Ressurreição sim! Reencarnação não!

Ao rezarmos pelos nossos queridos falecidos, somos convidados a renovar a fé num artigo que é fundamental para nossa vida cristã e que nos diferencia de outras expressões religiosas. A cada dia, na Eucaristia, na meditação da Palavra de Deus, na oração pessoal e comunitária, no exercício da caridade e na celebração da vida, precisamos renovar a nossa fé. A fé é um dom de Deus. É uma graça. Deus confiou este tesouro a nós. Assim como a vida, Deus nos dá a fé, e espera que nós cuidemos bem, tanto do dom da vida, como do dom da fé.

É muito comum ouvirmos as seguintes perguntas: Ressurreição ou Reencarnação? Ou ainda: é possível acreditar nas duas coisas? Ou Um católico pode ser espírita? Diante disso, vamos refletir um pouco mais sobre este tema de grande importância, de modo especial, para nós que queremos ver e seguir Jesus, conhecendo e testemunhando o Seu Evangelho para o mundo e para a humanidade. Nós não podemos “fugir” de temas complexos e nem vivermos como se estas questões não existissem. Pela reflexão podemos aprofundar ainda mais a nossa fé. Pelo estudo temos a chance de tornar a nossa fé ainda mais cristalina. Sendo assim, é bom destacar que pelo título deste artigo já começamos a responder a estas perguntas e a outros possíveis questionamentos: “RESSURREIÇÃO SIM! REENCARNAÇÃO NÃO!”.

Lendo e meditando, atentamente, a Bíblia, em nenhum capítulo e em nenhum versículo, do Gênesis ao Apocalipse, encontramos qualquer referência que indique a possibilidade da reencarnação. Fazendo um estudo sério da Bíblia, sem nos deixar influenciar por “leituras tendenciosas” ou interpretações deturpadas, não encontramos nenhum parecer favorável à esta doutrina. Pelo contrário, pelos lábios de Jesus, nos é ensinado: “Eu sou a Ressurreição e a vida. Aquele que crê em mim, ainda que esteja morto, viverá” (Jo 11, 25). A gente nasce e morre uma única vez. Por isso precisamos viver bem cada instante da nossa história. Depois da morte, vem a Ressurreição: a Vida Eterna! Na carta aos Hebreus encontramos a comprovação exata que diz: “E como é um fato que os homens devem morrer uma só vez” (Hb 9,27). Diante da Bíblia não fica nenhuma sombra de dúvida quanto a este tema. Nós cremos e sempre vamos crer na Ressurreição. A Ressurreição significa a vitória da vida sobre a morte. Cristo inaugurou a Ressurreição, garantindo a todos nós a certeza da nossa ressurreição. Pois, como está na Bíblia: “Se Cristo não Ressuscitou, é vã a nossa fé” (1Cor 15,17). Exatamente, porque Cristo Ressuscitou que a nossa fé não é vã. É na Ressurreição de Jesus e na certeza de que Nele e por Ele nós haveremos de ressuscitar, que a nossa fé se torna sólida, firme e inabalável como a rocha.

Penso que um católico praticante e conhecedor da sua fé, mesmo que desejasse, não consegueria ser espírita. Com esta afirmação, é bom que fique bem claro, que isto não tem nada haver com discriminação ou preconceito. E sim, um esclarecimento catequético para melhor vivermos a nossa fé católica . Pois, as duas doutrinas são opostas. Não se pode acreditar ao mesmo tempo na Doutrina da Ressurreição e na Doutrina da Reencarnação. Nós católicos, com base na Bíblia, na Tradição e no Magistério da Igreja, acreditamos de todo coração na Ressurreição. A Ressurreição é a base da nossa fé. E ao acreditarmos, de todo coração, na Ressurreição, fica descartada, a idéia da Reencarnação. A Santa Mãe Igreja, nos ensina que nós viemos ao mundo, pela Graça de Deus. Aqui vivemos como peregrinos, a caminho da Jerusalém Celeste, ou seja, do Paraíso. E para passarmos da vida terrena para a vida celeste, experimentamos a morte, não como derrota, mas como passagem para a Glória de Deus. O processo é assim: concepção, gestação, nascimento, morte e ressurreição. O Mistério Pascal de Cristo: Paixão, Morte e Ressurreição, é a garantia de que existe Vida Eterna! Que existe Ressurreição!

Como padre católico, desejo respeitar a todos. Sei que há pessoas que acreditam diferente de nós. Contudo, sem faltar com o respeito com meus irmãos quero, em primeiro lugar, respeitar a Jesus e proclamar a sua Santa Palavra. Só há diálogo inter-religioso se temos clareza quanto a nossa fé! Quando dialogamos não devemos colocar tudo misturado, mas sublinhar bem as nossas diferenças que revelam nossas identidades singulares. E é por isso que cada católico precisa ter, claro, na mente e no coração, a certeza da Ressurreição da carne e a certeza da Vida Eterna!

É a certeza da Ressurreição que nos consola na hora da dor e da saudade de um familiar ou amigo nosso que parte para a Eternidade. Nós podemos até chorar diante da morte. A morte é uma experiência muito difícil, inclusive para nós que cremos. O próprio Jesus, o Autor da vida, chorou diante da morte. A morte, é um drama. Mas, a morte não tem e nunca terá a última palavra sobre nós. A vida é que tem. “Jesus é o Caminho, a Verdade e a Vida” (Jo 14,6). Jesus que é Vida, nos dá a garantia da Vida Eterna, onde não haverá nem lágrima e nem dor.

Às vezes, na hora do sofrimento, por conta da morte de alguém muito próximo de nós surge o desespero e a vontade enorme de uma resposta imediata, de uma explicação clara e palpável. É neste momento, que muitos se deixam “seduzir” por doutrinas como a da Reencarnação. Por isso, mais do que nunca, renovemos, pratriquemos e professemos a nossa fé, que de Cristo nós recebemos: “cremos na ressurreição da carne; cremos na vida eterna” (Credo Apostólico) . É somente pela fidelidade à nossa fé que seremos, verdadeiramente consolados e fortalecidos em todas as situações da nossa vida. Se estivermos convictos na certeza da Ressurreição nada e nem ninguém poderá nos confundir; e aconteça o que acontecer iremos sempre testemunhar: RESSURREIÇÃO SIM! REENCARNAÇÃO NÃO!

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.