testemunho

Padre Pio, o pai espiritual

Padre Pio é, de fato, um santo conquistador. Ele o foi quando ainda estava conosco, aqui neste mundo, e continua sendo na Pátria Celeste. Foi assim comigo e é assim com muitas pessoas com quem eu convivo em comunidade.

Quando estava no início da minha caminhada com o Senhor, tinha muita resistência com relação à devoção dos santos da Igreja Católica por causa de irmãos protestantes que me questionavam no meu trabalho. Sempre que alguém me perguntava sobre minha devoção, eu dizia que era somente de Jesus, que não precisava de nenhum santo, mas respeitava aquelas que tinham as suas devoções.

Assim foi por algum tempo, até que comecei a perceber, em todos os lugares, encontros religiosos, nos acampamentos, nas estampas das camisetas, adesivos de Padre Pio, e isso me incomodava, porque, aparentemente, as imagens de Padre Pio são recentes e não muito piedosas. Algumas trazem a sua foto com um ar de nervoso, como que exortando e, na época, ele nem tinha sido beatificado ainda, porém, já era considerado pelas pessoas um grande santo.

Padre Pio, o pai espiritual

Imagem ilustrativa.

No meu interior, eu dizia: “O que esse padre de cara feia tem que, em todos os lugares, eu o vejo?”.

Propagador do Padre Pio

Depois desses questionamentos, dessa dureza de coração, ganhei um livro do Padre Pio com as suas frases, seus pensamentos. Quando me deparei com as lutas que aquele padre tinha com os demônios e a sua relação com os santos anjos, eu me apaixonei, fui conquistado. Depois de conhecê-lo, comecei a comprar muitos livros de Padre Pio, e tudo foi muito natural. Quando eu percebi, ele já estava na minha vida. Outro fator interessante é que Padre Pio foi me aproximando de pessoas que se diziam também filhos espirituais dele.

Leia mais:
::Santo do Dia
::Temos algo a aprender com Maria Madalena?
::Documentário sobre Santa Teresinha
::Baixe o aplicativo da Canção Nova e tenha acesso a todos os conteúdos do portal cancaonova.com

Nunca tive grandes experiências místicas com Padre Pio. Até um tempo atrás, eu o cobrava muito, mas, depois de fazer a sua novena, fui levado a falar muito dele para as pessoas, comecei a perceber que eu era um grande propagador de Padre Pio. As pessoas me procuravam para falar das suas experiências com ele, pedir mais detalhes etc. Fui percebendo que o padre me queria como um filho propagador.

Na Canção Nova, sinto-me um grande propagador deste santo, e já o apresentei a vários irmãos que, hoje, são grandes filhos espirituais dele, pois, como eu disse: basta conhecer a sua história, a sua luta, a sua santidade, para se tornar um filho de Padre Pio e, como ele mesmo disse: “uma alma por mim socorrida, jamais será por mim esquecida”.

Eu lhe apresento Padre Pio!

banner espiritualidade


Daniel Machado

Daniel Machado de Assis, natural de São Bernardo do Campo-SP, é membro da Canção Nova desde 2002. Psicólogo formado pelo Centro Universitário Salesiano de São Paulo, também estudou filosofia pelo Instituto Canção Nova. Atualmente é coordenador do Núcleo de Psicologia Canção Nova que tem por objetivo assessorar e auxiliar a formação dos membros desta instituição.

comentários