O martírio dos cristãos

Muitos cristãos, em todos os tempos, deram a sua vida pelo Evangelho e pelo Reino de Deus, imitando o próprio Cristo, que se entregou para a salvação do mundo. Jesus é o “Mártir dos mártires”; pois a sua entrega foi voluntária.
O cristianismo venceu o Império Romano somente depois que milhares de mártires derramaram seu sangue como tributo da implantação do Evangelho na Roma pagã. Na verdade, em todos os lugares onde o Evangelho entrou e floresceu, o sangue dos mártires foi derramado como semente lançado na terra nova.

O martírio cristão é diferente dos outros “martírios”. O cristão morre por fidelidade ao Evangelho e a Cristo, ao passo que o maometano, mulçumano, morre por nacionalismo, fundido entre si religião e etnia dentro de um contexto de “guerra santa”. Jamais isso poderá ser caracterizado como martírio, pois alem de ser um suicídio, provoca a morte de pessoas inocentes.

A palavra mártir vem do grego “martys”, “martyros” que significa testemunha. O papa Bento XVI assim se exprime:
“O martírio e a morte voluntariamente aceita por causa da fé cristã ou por causa do exercício de outra virtude relacionada com a fé”.

O martírio é uma graça que Deus concede a alguns; nem por isso o cristão deve procurar o martirio, e nem provocar os adversários da fé. A Igreja não aprova isso, pois poderia ser presunção e seria provocar o pecado do próximo ou dos algozes.
Para que haja martírio cristão é necessário que o fiel morra livremente por causa da fé. Não é qualquer pessoa que morra defendendo uma causa que é mártir.
Tem havido confusão sobre isto; as vezes são declarados, apressadamente, e sem o aval da Igreja, como “mártires”, alguns que na América Latina defenderam alguma causa política e não de fé.

Para que a Igreja declare oficialmente que alguém é mártir da fé, são feitas pesquisas a respeito da verdadeira causa da morte; a livre aceitação da morte; graças ou milagres obtidos por intercessão do (a) servo (a) de Deus. O sangue dos mártires continua a ser semente de novos cristãos, e será até a volta do Senhor.

Artigo extraído do livro Não vos conformeis com este mundo


Felipe Aquino

Professor Felipe Aquino é viuvo, pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova. Página do professor: www.cleofas.com.br Twitter: @pfelipeaquino

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.