Um momento, por favor?

Como é possível conciliar o tempo com as atividades do dia a dia?

Devemos aprender a administrar melhor o nosso tempo

Uma das grandes lutas que o homem moderno trava, diariamente, é conciliar o seu tempo com as inúmeras atividades impostas, às vezes, por ele próprio. Vê-se constantemente diante de duas opções: fazer as pazes com o tempo e o acolher como amigo conselheiro, ou tê-lo na qualidade de rival e passar a vida lutando contra ele.

O fato é que, cada vez mais, o tempo é alvo de empreendimentos e, por sua tão grande importância, consegue até definir estilos de vida. É comum vermos pessoas caminhando apressadas e buscando meios que antecipem a realização de seus desejos. Drive-in, caixa eletrônico, internet, automóveis, aviões, etc.. Citando apenas alguns itens, da infindável lista de opções modernas, criadas pelo ser humano com o objetivo de “facilitar a vida” e ganhar tempo.

Como-é-possível-conciliar-o-tempo-com-as-atividades-do-dia-a-dia

Foto Ilustrativa: SrdjanPav by Getty Images

A praticidade da vida moderna melhora ou atrapalha?

É verdade que, estamos em uma época na qual a modernidade favorece uma vida mais prática, mais leve, porém, tem (como em todos os casos) seus excessos. A alegria de receber uma carta que vem pelo correio, por exemplo, foi substituída pelas conversas on-line, que movidas pelos impulsos e pela pressa, nem sempre expressam a linguagem real do coração. Esperar numa fila de banco ou supermercado, por exemplo, é um sacrifício fora do comum para muitos e quando, num balcão ou ao telefone, alguém pede “um momento, por favor”, dependendo do caso, parece uma “martelada” que não se pode suportar. Seria tudo isso normal, ou estamos mesmo infectados pelo “vírus da falta de tempo”?

Sempre ouvi dizer que, “tempo é uma questão de prioridade”. Até concordo! Mas, como descobrir o que é prioridade a cada fração de segundo? Eis o grande desafio de quem, como eu, leva a vida tentando fazer as pazes com o tempo.

Os sábios ao longo da história sempre falaram da preciosidade que o tempo esconde, e posso afirmar que tenho colhido bons frutos das esperas que a vida me oferece.

Deus, sabendo das minhas lutas, “visitou-me” outro dia, quando estava bastante atarefada e angustiada, por não conseguir ajustar minhas atividades com o tempo. Por isso, falarei de uma fábula que li em um folheto da liturgia diária.

Diz a história que o Arcanjo Gabriel fora enviado por Deus para conceder o dom da vida eterna a quem tivesse um pouco de tempo disponível para recebê-lo. O Arcanjo partiu animado com o desejo de distribuir o dom a todos, já que lhe era dado o direito. Porém, à noite, regressou para Deus com o dom ainda intacto nas mãos.

“-Não encontrei ninguém que tivesse um pouco de tempo, Senhor. Estavam todos agarrados ao passado ou a pensar no amanhã”. Disse com tristeza o Arcanjo a Deus, devolvendo-lhe o dom da vida eterna.

Leia mais:
.: Como fazer o encontro do nosso tempo, com o tempo de Deus?
.: Em tempo de redes sociais, como manter uma amizade fisicamente?
.: Aprenda a valorizar o seu tempo verdadeiramente com boas atitudes
.: Administrar o tempo, uma estratégia urgente

Quais são as nossas prioridades?

No mesmo folheto, o padre Clemente Rebora, acrescentou seu comentário a esse assunto, dizendo que devemos estar sempre muito atentos com relação à prioridade do que fazemos a cada instante. Pois, ter saudade do passado, evadir-se do presente e preocupar-se exageradamente com o futuro, são as três armas que o inimigo de Deus mais utiliza para perder nossas almas. E cita o “agora” de Maria como exemplo, por excelência, de disponibilidade e discernimento à voz de Deus, virtudes essas que devem ser seguidas por cada cristão.

A meu ver, o tempo continua sendo um mistério digno de atenção; saber lidar com ele é uma bela arte, da qual somos eternos aprendizes. Pensando sobre isso, chego à conclusão de que o tempo pode ser comparado a uma mala de viagem, dentro da qual “por impulso” colocamos várias coisas, algumas até inúteis, e, rapidamente, declaramos “já não cabe mais nada!” Daí, percebemos que coisas essenciais ficaram para trás, então voltamos a abri-la, reorganizando os espaços, dobrando melhor as roupas e tirando os excessos. Para nossa surpresa e felicidade, finalmente, constatamos que coube tudo e até sobrou espaço.

Acredito que, hoje mesmo, se revisarmos nossa vida com calma, colocando cada coisa no seu devido lugar, e tirarmos os “excessos”, dando prioridade ao que é essencial, também vamos constatar, com alegria, que temos tempo para tudo e ainda nos sobra.

Mas uma coisa é certa: o tempo não espera por ninguém, e saber aproveitá-lo enquanto o temos “em mãos” é o caminho seguro para uma vida feliz. É a sabedoria divina que nos faz compreender o que deve ser feito a cada momento, e nos recorda que “para tudo há um tempo, para cada coisa há um momento debaixo dos céus (…)” (Eclesiastes 3:1).

Creio que vale a pena revermos nossas vidas à luz do Espírito Santo, e ficarmos mais atentos e disponíveis para acolher os “Anjos que o Senhor envia até nós”, com seus presentes.

Se for preciso esperar um momento, hoje, esperemos com calma, sabendo que a espera pode revelar novos horizontes, fazendo-nos compreender o que é essencial.

Que o Senhor nos ensine a arte de viver bem e conciliados com o tempo e suas surpresas.


Dijanira Silva

Missionária da Comunidade Canção Nova, desde 1997, Djanira reside na missão de São Paulo, onde atua nos meios de comunicação. Diariamente, apresenta programas na Rádio América CN. Às terças-feiras, está à frente do programa “De mãos unidas”, que apresenta às 21h30 na TV Canção Nova. É colunista desde 2000. Recentemente, a missionária lançou o livro “Por onde andam seus sonhos? Descubra e volte a sonhar” pela Editora Canção Nova.

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.