Bem-Aventurada

Sábado é dia dedicado à Virgem Maria, nossa mãe

Dijanira testemunha seu aprendizado com a Virgem Maria

Todos os dias, penso na Virgem Maria e em minha mãe, que, por sinal, também se chama Maria. No entanto, nos dias de sábado, a lembrança é mais forte! Se fecho os olhos por um instante, transporto-me para o Sítio Maravilhas onde nasci. Aquelas tardes ensolaradas de sábado eram realmente maravilhosas! Tinha ternura e gosto de espera no ar. Antes do pôr do sol, o papai chegava da feira e trazia coisas gostosas, além de notícias de nossos parentes e, às vezes, até um presentinho. Ele sempre trazia algo bom, mas, independente disso, sua presença já era tudo!

Sábado é dia dedicado à Virgem Maria, nossa mãe

Foto ilustrativa: Andréia Britta/cancaonova.com

E Maria Santíssima? Ela estava em tudo!

A mamãe, todos os sábados, rezava, na sala de estar, o Ofício da Imaculada Conceição, e nos ensinava que, naquele dia, o Céu estava em festa, pois o sábado era dedicado à Virgem Maria.

Era um dia diferente também para nós. Eu e meus irmãos, mesmo sem entendermos quase nada, ficávamos ao lado da mamãe tentando acompanhar aquela oração tão linda. Lembro-me de que, às vezes, ela até cantava o Ofício. Eu achava maravilhoso, pois me fazia muito bem!

Ela aprendeu com Maria o jeito simples de nos querer bem e de nos fazer felizes a partir das coisas ordinárias da vida. Ela traz em si, naturalmente, várias virtudes semelhantes às de Maria Santíssima. Nada mais animador do que ouvir sua doce voz a nos dizer: “Acho que o papai já está chegando. Vamos encontrá-lo?”.

Leia mais:
::Saudação à Virgem Maria, música de Fátima Souza
::Com Nossa Senhora chegaremos à vitória
::O nome de Maria é doce e suave aos seus devotos
::Por que o Santo Rosário é uma arma contra o demônio?

Às vezes, ela sabia que ele ainda iria demorar, mas sabia também que seu incentivo nos alegrava e nos fazia esquecer que um minuto só tem sessenta segundos. Éramos reanimados na espera a cada aparência de desânimo.

Acredito que a Virgem Maria também ensinava seu Divino Filho a esperar. Saber esperar é uma grande virtude! No que percebo, algo muito original de mãe, e que torna as mulheres vocacionadas à maternidade semelhantes é a grande capacidade que cada uma tem de amar.

Parabéns, mãe, pelo dom que Deus depositou em você!


Dijanira Silva

Missionária da Comunidade Canção Nova, desde 1997, Djanira reside na missão de São Paulo, onde atua nos meios de comunicação. Diariamente, apresenta programas na Rádio América CN. Às sextas-feiras, está à frente do programa “Florescer”, que apresenta às 18h30 na TV Canção Nova. É colunista desde 2000 do portal cancaonova.com. Também é autora do livro “Por onde andam seus sonhos? Descubra e volte a sonhar” pela Editora Canção Nova.

 

 

comentários