Ressurreição × Reencarnação

A fé é ao mesmo tempo um dom de Deus e uma resposta do homem à revelação que Deus lhe faz de Si mesmo. A iniciativa é sempre de Deus. Mas a resposta é nossa. Dizer “sim” ou “não” a Deus depende unicamente de nós. Não existe um “talvez” ou “amanhã, quem sabe…”. Traduzindo em bom português, estas respostas evasivas querem dizer: “agora não”. E isto, na prática, significa simplesmente: “não”. Não podemos dizer para Deus: “amanhã eu crerei”; “amanhã eu te amarei”; “amanhã eu te seguirei”. Nada podemos garantir para amanhã. Nem mesmo sabemos se estaremos vivos. Se você quer dizer um “sim” para Deus, diga-o hoje. Ou melhor, diga-o AGORA! Por que esperar? Se você tem alguma oportunidade de amar a Deus e entregar sua vida a Ele, esta oportunidade é agora: “É agora o momento favorável, é agora o dia da salvação” (2Cor 6,2).

Dando o nosso “sim” para Deus, já mostramos que temos fé. Está bem, nossa fé é muito pequena. Mas se ela for do tamanho de um grão de mostarda (que é minúsculo), já será suficiente para transportar uma montanha. Por isso, não importa qual seja o tamanho da sua fé. Importa ter fé e, perseverando em Deus, crescer na fé. “Assim, ele capacitou os santos para a obra do ministério, para a edificação do Corpo de Cristo, até chegarmos, todos juntos, à unidade na fé e no conhecimento do Filho de Deus, ao estado de adultos, à estatura do Cristo em sua plenitude. Então, não seremos mais como crianças, entregues ao sabor das ondas e levados por todo vento de doutrina, ludibriados pelos outros e por eles, com astúcia, induzidos ao erro. Ao contrário, vivendo segundo a verdade, no amor, cresceremos sob todos os aspectos em relação a Cristo, que é a cabeça” (Ef 4,11-15).

Nosso objetivo neste artigo é ajudá-lo a ter uma fé sólida e madura. Por isso, vamos tratar aqui de um desses “ventos de doutrina”, que se chama reencarnação. Vamos então ver a diferença entre RESSURREIÇÃO e reencarnação. Nós, cristãos, cremos na Ressurreição! Cremos que o homem nasce e morre uma única vez: “E como está determinado que os homens morram uma só vez, e depois vem o julgamento, assim também Cris-to, oferecido uma vez por todas para tirar os pecados da multidão, aparecerá uma segunda vez, não mais em relação ao pecado, mas para salvar aqueles que o esperam” (Hb 9,27-28).

– Como então acreditar que alguém possa morrer e reencarnar várias vezes? Cristo é o único salvador de toda a humanidade! Cremos que, por sua morte na cruz, Cristo redimiu todos os homens. Nenhum homem é capaz de apagar os próprios pecados; Cristo é o único salvador da humanidade.
– Como então acreditar que alguém possa reencarnar várias vezes, até se purificar completamente do seu karma (as culpas que ele acumulou pelos seus erros nesta vida e nas vidas passadas)? Se o homem pode salvar-se a si mesmo, então Jesus morreu em vão na cruz?! Se o homem se salva através das sucessivas reencarnações, que dizer dessas palavras de São Pedro? “Tende consciência de que fostes resgatados da vida fútil herdada de vossos pais, não por coisas perecíveis, como a prata ou o ouro, mas pelo precioso sangue de Cristo, cordeiro sem defeito e sem mancha” (1Pd 1,18-19). Na ressurreição, teremos um corpo glorioso!

Perdoados pelo único sacrifício redentor de Cristo, ressuscitaremos para a vida eterna. Assim como Cristo ressuscitou, também nós ressuscitaremos. Na ressurreição, teremos um corpo glorioso, não mais sujeito à fome, às doenças, ao envelhecimento, ao sofrimento e à morte. Será um corpo glorioso que refletirá a glória e a perfeição do Criador.

O mesmo Deus que deu a vida ao ser humano na obra da criação dá ao homem uma vida nova na obra ainda maior da ressurreição. Ao assumir um corpo humano, Cristo nos revela a dignidade e santidade do nosso corpo. Não somos espíritos presos na matéria; somos seres humanos completos, que receberam um corpo e uma alma como dom maravilhoso de Deus. Os anjos são seres puramente espirituais, mas o homem possui corpo e alma.

Cristo veio para salvar o homem todo; para isso assumiu nossa vida humana em plenitude. Portanto, assim como nossa alma será redimida, também nosso corpo será redimido. Através da morte de cruz, Cristo nos libertou do pecado. Mas a obra da redenção se completa na ressurreição, quando Cristo nos livra da morte.
– Como então acreditar que, depois de purificar-se totalmente através das sucessivas reencarnações, o homem se desencarna definitivamente, livrando-se da “prisão do corpo” e passando a viver como puro espírito? Esta falsa doutrina da reencarnação nega a ressurreição da carne. Como é possível ser cristão e acreditar em reencarnação? É impossível!

Aquele que reza “creio na ressurreição da carne, na vida eterna, amém” jamais poderá crer na desencarnação definitiva. Essas duas realidades são incompatíveis! Ou melhor, a RESSURREIÇÃO é uma REALIDADE e a reencarnação não passa de ficção.

A RESSURREIÇÃO é a razão da nossa fé! “Pois, se os mortos não ressuscitam, então Cristo também não ressuscitou. E se Cristo não ressuscitou, a vossa fé não tem nenhum valor e ainda estais nos vossos pecados. Então, também pereceram os que morreram em Cristo. Se é só para esta vida que pusemos a nossa esperança em Cristo, somos, dentre todos os homens, os mais dignos de compaixão. Mas, na realidade, Cristo ressuscitou dos mortos como primícias dos que morreram” (1Cor 15,16-20).

– Um cristão que acredita em reencarnação, mesmo que não saiba, está negando a ressurreição de Cristo. Que aquele que se diz cristão e ainda acredita em fábulas como a reencarnação reveja seus caminhos, deixe o Espírito Santo aprofundar seu relacionamento com o Deus vivo e procure aprender a sã doutrina que Cristo confiou à sua Igreja.

De fato, se Cristo ressuscitou e somos seus discípulos, também nós ressuscita-remos com ele: “E, se o Espírito daquele que ressuscitou Cristo dentre os mortos habita em vós, aquele que ressuscitou Cristo dentre os mortos vivificará também vossos corpos mortais, pelo seu Espírito que habita em vós” (Rm 8,11). Esta é nossa fé e nossa esperança!

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.