A previdência do caipira

Moro num Brasil que o Brasil infelizmente ainda não conhece…
Um Brasil como tantos outros, marcado pela simplicidade e pela fé em Deus.

Escrevo muitas histórias que eu vivo em minhas andanças por este interior pantaneiro tão bonito.

E lá vai mais uma de caipira!

Com seus oitenta anos, bem arrumadinho, jeito moreno, pele queimada de sol, mãos calejadas e um sorriso dos mais bonitos que eu já vi.

Forte e com cara de vida bem resolvida… Do meu lado… No transporte urbano municipal…

Papo vai, papo vem, ele me disse que tinha cinqüenta e seis anos de casado, trabalhou desde criança…

Descontraidamente disse que um dia eu chegaria lá! Que eu e minha esposa também sonhávamos com o casamento para sempre! E que eu também tinha uma ponta de “inveja”…

Qual era o segredo para tanta felicidade?!

O “velhinho” irradiava alegria.
Quando perguntei o segredo daquela verdadeira “fonte de juventude”, ele me deu um sorriso maroto e riu bastante. Mas respondeu assim:

– O segredo é a aposentadoria do “veio”…

Logo imaginei que estava diante de algum fazendeiro bem sucedido e simples, como tantos que hoje existem por estas paisagens sul-mato-grossenses.

Achei em meu pensamento que talvez com dinheiro ele pudesse ter uma velhice mais tranqüila…
Em poucos segundos já fiz um verdadeiro roteiro mental e pensei: “- Nossa… Vou ter que trabalhar muito para poder chegar à velhice com algum dinheiro guardado para curtir a vida.”

Tomei um fôlego e perguntei a ele que tipo de aposentadoria ele tinha…

Se porventura ele tinha sido do funcionalismo público ou se era fazendeiro, ou se tinha algum tipo de previdência privada…

Ele simplesmente sorriu e falou…

– A aposentadoria do “veio” é filho!

– Como? Filho?

– Sim! A aposentadoria do “véio” é filho…pois tenho oito filhos que são honestos e trabalhadores. Uma é médica e dois são advogados, tem a enfermeira e o resto trabalha “tudinho” no comércio do mais velho que tem uma venda. Foram criados na fé a Nossa Senhora das Graças e desde de criança aprenderam dentro de casa a honrar pai e mãe… É por isso que eu falo: a aposentadoria do “véio” é filho. Nunca passo necessidade!

Neste texto eu não desejo de forma alguma retirar as responsabilidades sociais do governo com o trabalhador e nem fazer uma falsa apologia a discursos sobre a Previdência Social.

Mas só fazer pensar sobre uma coisa:

“Filhos, obedecei a vossos pais segundo o Senhor; porque isto é justo. O primeiro mandamento acompanhado de uma promessa é:
Honra teu pai e tua mãe, para que sejas feliz e tenhas longa vida sobre a terra (Dt 5,16). Pais, não exaspereis vossos filhos. Pelo contrário, criai-os na educação e doutrina do Senhor.” Efésios 6,1-4


Paulo Victor e Letícia Dias

Cirurgião-dentista de formação, Paulo Victor foi membro da Comunidade Canção Nova como apresentador, locutor e radialista. Atualmente, ele mora em Campo Grande (MS). É empresário e casado com Letícia Dias.

Letícia Dias é Gerente de Conteúdo e estudante de Letras/Libras com foco na Educação Especial. Foi membro da Comunidade Canção Nova como apresentadora de programas. Hoje, ela mantém uma agitada rotina familiar. Letícia tem um filho caçula que nasceu com Síndrome de Down, e isso a refaz todos os dias.

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.