Depressão pós-férias

As férias acabaram e não me sinto bem!

O retorno das férias para muitas pessoas não é prazeroso. Como lidar com essas situações?

É muito comum relatos de pessoas que voltam das férias e sentem-se quase esgotadas, como se nem tivessem conseguido descansar. Existe até mesmo, uma forma de expressar algo como uma “depressão pós-férias”. Mas, isso realmente existe?

Estudos revelam que cerca de 20% dos brasileiros vivem essa situação. Ao pesquisarem profissionais em duas grandes capitais, notou-se que eles apresentavam sintomas como dores no corpo, dores de cabeça, ansiedade, angústia, cansaço; e boa parte delas usou algum tipo de medicamento ou mesmo o álcool para aliviar esses sintomas.

As férias acabaram e não me sinto bem. E agora

Foto Ilustrativa: Daniel Mafra

Esse quadro não dura mais que duas semanas em geral; nesse tempo, corpo e mente voltam a se acostumarem com o ritmo das atividades e com seu ambiente. Um dos fatos que pode potencializar essa situação, é a insatisfação anterior ao período de férias, relacionada ao ambiente e aos relacionamentos no trabalho, relacionada à empresa onde se está trabalhando, ou mesmo à sua carreira.

Como aproveitar melhor as férias?

Por vezes, as férias servem, além do descanso, servem como um tempo de reflexão sobre os rumos da nossa vida, e, por causa disso, refletimos sobre os rumos profissionais. É um tempo até mesmo para repensar nossa forma de vida, a qual, por muitas vezes, precisa de mais pausas ou de um melhor aproveitamento do tempo.

Trocas de emprego nem sempre são fáceis ou rápidas, portanto, avalie realmente se os problemas estão no trabalho ou em sua forma de percebê-lo. Para um ambiente estressante, valha-se de atividades que proporcionem momentos prazerosos, com artes, música, encontrar amigos, fazer uma atividade voluntária. O reconhecimento e a satisfação obtida nessas atividades têm um valor muito grande em nossa saúde mental.

Se suas novas férias acontecerão daqui a um ano, aproveite fins de semana ou pequenos momentos de folga. Nem sempre 30 dias corridos são tão bem usados, quanto um bom fim de semana. Quantidade de tempo nem sempre é qualidade de aproveitamento do tempo.

Leia mais:
.: Férias como muita diversão e gastando pouco
.: O direito e o dever do descanso
.: Como combater o desânimo no ambiente de trabalho?
.: Jovens infelizes na profissão que escolheram, o que devem fazer?

Ao sair de férias, evite deixar pendências e a ter de responder às pendências deixadas durante as férias, a não ser que seja extremamente necessário.

Quando o retorno estiver próximo, procure regularizar seus horários de sono e alimentação, pois esse ciclo, com a volta ao trabalho e suas atividades usuais, pode gerar um grande desgaste, se estiver muito confuso e quebrado.

Quanto mais flexíveis formos, melhor nossa adaptação à rotina anterior. Quanto mais resistentes, pior ficaremos. A prática de valorizar o momento presente e aquilo que está sendo vivido o ajudará bastante, pois, viveremos as férias nas férias, e o trabalho no trabalho. Organizar o tempo, deixar-se um pouco livre para aproveitar o descanso e olhar para si, rever hábitos, cuidar da saúde física e mental, ajudará a viver o descanso bem, assim como as demandas que vierem após as suas reflexões.


Elaine Ribeiro dos Santos

Elaine Ribeiro, Psicóloga Clínica e Organizacional, colaboradora da Comunidade Canção Nova.
Blog: temasempsicologia.wordpress.com
Facebook: elaine.ribeiropsicologia Twitter: @elaineribeirosp

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.