Autenticidade

Você nasceu para fazer a diferença

Você aceita fazer a diferença a partir de hoje?

Tenho convivido com essa palavra que me vem à mente e ao coração a todo instante: “Você nasceu para fazer a diferença!”.

Ser diferente é não ser igual aos outros, é ser autêntico. Fazer a diferença é exatamente colocar em prática a autenticidade, ser aquilo que devo ser.

Crédito: Eoneren / by Getty Images

Temos visto uma juventude sem identidade, fraca, levada pelos modismos. Pensam e dizem assim: “Se a moda é ficar, todo mundo fica; se a moda é transar, por que não transar se todo mundo transa? Meus amigos e amigas transam. Se a moda é colocar uma argola na língua, que me impede até de comer ou falar, mas todo mundo está fazendo, eu também vou fazer. Se a moda é ficar com pessoas do mesmo sexo, eu vou fazer, porque todo mundo faz e está na mídia; afinal, tenho que assumir e viver aquilo que está dentro de mim; não preciso trabalhar, só tenho que ter o trabalho de assumir. Afinal, os tempos são outros, e ser diferente é ser alienado, ser ortodoxo, conservador”.

O casamento não é diferente da vivência da juventude: “Vamos casar. Se der certo, a gente continua; se não der, vai cada um para o seu lado construir sua vida de novo, arrumar um outro marido ou uma outra mulher. Sou homem e não há problema nenhum se eu ‘pular a cerca’, pois tenho que mostrar minha virilidade. Sou mulher e tem tanto homem bonito na praça, talvez até mais carinhosos do que meu marido”. E assim o pensamento vai.

No trabalho, a corrupção acontece: “Todo mundo faz! Se eu não fizer, vou ficar pobre para o resto da vida”. O pior que, a maioria dos que pensam assim, dizem ser católicos, cristãos, e o nosso Mestre foi quem fez a diferença; revolucionou a sua época, mudou as estruturas, questionou.

Todo ser humano tem uma inquietação profunda, um desejo de algo que o transcenda, de algo que o leve às respostas dos seus questionamentos que surgem em consequência de seu ser que anseia pela Verdade. Em meio a um mundo que, com seu sistema, prega o ceticismo, o relativismo, querendo conduzir o homem ao distanciamento de Deus, aparece Jesus para dar ao homem o sentido real e verdadeiro da vida, que provém da verdade e não das mentiras que pregam os modismos. As respostas e a verdadeira alegria que não passa, e preenche todo vazio existencial deixado pela opção aos modismos, vem do esplendor da verdade, que é Cristo Jesus .

Chamados a fazer a diferença

Somos chamados a fazer a diferença! Nossa juventude precisa fazer a diferença, mostrar que é possível viver a castidade no namoro, que é possível ser feliz sem drogas, que é possível curtir sem o álcool, é possível viver uma alegria que não passa, fazendo uma opção fundamental por Deus, deixando o que era velho para trás, fazendo uma opção por aquele que é sempre novo, pois “Jesus Cristo é sempre o mesmo: ontem, hoje e por toda a eternidade” (Hb 13,8). Precisamos nos aproximar mais de Jesus.

Os casais precisam fazer a diferença vivendo a fidelidade, renovando cada dia o compromisso que assumiu diante do altar. Você se lembra: “Te prometo ser fiel na alegria e na tristeza, na saúde e na doença, todos os dias de nossa vida, até que a morte nos separe”.

Como é gostoso ver um casal de velhinhos juntos, com cinquenta, sessenta anos de casados, fiéis… Quando os vejo, exclamo: “Fizeram a diferença! Se aproximaram de Cristo, escancararam seus corações”.

É triste ver aqueles que não fizeram a diferença, que optaram pelas ondas de modismos, velhos, acabados, enfermos no corpo e na alma, nas drogas, com doenças sexualmente transmissíveis, na violência, presos, deprimidos, sem brilho nos olhos. Pois uma noite de sexo fora do casamento e sem a bênção de Deus passa; uma noite sob o efeito da droga ou do álcool passa, mas o vazio fica. A alegria de Cristo, no entanto, permanece, não sai dos nossos corações.

Leia mais:
.: Quando as pessoas fazem a diferença em nossa vida
.: Santidade para o nosso tempo
.: Seis dicas para uma mudança de vida com fé e coragem

Quantos jovens revoltados por causa do adultério do pai ou da mãe, por causa da separação deles! Eu pergunto: “Até quando, meu Deus?”

Fazer a diferença vale a pena

Digo a você que fazer a diferença vale a pena! Optar por estar em lugares onde sentimos a presença de Deus vale a pena! É uma alegria inexplicável, tremenda. Saiba que esses modismos geram morte, destruição e tristeza.

Somente em Deus está a nossa realização plena. Faça a opção pelo esplendor da verdade, faça a opção por Jesus Cristo: Caminho, Verdade e Vida.

Durante quase dez anos da minha vida, eu vivi nos modismos, nas drogas, nessa sexualidade onde tudo pode, em músicas que geravam violência, angústia e tristeza; frequentando festas, bailes, lugares que no momento me faziam “bem”. Mas depois eu voltava para casa com um “rombo” no coração, um vazio existencial tremendo. E eu me perguntava: “Mas fiquei com uma garota linda, bebi todas, zoei com a galera… Por que estou assim?”

Ah, irmãos! Depois que descobri Deus, as músicas inspiradas por Ele, pessoas que resolveram fazer a diferença, descobri que tinha perdido muito tempo, e resolvi fazer a diferença. Hoje, posso dizer que sou uma das pessoas mais felizes da face da terra. Sem alienação, sem fanatismo, mas vivendo minha vida de uma forma maravilhosa.

Sou autêntico. Aprendi com um cara muito legal isso. Aprendi com Jesus, Aquele que deu sentido à minha vida e quer dar sentido à sua.

Você aceita a partir de hoje fazer a diferença? Conte com a minha ajuda! Você não está sozinho. Estamos juntos!

Paz, amor e alegria para você! Que Deus o abençoe.

Padre Roger Luis
Missionário da Comunidade Canção Nova

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.