Crença religiosa diminui possibilidade de vício

As pessoas que têm uma crença religiosa, têm menos possibilidades de abusar de álcool e drogas ilegais do que aqueles que não professam nenhuma fé segundo revela uma pesquisa realizada pela Universidade de Columbia, EUA.

O relatório destacou a tendência de evitar drogas e álcool nas pessoas que freqüentam regularmente as celebrações litúrgicas, e naquelas que atribuem importância à profissão da fé, independentemente de a praticarem ou não. Estudos realizados previamente já demonstravam que a religião tem efeitos benéficos para a saúde mental e física, e em relação à expectativa de vida.

Segundo o relatório, os adultos que nunca participam de ofícios religiosos têm cinco vezes mais probabilidades de recorrer a drogas ilícitas, e quase sete vezes mais, de cair no túnel do álcool, do que aqueles que freqüentam as igrejas semanalmente.
Os adultos que não atribuem importância à religião, diz o estudo, têm três vezes mais chances de se tornarem dependentes de álcool e quase quatro vezes mais, de usarem drogas do que os que encaram a religião como algo importante em suas vidas, ainda que não participem regularmente dos ofícios religiosos.

O clero reconhece que o abuso é difuso, e admite não estar preparado para enfrentá-lo. Somente 12,5% dos sacerdotes estudaram formalmente o tema do abuso de substâncias. O informe recomenda uma formação mais específica capaz de ajudá-los a reconhecer os sinais do abuso, e também a informar os alcoólatras, a fim de evitar recaídas.

Também seria importante, de acordo com o estudo, falar mais, nas igrejas, sobre o problema. Aos profissionais da saúde, o Centro da Universidade de Columbia aconselha mais sensibilidade para reconhecer os potenciais benéficos da religião, e para compreender que muitos pacientes desejam ajuda espiritual para complementar o tratamento.

Fonte: Rádio Vaticano

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.