Bento é bênção...

Conta-se que a família Sarto, logo após a eleição de Pio X como Sumo Pontífice, foi de Riese (Vêneto) a Roma a fim de visitar o parente ilustre. Entre os familiares estava um sobrinho de pouca idade. Na despedida todos tinham algum augúrio. O sobrinho também falou ao Papa: “Faço votos que continue católico”!

Lembrei-me do fato na casa do representante do Papa no Brasil, Dom Lorenzo Baldisseri, chamado oficialmente de Núncio Apostólico. Ele convidou os bispos do Conselho Permanente da CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil) a celebrar com ele a festa de São Pedro e São Paulo. Foi justamente neste dia que Josepf Ratzinger, 55 anos atrás, recebeu a ordenação sacerdotal, na terra de Marktl am Inn, sul da Alemanha. Por coincidência também Dom Lorenzo foi ordenado presbítero na festa de São Pedro e São Paulo. Ofereci a Missa pelo Papa e pelo Núncio.

O menino de Riese não falou uma bobagem, pois é claro que o sucessor de Pedro deve conservar a fé. Mas o Mestre deu a Pedro missão maior: a de confirmar os irmãos na fé (Lc 22, 32). Ele é o mestre supremo na Igreja de Deus e para isto tem a promessa da assistência do Espírito Santo.

Bento XVI, segundo testemunho unânime de quantos o conhecem, é uma das pessoas mais inteligentes da face da terra. Todos admiram a profundidade, a clareza e a lógica de seus pronunciamentos e de seus escritos. No entanto, uma criança pode compreendê-los, tal a simplicidade e a humanidade do Papa alemão.

Bento XVI, com sua clarividência, conduz a Igreja ao cerne do Evangelho, que é AMOR. Ao ordenar padres novos em Roma, disse-lhes que não precisam ser peritos nas ciências humanas, mas devem ser homens de Deus, capazes de promover o diálogo das pessoas com Deus.

O estilo austero, sem gestos maiores do Servo dos Servos de Deus faz pensar que a Providência enviou um homem dedicado mais a assuntos internos da Igreja. Para que a luz de Cristo brilhe na face da Igreja e ela possa iluminar com o Evangelho todos os povos.

Recordo a palavra de Cristo a Pedro: “Tu és Pedro e sobre esta pedra edificarei a minha Igreja e as portas do inferno não prevalecerão contra ela” (Mateus 16, 18). E convido a fazer hoje por Bento XVI o que a Igreja primitiva fazia por Pedro: “A Igreja rezava continuamente por ele” (At 12,5). Para que Bento seja de fato uma bênção para a humanidade inteira.

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.