Idolatria?

“Ao Senhor teu Deus adorarás” (Mt 4,10).

Ao longo da história humana, o homem se questiona acerca deste tema. É um assunto complexo que atravessa todos os campos da existência. Neste artigo, vamos fazer uma reflexão voltada para o campo religioso. É preciso ter clareza neste assunto, pois, muitas vezes, nós, católicos, somos atacados e “rotulados” de idólatras. Sendo assim, vamos “pôr os pingos nos is”!

O que significa a palavra idolatria? Idolatria é o culto prestado aos ídolos. Ídolo, por sua vez, significa figura, imagem ou estátua representativa de uma divindade à qual se presta culto. Ou ainda, ídolo é uma pessoa a quem se tributa exagerado afeto ou respeito.

Com estes dois conceitos, tanto de idolatria como de ídolo, queremos explicar também o porquê de nossas imagens em nossas igrejas, casas e tantos outros ambientes. As imagens que temos de Jesus, de Nossa Senhora, dos Santos e Anjos não significam em hipótese alguma idolatria. Pois, nós não “adoramos” a imagem em si. Elas nos fazem lembrar o próprio Senhor e também aqueles, que de um modo ou de outro, foram fiéis à Palavra de Deus até o fim, ou seja, os Santos.

Nós adoramos única e exclusivamente a Deus, o Pai Todo Poderoso, Criador do Céu e da Terra e de todos os seres visíveis e invisíveis. Nós adoramos a Deus, que criou o homem e a mulher à sua imagem e semelhança. Nós adoramos a Deus, que criou e governa o mundo, mantendo a ordem e a harmonia!

Nós não prestamos culto às imagens. Nós não adoramos as imagens. Nós sabemos que nenhuma delas pode fazer algum milagre. É Deus quem tudo pode e tudo faz (Mc 10,27). Elas [as imagens] têm duas finalidades. Primeiro, elas nos ajudam a lembrar que Jesus está vivo e presente no meio de nós e que os Santos continuam sendo modelo a serem imitados na escuta acolhedora e resposta positiva à vontade de Deus. Em segundo lugar, as imagens ornamentam os ambientes em que trabalhamos, estudamos, moramos e celebramos. Todo o nosso culto tem no centro a Pessoa de Jesus Cristo, nosso Senhor e Salvador.

Ao lermos atentamente a Palavra de Deus, encontramos no Livro de Números, capítulo 21, versículos de 4 a 9, Deus mandando Moisés fazer uma serpente de bronze para ele. E o Senhor recomenda que todos os que fossem picados por uma serpente, deveriam olhar para a serpente de bronze, para ficarem curados. Esta passagem ajuda a entender o uso das imagens na nossa vida cristã. A cura se dava na medida em que se olhava para a imagem da serpente de bronze. Não era a imagem que curava, mas sim, o próprio Deus. Quando as pessoas olhavam para a imagem, voltavam o coração para Deus. E quando se volta o coração para Deus, se é curado de todo veneno e se é liberto da morte. O Senhor nos garante a vida. Ele nos dá a vida. Assim, também, hoje, quando nós olhamos para as imagens, voltamos o nosso coração para Deus, e O reconhecemos como único Senhor da nossa vida.

Que estas breves reflexões nos ajudem a renovarmos o nosso amor e a nossa confiança inabalável no Deus Altíssimo. E que estejamos convictos de uma coisa: católico não é idólatra. Pois, reverenciamos a Maria e temos os Santos como modelos. E adoramos somente a Deus!

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.