Os anjos do volante

A importância de ser motorista prudente e responsável no volante

O sonho da compra do primeiro carro e o desafio de um motorista prudente

A realização de um grande sonho de consumo se materializa quando surge a oportunidade de comprar um carro. Não interessa se é daquele tipo que se está isento do pagamento do IPVA, um modelo 1.0 ou um outro modelo que exigirá o pagamento do imposto correspondente a alguns salários mínimos.

Atrás de um volante, muitos motoristas parecem ser transformados. Mesmo não sendo “motoristas mutantes”, quando, no trânsito, são vítimas de uma fechada ou perdem a vaga de um estacionamento, facilmente colocam as garras de fora. Aqueles que antes pareciam tão centrados emocionalmente, demonstram, agora, reações contrárias ao seu comportamento usual nessas situações. Em alguns casos, muitos fazem de seus veículos uma arma, disparando em alta velocidade e tirando a vida de outros, ou os matando ao atentar verbalmente contra a sua moral. Infringindo, assim, contra o primeiro mandamento dos motoristas: não matar!

A importância de ser motorista prudente e responsável no volanteFoto: Daniel Mafra/cancaonova.com

Seja responsável no trânsito

O acúmulo de compromissos ou a falta de prudência faz muitos condutores disputarem cada centímetro do asfalto, deixando a educação acontecer numa outra ocasião. Na pressa contra os segundos, colocam em risco a sua própria vida e a de terceiros, esquecendo-se de que a estrada deve ser forma de comunhão entre pessoas e não arma mortal.

Muitas outras surpresas desagradáveis poderão estar reservadas no trânsito, e a direção defensiva é o antídoto para combater ou minimizar os riscos de um futuro aborrecimento. Cortesia e prudência ajudarão a lidar com os imprevistos. Nos tempos em que a insegurança nos assola, os carros ganham filmes escuros nos vidros e temos a impressão de que a película protetora, muitas vezes, embala também a solicitude dos corações de alguns motoristas, tornando-os indiferentes, a ponto de faltar com a ajuda ao vizinho necessitado, especialmente vítimas de acidentes.

A busca pelo avivamento de nossas virtudes deverão ser sempre as primícias de nossos relacionamentos. Contudo, existem muitas pessoas ávidas por uma oportunidade de se impor, de alguma maneira, sobre as demais. Para alguns corações desatentos, a ânsia pelo poder alimenta, sorrateiramente, os ânimos, fazendo com que tudo se transforme em sinônimo de glória. Não obstante, o valor de um automóvel e suas qualidades podem ser expressão de poder e dominação, e uma ocasião para pecar.

Leia mais:
.: Os motoristas e São Cristovão
.: Insegurança, o desafio nosso de cada dia
.: Como enfrentar os seus medos
.: Coragem: não tenhais medo

Atenção no trânsito

A sensação de poder e o sabor inebriante da liberdade podem fazer com que jovens e adultos inaptos à prática da direção ousem assumir a função de motorista. Convencer jovens e os não tão jovens a não dirigirem quando não estão aptos a fazê-lo deve ser o compromisso daqueles que dizem amá-los, pois muitos motoristas incapacitados ou sem condições físicas para dirigir dificultam a vida de outras pessoas inocentes, provocando tragédias. O mínimo que poderíamos fazer ao presenciá-las, em vez de parar apenas como observadores curiosos, seria apoiar as famílias de vítimas de acidentes, sendo solícitos em suas necessidades momentâneas.

Dos grandes aos pequenos acidentes de trânsito é muito comum presenciar discussões. Nem sempre são relevantes os motivos que alteram os ânimos dos motoristas, fazendo-os digladiar com palavras de forma a humilhar o seu semelhante. Cabe a outros motoristas, distanciados da situação, procurar prestar socorro e acalmar os mais exaltados, aproximando o motorista culpado e a vítima para propiciar o perdão.

Se em cada novo motorista habilitado houver o desejo de aplicar nas estradas o senso de proteção e zelo para com os mais vulneráveis, respeitando as oportunidades de ultrapassagens seguras e não se valendo do tamanho ou peso de seus veículos sobre os carros de passeio, certamente, nossas estradas se transformarão em grandes veredas, pelas quais cada um que por elas trafegar poderá se sentir responsável pelo seu próximo.

Busquemos cultivar e viver as nossas responsabilidades como intercessores motorizados.

Um abraço a todos. Nós nos veremos no próximo cruzamento!

Artigo produzido a partir dos Mandamentos para Motoristas, criados pelo Vaticano para promover mais segurança nas estradas.


Dado Moura

Dado Moura trabalha atualmente na  Editora Canção Nova, autor de 4 livros, todos direcionados a boa vivência em nossos relacionamentos. Outros temas do autor estão disponíveis em www.meurelacionamento.net twitter: @dadomoura facebook: www.facebook.com/reflexoes

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.