A vida humana é sagrada

1. Nesta Quaresma de 2002 temos talvez mais razões para pensar na vida. Todos verificamos e sentimos que as diversas formas de violência aumentam a insegurança e geram a angústia. A fragilidade no tempo e no ter faz discernir e ponderar o mais além e o ser. Os acontecimentos de terrorismo e retaliações são alarmes ou gritos de alerta, que convidam à reflexão interior e à conversão colectiva. Das pessoas e das nações. Na esperança e na busca da harmonia e da paz.

2. Para os cristãos, o tempo quaresmal é mais que o ramadão para os islamitas, é mais que a quarentena de isolamento ou o longo retiro de deserto. É preparação activa de reencontro e ressurgimento. A prática da quaresma, no conjunto dos sentimentos, vivências e actos, ilumina o espírito, para eliminar toxinas, purificar a memória e rectificar os projectos da vida. A quaresma é tempo e graça de exame de consciência, de perdão, de reconciliação e de paz.

O tempo litúrgico da quaresma, desde a quarta-feira de cinzas até à quinta-feira da semana santa, é um apelo providencial a todos os cristãos para reforçarem a ascese/renúncia e se purificarem pelo sacramento da penitência. Esta prática programada e colectiva remonta ao século IV; mantém toda a actualidade, porventura com formas novas, e prepara a comemoração/vivência da Páscoa.

3. Na mensagem quaresmal deste ano, João Paulo II exorta com veemência à conversão dos indivíduos e dos grupos, ao mesmo tempo que invoca a obrigação de partilhar os valores humanos e económicos. Escolheu a forte recomendação de Cristo: Recebestes de graça, dai de graça. E acrescenta o Pastor da Igreja Católica: “Que estas palavras evangélicas ressoem no coração de cada comunidade durante a sua peregrinação penitencial para a Páscoa”.

A vida é um “dom” precioso. Na sua integridade. Na sua pluralidade. Ninguém é “dono” de si mesmo, e muito menos dos outros. A vida humana é sagrada. Deve ser preservada e promovida. Em qualquer das fases e situações do seu percurso no tempo. A comemoração da paixão e morte de Cristo faz recordar as vítimas inocentes e levanta bem alto o estandarte da imortalidade!

4. A rebeldia original e a tentação permanente de nos endeusarmos estão na condição humana e reaparecem subtilmente no itinerário circunstancial de cada um, no seu relacionamento social e na caminhada civilizacional de todo o povo. Mas não podemos esquecer as coordenadas e as limitações do nosso viver em comum, e na perspectiva escatológica do mais além. Por isso, o Papa lembra mais uma vez que “as conquistas da biotecnologia” podem conduzir o ser humano a imaginar-se criador de si mesmo, com o poder de manipular a “árvore da vida” (cf. Gen 3, 24).

Importa, pois, repetir por todos os meios que a vida humana é um dom e um bem fora do mercado, que urge apreciar e defender, “mesmo quando é atingida pelo sofrimento e pela velhice”. Este dom, acrescenta João Paulo II, “é gratuitamente recebido e deve ser gratuitamente colocado ao serviço dos demais”. Em comunhão!

5. A nossa 71ª peregrinação diocesana a Fátima, antecipada para o 4º domingo da quaresma (10 de Março), a fim de os eleitores poderem mais facilmente praticar o dever de votar no domingo seguinte, terá o tema sugestivo e interpelativo de que “Deus gosta de falar com os homens”, o que faz de muitas maneiras e em todos os tempos para cada um de nós. Todo o programa da peregrinação, que integra o encerramento do Sínodo Diocesano, será oportunamente publicado.

6. Em todos os domingos da quaresma 2002, tenciono celebrar para os cristãos praticantes a Missa na sé, ao fim da tarde. Especialmente para os menos praticantes farei uma reflexão ou “conferência quaresmal” em todas as sextas-feiras da quaresma, à noite, com temas, indicação do lugar e do horário que foram ou serão dados a conhecer pelos meios de comunicação social.

7. Foi tornado público o apuramento final do contributo penitencial e da renúncia quaresmal no ano transacto de 2001 na nossa Diocese. As ofertas entregues somaram a quantia de 11.673.733$00, dos quais 50% foram entregues à Cáritas Diocesana “para oportunas acções e contribuições na área da toxicodependência”.
A mesma percentagem deste ano 2002 será mandada para Timor Leste, com a finalidade de restaurar e manter um hospital/maternidade. Recomendo aos Sacerdotes que expliquem o sentido penitencial da quaresma e formulo votos de boa caminha para a Páscoa.

† Serafim de Sousa Ferreira e Silva,
Bispo de Leiria-Fátima

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.