Retiro Popular - Terceira Semana

Abrindo o coração para Deus

Como a corça anseia pelas águas vivas, assim minha alma suspira por vós, ó meu Deus.
Minha alma tem sede de Deus, do Deus vivo; quando irei contemplar a face de Deus?
Minhas lágrimas se converteram em alimento dia e noite, enquanto me repetem sem cessar: Teu Deus, onde está?
Lembro-me, e esta recordação me parte a alma, como ia entre a turba, e os conduzia à casa de Deus, entre gritos de júbilo e louvor de uma multidão em festa.
Por que te deprimes, ó minha alma, e te inquietas dentro de mim? Espera em Deus, porque ainda hei de louvá-lo:
ele é minha salvação e meu Deus. Desfalece-me a alma dentro de mim; por isso penso em vós do longínquo país do Jordão, perto do Hermon e do monte Misar.
Uma vaga traz outra no fragor das águas revoltas, todos os vagalhões de vossas torrentes passaram sobre mim.
Conceda-me o Senhor de dia a sua graça; e de noite eu cantarei, louvarei ao Deus de minha vida.
Digo a Deus: Ó meu rochedo, por que me esqueceis? Por que ando eu triste, sob a opressão do inimigo?
Sinto quebrarem-se-me os ossos, quando, em seus insultos, meus adversários me repetem todos os dias: Teu Deus, onde está ele?
Por que te deprimes, ó minha alma, e te inquietas dentro de mim? Espera em Deus, porque ainda hei de louvá-lo: ele é minha salvação e meu Deus.

Orientações para o retiro

Entre as muitas formas de se aproximar da Sagrada Escritura existe uma privilegiada à qual todos estamos convidados: a Lectio divina ou exercício de leitura orante da Sagrada Escritura. Esta leitura orante, bem praticada, conduz ao encontro com Jesus-Mestre, ao conhecimento do mistério de Jesus-Messias, à comunhão com Jesus-Filho de Deus e ao testemunho de Jesus-Senhor do universo.
Com seus quatro momentos (leitura,meditação, oração, contemplação), a leitura orante favorece o encontro pessoal com Jesus Cristo semelhante ao modo de tantos personagens do Evangelho:

Nicodemos e sua ânsia de vida eterna (cf. Jo 3,1-21), a Samaritana e seu desejo de culto verdadeiro (cf. Jo 4,1-12), o cego de nascimento e seu desejo de luz interior (cf. Jo 9), Zaqueu e sua vontade de ser diferente (cf. Lc 19,1-10).
Todos eles, graças a este encontro, foram iluminados e recriados porque se abriram à experiência da misericórdia do Pai que se oferece por sua Palavra de verdade e vida. Não abriram seu coração para algo do Messias, mas ao próprio Messias, caminho de crescimento na “maturidade conforme a sua plenitude” (Ef 4,13), processo de discipulado, de comunhão com os irmãos e de compromisso com a sociedade.

Experimente mais uma vez, durante a terceira semana da Quaresma, esta magnífica forma
de oração.

Dia 7, Terceiro Domingo da Quaresma – “O Senhor é bondoso e compassivo”.
Ex 3,1-8a.13-15
Sl 102
1Cor 10,1-6.10.12
Lc 13,1-9

Dia 8, segunda-feira – “Oxalá ouvísseis hoje a sua voz: não fecheis os corações como em Meriba!”
2Rs 5,1-15a.
Sl 41,(42), 2.3; 42 (43), 3.4 (R/. 41 [42], 3)
Lc 4,24-30

Ou facultativas (em algum dia da semana)
Ex 17,1-7
Sl 94 (95),1-2.6-7.8-9 (R/. 8)
Jo 4,5-42

Dia 9, terça-feira – “Recordai, Senhor, a vossa compaixão”.
Dn 3,25.34-43
Sl 24 (25),4bc-5ab.6-7bc.8-9 (R/. 6a)
Mt 18,21-35

Dia 10, quarta-feira – “Glorifica o Senhor, Jerusalém!”
– Dia de Via-Sacra no Retiro Popular.
Dt 4, 1.5-9
Sl 147 (147b), 12-13.15-16.19-20 (R/. 12a)
Mt 5, 17-19

Dia 11, quinta-feira – “Oxalá ouvísseis hoje a voz do Senhor: não fecheis os vossos corações”.
Jr 7,23-28
Sl 94
Lc 1,14-23

Dia 12, sexta-feira – “Ouve, meu povo, porque eu sou o teu Deus!” – Dia de Via-Sacra no
Retiro Popular.
Os 14,2-10
Sl 80 (81),6c-8a. 8bc-9. 10-11ab. 14 e 17
(R/. cf. 11 e 9a)
Mc 12,28b-34

Dia 13, sábado – “Eu quis misericórdia e não sacrifícios”.
Os 6,1-6
Sl 50 (51),3-4.18-19.20-21ab (R/. cf. Os 6, 6)
Lc 18,9-14

Comentários

comentários

↑ topo