Queremos ver Jesus

Nos tempos de hoje o que mais temos visto são propostas de todos os lados para que deixemos de sofrer. É a mídia que oferece o extremamente fácil, são denominações cristãs que fazem propostas que muitas vezes vem a calhar nesse mundo tão paganizado e sem visão espiritual. Até nós mesmos que somos cristãos, esquecemos de olhar para cruz de Cristo e comprovar que foi pelo sofrimento de um Homem-Deus que fomos salvos, que fomos sarados da morte que o pecado gerou na humanidade.

Em sua “kênosis”, o Filho de Deus se humilhou, se fez homem e sofreu por amor a cada um de nós. Estamos perdendo a sensibilidade espiritual em saber aproveitar dos sofrimentos, para então tranformá-los em intercessão, conversão, oportunidade de crescimento.

Em 2004 a Igreja no Brasil lançou um projeto de evangelização que traz uma linda proposta que saiu dos lábios dos gregos: “Queremos ver Jesus – Caminho, Verdade e Vida”.(Jo 12, 21b), o projeto vai até 2007. Esse também é o lema da Canção Nova para o ano de 2005: “Queremos ver Jesus”. Existem muitas formas e meios de fazermos essa experiência de ver Jesus. Confesso que nesses dias descobri esse novo meio de ver Jesus, por meio da face do sofrimento.

O profeta Isaías experimentou isso: “No ano em que morreu o rei Ozias vi o Senhor, sentado em trono alto e majestoso. A orla de seu manto enchia o templo”. (Is 6, 1). Isaías foi profeta durante todo o reinado de Ozias, que durou mais ou menos cinqüenta e dois anos; ele era o pregador oficial do rei, o profeta da corte, e além de tudo isso, era primo de Ozias. A morte do rei foi uma grande perda para Isaías, caíram diante de seus olhos todas as suas seguranças, só restava Deus para ele, e foi esse Deus, o verdadeiro Rei de sua vida que foi buscar para aliviar seus sofrimentos, e em meio a essa tormenta, a esse sofrimento que Isaías testemunha que viu o Senhor em Sua glória.

Fico pensando que nos cinqüenta e dois anos em que foi profeta do rei, quantas vezes Isaías foi adorar o Senhor no templo e não viu o Senhor e Sua glória, mas porém, no auge de sua dor, na perda do “primo-amigo-rei”, talvez no momento de maior angústia de sua vida, ele afirma com veemência: “…eu vi o Senhor”. Precisamos como Isaías aprender a ver o Senhor no nosso sofrimento.

Em 2003 fiz uma cirurgia de varizes e que não foi bem sucedida, e desta cirurgia depois de quinze dias acabei tendo uma trombose, e da trombose uma embolia pulmonar e meu pulmão esquerdo teve um infarto no lobo inferior; não sei explicar o tamanho da dor que senti na região do pulmão, e ainda hoje sou impedido por prescrições médicas a fazer muitas coisas que gosto (esportes, viajar, viver uma vida normal), mas posso confessar que na dor que ainda sinto hoje em minhas pernas e naqueles momentos em que tive entre a vida e a morte: “…eu vi o Senhor em Sua glória, e a orla de Seu manto enchia o meu coração, aquele quarto de hospital”.

No mesmo mês que fui acometido por essa enfermidade, meu grande amigo da minha cidade, chamado José, amigo de fé mesmo, sofreu um acidente de moto e quinze dias depois veio a falecer, talvez tenha sido a maior perda que sofri até hoje, e mais uma vez posso testemunhar junto com Isaías: “No auge da minha dor, eu vi o Senhor, sentado em trono alto e majestoso. A orla de seu manto enchia o templo”, posso dizer que entre lágrimas eu vi o Senhor e o tenho visto na minha luta diária de todos os dias. E quantos irmãos e amigos tem visto o Senhor e Sua glória através desses momentos de dor e sofrimento: me recordo da Heloísa, Eliana Sá, Eto (todos da comunidade Canção Nova), Thiago (amigo meu que está preso), e sei que essa lista seria muito maior e que teu nome estaria nela.

Queremos ver Jesus, e esse é o clamor do nosso coração no dia de hoje, e o sofrimento é uma tremenda oportunidade de vê-lo concretamente. Você que está com alguma enfermidade, sentindo dores fortes, você que traz uma tremenda dor no coração por causa de uma perda, você que tem seu filho nas drogas, o marido no alcoolismo, você foi traído ou traída, ofereça a dor que trazes hoje no coração como oferenda de conversão para os teus como também para a libertação do mundo que jaz nas trevas impostas pelo mistério da iniqüidade.

Não desista nunca, o teu sofrimento, ou melhor, o nosso sofrimento é oportunidade de um encontro pessoal com Jesus. Você quer ver Jesus? Aproveite a oportunidade do sofrimento que vives hoje, não jogue fora essa oportunidade! Estou unido a você no teu sofrimento, e junto com Isaías podemos exclamar: “…Vi o Senhor sentado em trono alto e majestoso. A orla de Seu manto enchia o templo”. Amém. Aleluia!

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.