Rezemos pelas almas

O Catecismo da Igreja Católica ensina-nos que: “Os que morrem na graça e na amizade de Deus, mas não estão completamente purificados, embora tenham garantida a sua vocação eterna, passam, após sua morte, por uma purificação, a fim de obter a santidade necessária para entrar na alegria do Céu” (cf. CIC 1030).

Quando tomei consciência dessa verdade e de que as almas do purgatório nada podem fazer por elas mesmas, o meu coração encheu-se de compaixão e eu logo adotei o nobre e justo costume cristão que é rezar pelas almas.

Compreendi que a homenagem e a ajuda mais valiosa que podemos prestar às almas do purgatório é “oferecer sufrágio em seu favor, em especial o sacrifício eucarístico, a fim de que, purificadas, elas possam chegar à visão beatífica de Deus” (cf CIC 1032).

Portanto, rezemos pelas pobres almas, porque é vontade de Deus que elas dependam de nós. Rezemos pelas almas e façamos dessa obra de misericórdia um programa de vida.

“O cristão que une sua própria morte à de Jesus, vê a morte como um caminhar ao Seu encontro e uma entrada na vida eterna.” Catecismo da Igreja Católica, 1020

“Os que morrem na graça e na amizade e na amizade de Deus. E que estão totalmente purificados, vivem para sempre com Cristo, são para sempre semelhantes a Deus, porque O vêem tal como Ele é.” 1 Jo 3,2

“A vida perfeita com a Santíssima Trindade, essa comunhão de vida e de Amor com Ela, com a Virgem Maria, os anjos e todos os bem aventurados, é denominada “o Céu”!
O Céu é o fim último e a realização das aspirações mais profundas do homem, o estado de felicidade suprema e definitiva.” Catecismo da Igreja Católica, 1024

“Mesmo que a alma tenha de sujeitar-se, naquela passagem para o Céu, à purificação das últimas escórias, mediante o Purgatório, ela já está cheia de luz , de certeza, de alegria, porque sabe que pertence para sempre ao seu Deus.” João Paulo II

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.