Vocação profética

Sou diferente dos outros

Cada um de nós deve exercer a profecia dentro do seu específico

“Falou o Senhor Deus, quem não profetizará?” (Am 3,8b).

Todo profeta transmite a Palavra de Deus dentro de um contexto específico, da realidade concreta da qual ele faz parte, e a partir da qual Deus quer orientar Seu povo.

Num mesmo tempo, pode haver vários profetas. Todos vivendo as mesmas dificuldades e, consequentemente, transmitindo a mensagem de Deus a respeito das mesmas situações.

Foto: Daniel Mafra / cancaonova.com

Amós, por exemplo, fala dentro de um mesmo contexto que o profeta Oseias. Eles são contemporâneos. Oseias exerce seu ministério poucos anos depois de Amós. Só que, mesmo ambos vivendo na mesma época, passando pelas mesmas situações, combatendo os mesmos males, esses homens executavam sua profecia de modo diferente, de modo particular.

A mensagem divina poderia ter sido a mesma, mas seria transmitida de modo pessoal, por meio de uma linguagem específica, com o jeito próprio de quem profetiza. A maneira de anunciar as palavras divinas se torna diferente, pois cada profeta possui um jeito particular de viver e, dessa maneira, de transmitir a profecia. Assim, todos nós somos chamados a profetizar. Deus quer nos falar, mas é preciso que sejamos o canal para que as mensagens do Senhor cheguem ao mundo.

Estamos todos vivendo as mesmas dificuldades desse nosso mundo pós-contemporâneo; enfrentamos, muitas vezes, as mesmas lutas e problemas que os demais. Como Amós e Oseias, somos contemporâneos. Fazemos parte do mesmo contexto, e a mensagem de Deus é a mesma para os dias de hoje.

“Falou o Senhor Deus, quem não profetizará?” (Am 3,8b).

Como transmitir a mensagem de Deus

O que nos diferencia é como cada um de nós, dentro da nossa particularidade, transmite essa mensagem. Muitas pessoas experimentam ouvir a voz de Deus das mais diversas maneiras, mas, por não terem a facilidade da eloquência, acabam guardando só para si as riquezas das mensagens divinas.

Precisamos entender o seguinte: da mesma maneira que Deus usa de diferentes modos para nos falar ao coração, também nós precisamos utilizar dos mais variados recursos para transmitir aos outros a mensagem divina. Não são apenas as pessoas que falam, cantam ou mostram algum trabalho para um grande público da Igreja, que transmitem as mensagens divinas. Deus nos fala individualmente; então, também nós precisamos transmitir a mensagem divina de modo individual.

Tenho uma amiga que, de vez em quando, me escreve um cartãozinho. Geralmente, esses cartões chegam quando estou passando por alguma dificuldade. Escrevendo esses pequeninos e singelos cartões, ela profetiza na minha vida, pois traz a mim a mensagem divina de modo íntimo e particular. Portanto, são com as ferramentas que tenho na mão, no meio no qual estou inserido, para as pessoas com as quais convivo, que vou transmitir as mensagens que creio serem divinas. De modo simples e pessoal, direcionadas sempre para o bem e tendo como fruto a paz, tanto na minha vida como na das pessoas, para as quais transmito essas mensagens.

O papel profético dos leigos

Se cada um assim o fizer, vamos nos aprimorando em ouvir a Deus e transmitir a mensagem d’Ele, e, como num efeito em cadeia, transformamos as realidades desse mundo tão necessitado de boas notícias. Especialmente, nós, leigos, precisamos assumir nosso papel profético nos dias de hoje. A Igreja nos diz que cabe ao leigo, por sua vocação (profética), procurar o Reino de Deus, exercendo funções temporais e ordenando-as segundo Deus.

Isso quer dizer que cada um de nós deve exercer a profecia dentro do seu específico. Na profissão que exerce, na família onde vive, nos trabalhos que executa, na paróquia em que está inserido, enfim, precisamos impregnar as realidades sociais, políticas e econômicas com as exigências da doutrina e da vida cristã, e essa é a mensagem de Deus para os dias de hoje, a qual, como profetas, temos o dever de transmiti-la.

Leia mais:
.: A missão dos leigos na Igreja
.: Homens escolhidos para estarem a serviço de toda a humanidade
.: Como conciliar a nova evangelização e a mídia?

A Igreja ensina que nós leigos somos a linha mais avançada na vida dela [Igreja]. Nós estamos inseridos diretamente na sociedade. É nossa função trabalhar na construção política, na organização social, e é fundamental que cada um de nós, a seu modo e no seu lugar, transmita a mensagem divina, assim como Amós, Oseias e tantos outros que anunciaram as palavras de Deus com seu jeito próprio e sua linguagem específica, pois “Falou o Senhor Deus, quem não profetizará?” (Am 3,8b).

Deus nos abençoe!


Denis Duarte

Denis Duarte é graduado em letras, especialista em Bíblia e mestre em Ciências da Religião. Professor e vice-diretor da Faculdade Canção Nova.

 

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.