Retiro Popular 8º dia - Ver com os Olhos de Deus

Segunda Semana da Quaresma


Ver com os Olhos de Deus

“Aconselho-te que compres de mim ouro provado ao fogo, para ficares rico; roupas alvas para te vestires, a fim de que não apareça a vergonha de tua nudez; e um colírio para ungir os olhos, de modo que possas ver claro” (Ap 3,18).

A conversão é uma mudança profunda de vida, que nos leva a ver de forma diferente as pessoas e os acontecimentos. Trata-se de enxergar com os olhos de Deus, para ver mais claro.

“Passados uns oitos dias, Jesus tomou consigo Pedro, Tiago e João, e subiu ao monte para orar. Enquanto orava, o seu rosto transformou-se e as suas vestes tornaram-se resplandecentes de brancura. E eis que falavam com Ele dois personagens: eram
Moisés e Elias, que apareceram envoltos em glória, e falavam da morte dele, que se havia de cumprir em Jerusalém. Entretanto, Pedro e seus companheiros tinham-se deixado vencer pelo sono; ao despertarem, viram a glória de Jesus e os dois personagens em sua companhia. Quando estes se apartaram de Jesus, Pedro disse: Mestre, é bom estarmos aqui. Podemos levantar três tendas: uma para ti, outra para Moisés e outra para Elias!… Ele não sabia o que dizia.

Enquanto ainda assim falava, veio uma nuvem e encobriu-os com a sua sombra; e os discípulos, vendo-os desaparecer na nuvem, tiveram um grande pavor. Então da nuvem saiu uma voz: Este é o meu Filho muito amado; ouvi-o! E, enquanto ainda ressoava esta voz, achou-se Jesus sozinho. Os discípulos calaram-se e a ninguém disseram naqueles dias coisa alguma do que tinham visto” (Lc 9,28-36).

Os discípulos de Jesus passaram por um tempo de formação, no qual a mudança de mentalidade lhes possibilitou uma nova compreensão da vida. “Tendo predito aos discípulos a própria morte, Jesus lhes mostra, na montanha sagrada, todo o seu esplendor. E com o testemunho da Lei e dos profetas, simbolizados em Moisés e Elias, nos ensina que, pela Paixão e Cruz, chegará à glória da ressurreição”.

O Pão da Palavra

Os encontros de Jesus com as pessoas e os milagres são sinais realizados para conduzir à fé. Ninguém passa em vão ao seu lado. A todas as pessoas Ele propõe uma passagem do homem velho ao homem novo:

Dia 4 de março, Segundo domingo da Quaresma

O Retiro se realiza no domingo, saindo de casa para participar da Eucaristia, o centro de nossa vida cristã.
Prepare-se meditando em casa, se possível com seus familiares, as leituras deste dia: Gn 15,5-12.17-18; Sl 26; Fl 3,17–4,1; Lc 9,28b-36.

Quarenta dias “de joelhos”

Jesus promete que toda oração será ouvida. Nem tudo o que pedirmos nos será dado, mas o Pai nos dará sempre “coisas boas”. Sua bondade é convite aos filhos para serem bons como Ele e fazer o bem a todos: “Tudo o que quereis que os homens vos façam, fazei-o vós a eles. Nisto consiste a lei e os profetas” (Mt 7,12).

A expressão “de joelhos” não significa apenas uma posição, pois podemos estar em oração assentados, em pé ou deitados. Trata-se de um coração em permanente comunhão com Deus. Durante esta semana, antes de tudo a participação na Missa Dominical, já que esta Quaresma é também tempo de valorização do Domingo.
Depois, as propostas do Retiro para a semana. Além disso, propomos a oração da Via-Sacra nesta semana, especialmente na quarta
e na sexta-feira. Há um texto que você pode usar, à página 89.

– Reze todos os dias o Salmo 29, ao final da leitura orante da Palavra de Deus:

– Eu vos exalto, ó Senhor, pois me livrastes, e não deixastes rir de mim meus inimigos! Senhor, clamei por vós, pedindo ajuda, e vós, meu Deus, me devolvestes a saúde! Vós tirastes minha alma dos abismos e me salvastes, quando estava já morrendo!
– Cantai salmos ao Senhor, povo fiel, dai-lhe graças e invocai seu santo nome! Pois sua ira dura apenas um momento, mas sua bondade permanece a vida inteira; se à tarde vem o pranto visitar-nos, de manhã nos vem saudar a alegria.

– Nos momentos mais felizes eu dizia: “Jamais hei de sofrer qualquer desgraça!” Honra e poder me concedia a vossa graça, mas escondestes vossa face e perturbei-me.
– Por vós, ó meu Senhor, agora eu clamo, e imploro a piedade do meu Deus: Que vantagem haverá com minha morte, e que lucro, se eu descer à sepultura?

– Por acaso, pode o pó agradecer-vos e anunciar vossa leal fidelidade? Escutai-me, Senhor Deus, tende piedade! Sede, Senhor, o meu
abrigo protetor!
– Transformastes o meu pranto em uma festa, meus farrapos, em adornos de alegria, para minh’alma vos louvar ao som da harpa e, ao invés de se calar, agradecer-vos: Senhor meu Deus, eternamente hei de louvar-vos!

O Jejum

O jejum nos possibilita libertar o coração das vaidades que o impedem de estar disponível aos apelos de Deus e da participação no sofrimento dos irmãos, no qual perdura o sofrimento de Cristo.
Para esta semana, nossa proposta é de um novo jejum, o “jejum dos olhos”: purificar seu modo de ver as pessoas e os acontecimentos, valorizando o que existe de positivo, especialmente em sua família. Há muito a ser visto além das aparências.
Experimente limpar os olhos em sua casa!

Quaresma de caridade

Visitar uma pessoa enferma de sua comunidade, ou visitar uma instituição de caridade, hospital ou presídio, levando o convite à preparação para a Páscoa. O “colírio” da caridade lavará nossos olhos nesta etapa do Retiro.

:: Saiba com fazer o Retiro Popular

Extraído do livro “Crê no Senhor Jesus e serás salvo” (Retiro Popular 2007) de Dom Alberto Taveira Corrêa

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.