Ressuscitou...

“Entender a Páscoa é entender o cristianismo; ignorar a Páscoa é ignorar o cristianismo” (Papa Paulo VI)

Vem aí a celebração da nossa festa cristã mais importante: a Páscoa. Por isso mesmo, antes de celebrá-la todos os anos, a Igreja nos propõe um “tempo favorável”, um longo período de preparação espiritual – 40 dias – que chamamos de Quaresma. A liturgia quaresmal nos convida à conversão sincera, ouvindo com mais freqüência a Palavra de Deus e entregando-nos à prática de oração, penitência, caridade fraterna, entre outros atos de fé e piedade cristã.

Depois dessa intensa preparação, celebramos o mistério de Jesus Cristo morto, sepultado e ressuscitado, que é comemorado durante o Tríduo Pascal, tendo como centro a Vigília Pascal e terminando com o Domingo da Ressurreição, a Páscoa.

Páscoa quer dizer “passagem”. O verdadeiro sentido da Páscoa tem a ver com a renovação, passagem, libertação e salvação operada por Deus em favor do povo de Israel e extensivamente, em favor de toda a humanidade. Deste modo, na Páscoa celebra-se a renovação da natureza, que acontece durante a primavera, manifestando-se o triunfo da vida sobre a morte, comemorando-se, deste modo, a “passagem” de Deus que liberta e salva seu povo, e o faz “passar” da opressão do Egito à liberdade. Essa recordação, associada a nossa vida e história no tempo atual, significa também a nossa libertação de todas as formas de opressão, bem como a preanunciação da salvação eterna.

Para nós, cristãos, Cristo uniu a Páscoa judaica com a Sua própria Páscoa e nossa. Ele realizou plenamente a Páscoa, com Sua Vida, Morte e Ressurreição. Jesus Cristo protagonizou um evento salvífico, morrendo por nós e estabelecendo a nova aliança em Seu sangue, deixando-nos o memorial eucarístico: “Façam isso em memória de mim.” Na Páscoa, nós celebramos a vitória de Cristo, que ressuscitou, vencendo a morte. A Ressurreição do Nosso Senhor é o fundamento da nossa fé e esperança na própria ressurreição.

Ao celebrarmos a Páscoa do Senhor, vivo e ressuscitado, somos também convidados a renovar a nossa fé, que é Ressurreição e Vida, e a viver como pessoas ressuscitadas. O Senhor nos envia a anunciar, pela Palavra e pelo exemplo, esta mensagem de vida e esperança a todos(as). Também, por isso, a celebração da Páscoa não acontece só uma vez por ano, pois toda a celebração litúrgica da Igreja e celebração do mistério pascal – além de recordar o que aconteceu no passado – é atualizada por meio desse evento e é anunciado, enquanto aguardamos com jubilosa esperança a sua plena realização no futuro. A nossa vida é e, deve ser, uma Páscoa permanente: uma passagem da vida de pecado para a graça; da morte para a vida nova em Cristo.

FELIZ PÁSCOA!

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.