planejamento

Quer pagar as dívidas e sair do vermelho?

É preciso planejar para pagar as dívidas e sair do vermelho

No Brasil, corre a piada: o ano começa depois do carnaval. Para muitos brasileiros, o ano começa com férias de janeiro e, logo em seguida, o carnaval. As contas, dívidas e obrigações ficam, muitas vezes, na gaveta e pouca importância se dá a elas. Após o Carnaval, começam as novidades no seu bolso: cartão de crédito estourado, financiamento atrasado, parcelas do IPVA, aumento na compra no supermercado… Em finanças, tempo é dinheiro!

Quer pagar as dívidas e sair do vermelho - 1600x1200(1)
Foto: Ridofranz, iStock by getty images.

Você já fez o seu orçamento anual? Quanto você prevê gastar, mês a mês, ao longo deste ano? Em cenários de crise econômica, é preciso ter esperança, e fazer a sua parte! Quer pagar suas dívidas? Faça hoje mesmo seu orçamento financeiro anual!

“Com organização e tempo, acha-se o segredo de fazer tudo e bem feito.” (Pitágoras)
Falar de orçamento anual no Brasil não é muito comum, mas em outros países é normal encontrar famílias, casais, pessoas, profissionais liberais, estudantes que fazem planejamento ou orçamento anual. Vamos então à forma mais direta de fazê-lo.

Como fazer um planejamento anual

Primeiramente, procure montar, ainda que de forma simples, uma planilha financeira. Pode ser que você não seja um especialista na área, mas sempre há alguém por perto que pode ajudá-lo. As planilhas hoje são bem mais fáceis de usar! Uma vez aprendidas, servirão para toda vida. Vamos aos quatro passos do seu planejamento anual:

Passo 1: Qual o objetivo financeiro neste ano:

Em sua planilha, na parte superior, escreva o seu principal objetivo financeiro no ano. Pagar as dívidas? Pagar um financiamento? Trocar ou quitar a casa ou o carro? Iniciar uma poupança para faculdade dos filhos?

Você pode sim ter vários objetivos, mas um deles precisa ser o principal, para que não perca o foco ao logo do ano. Antes de traçar um objetivo, é interessante dialogar com o conjugê, com os pais, com a família etc., pois eles podem ajudá-los na clareza da meta.
“É fácil ter objetivos na vida. O difícil é não esquecê-los no dia seguinte.”

Leia também:
:: Quer fazer um projeto de vida?

:: Como lidar com a inflação?
:: A crise econômica pode afetar minha família?
:: Crise econômica, o que é e como afeta meu bolso?

Passo 2: Qual minha previsão de Receitas?

Você precisa prever, ainda que não seja 100%, quanto irá receber mês a mês durante o ano. É importante lembrar-se dos descontos em folha: empréstimos consignados, desconto do plano de saúde etc. Você também precisa contar com uma situação nada agradável: o desemprego. Em caso de desemprego, como ficariam suas Receitas? Você receberia o seguro desemprego? Quantas fontes de renda sua família possui? Você está esperando receber alguma receita extra? Fica a dica: não se comprometa financeiramente em dívidas, contando com um dinheiro que ainda não chegou, porque isso pode lhe custar muito caro caso não aconteça!

Passo 3: Qual a previsão de despesas?

Com a inflação em alta no Brasil, e sem previsão de baixar, você já precisa contar, no seu orçamento anual, com o fato de que muitas das suas despesas irão subir. O supermercado subirá os preços e o lazer da sua família será mais caro. Outro ponto fundamental é contar com as despesas não correntes ou atípicas: reforma na casa, manutenção ou troca do automóvel, despesas médicas, viagens etc. O terceiro ponto das despesas são os imprevistos. Infelizmente, às vezes, deparamo-nos com situações que vão precisar de gastos até então pouco conhecidos. É preciso ter uma margem de segurança. Suas despesas mensais não podem chegar a 80% ou 90% da sua renda. O ideal é gastar 70% do que se ganha e poupar o restante.

Categoria economia

Passo 4: Tenho uma reserva para emergências?

Você precisa montar um saldo de reservas e, mês a mês, acumular um valor que o possa socorrer em casos de emergência. Por vezes, algumas empresas atrasam o pagamento devido à crise econômica; por isso você precisa ter um saldo de reservas para não atrasar suas contas. Os juros para atrasos no cartão de crédito passam dos 400%! Atrasos no cheque especial ou empréstimos também são absurdamente caros.

Ao terminar seu orçamento anual, seja fiel a ele. Correções virão no caminho, mas viva 2016 confiando que Deus tem o melhor para você e sua família. Não deixe de fazer a sua parte. É importante andar conforme o tamanho das pernas. Começar o ano ciente de quanto se ganha, quanto se gasta e quanto se tenta guardar é a melhor escolha! Ainda dá tempo!


Bruno Cunha

Mestrando em Desenvolvimento Regional pela Universidade de Taubaté (UNITAU), Bruno Cunha possui Pós-graduação em Administração (MBA) pela Fundação Getúlio Vargas e graduação em Ciências Econômicas pela Universidade Federal de Pernambuco. Atualmente, é diretor administrativo e financeiro da Faculdade Canção Nova, onde também atua como professor. Cunha tem experiência na área de Finanças, Economia, Educação Financeira, Finanças pessoais e Administração Financeira e Orçamentária.

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.