Reflexão

Luz da Fé: O Senhor não engana ninguém

Deus não engana ninguém. Ele é a Verdade, portanto, Suas palavras são sempre verdadeiras

Neste programa ‘Luz da Fé’, quero refletir com você sobre o número 215 do Catecismo da Igreja Católica, que nos ensina o seguinte:

Deus é a Verdade

215. “O princípio de tua palavra é a verdade, tuas normas são justiça para sempre” (Sl 119,160). “Sim, Senhor Deus, és tu que és Deus, tuas palavras são verdade” (2Sm 7,28); é por isso que as promessas de Deus sempre se realizam. Deus é a própria Verdade; Suas palavras não podem enganar. É por isso que podemos nos entregar, com toda confiança, à verdade e fidelidade de Sua palavra em todas as coisas. O começo do pecado e da queda do homem foi uma mentira do tentador, que o induziu a duvidar da palavra de Deus, de Sua benevolência e fidelidade.

Foto ilustrativa: Jorge Ribeiro / cancaonova.com

Veja só o que nos afirma o Catecismo da Igreja: Deus é a própria Verdade; Suas palavras não podem enganar.

Certa vez, abasteci o meu carro num posto de gasolina, na região do Vale do Paraíba, onde moro. De tanto andar “para cima e para baixo” com meu carro, conheço bem a capacidade do tanque de combustível dele, quantos litros aproximadamente serão necessários para encher o tanque dependendo do que está sendo mostrado no painel do veículo etc. Pois bem… Fui abastecer meu carro num determinado posto e fiquei muito surpreso ao ver que a bomba de combustível continuava a funcionar (e a cobrar o valor!) apesar dos cálculos que havia feito para encher o tanque. Após esse episódio, decidi não mais abastecer meu carro nesse posto.

Por que estou lhe contando esse fato? Porque, naquele dia, eu saí daquele posto de gasolina me sentindo enganado, lesado. É horrível a gente se sentir enganado! Não é mesmo? Você já passou por essa experiência de ter sido enganado numa situação? Já se sentiu enganado por alguém? Como é triste isso! Não é verdade?

Leia mais:
.: Luz da Fé: Descobrir a própria pequenez
.: Luz da fé: A onipotência de Deus nos liberta
.: Luz da fé: Só existe um Deus!

Entretanto, no que diz respeito a Deus, o Catecismo afirma, com segurança, que “suas palavras não podem enganar”. Que boa notícia, meu irmãos! Deus não engana ninguém. Ele é a Verdade, portanto, Suas palavras são sempre verdadeiras e jamais enganosas.

No relacionamento com Deus, a gente pode ir com confiança, sem medo, sem receio de ser enganado. Podemos investir nessa amizade com o Senhor com muita tranquilidade. Porém, cientes de que nosso Deus é a Verdade e que somos chamados a nos relacionarmos com Ele, nós também precisamos cultivar a verdade em nossa vida. Se optarmos pela mentira e por enganar os outros, infelizmente, estaremos compactuando com aquele que é considerado o “pai da mentira”, satanás. E nós não queremos ter nada a ver com ele! Nós pertencemos a Deus, porque Ele é a Verdade.

Santo Tomás de Aquino e o boi voador

Conta-se que Santo Tomás de Aquino, estava em sua cela, no convento de São Jacques, estudando e trabalhando sobre obscuros manuscritos medievais quando entrou, de repente, um frade folgazão, que foi logo exclamando com escândalo:

– Vinde ver, irmão Tomás, vinde ver um boi voando!

O grande doutor da Igreja, muito serenamente, ergueu-se do seu banco, saiu da cela e, dirigindo-se ao átrio do mosteiro, pôs-se a olhar o céu, com a mão em pala sobre os olhos fatigados do estudo.

Ao assim o ver, o frade jovial desatou a rir com estrépito.

– Ora, irmão Tomás, então sois tão crédulo a ponto de acreditardes que um boi pudesse voar?

– Por que não, meu amigo? – tornou o santo.

E, com a mesma singeleza, flor da sabedoria, completou:

– Eu preferi admitir que um boi voasse a acreditar que um religioso pudesse mentir.

Tomemos, hoje, a decisão de não mentir nem enganar os outros. Sejamos da Verdade, mesmo que isso nos custe um preço alto, mesmo que nos custe “sangue, suor e lágrimas”. Não importa! Permaneçamos na Verdade até o fim, porque isso vale a pena.

Aquele que é a própria Verdade nos dará, ao fim, Sua recompensa.

Um forte abraço!

Assista ao programa:

comentários