da liturgia eucarística: “A graça do Senhor Jesus Cristo, o amor de Deus e a comunhão do Espírito Santo estejam com todos vós” (2 Cor 13,13).

Não professamos três deuses, mas um só Deus em três pessoas. E as três pessoas divinas são realmente distintas, mas são um só Deus. Este é o grande mistério de nossa fé.

Em nossa vida de cristãos sempre professamos nossa fé em Deus, uno e trino. Várias vezes ao dia, fazemos sobre nós o sinal da cruz em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. E muitas de nossas orações ter-minam em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo.

Dom José Freire Falcão
Cardeal Arcebispo de Brasília – DF

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.